DSpace
 

Repositório da UTAD >
Depósitos Anteriores a 2015 >
OLD - ECAV - Escola de Ciências Agrárias e Veterinárias >
OLD - DZOO - Departamento de Zootecnia >
OLD - DZOO - Resumo de Comunicação em Conferência Nacional >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/1549

Title: Aplicação de dois protocolos distintos na sicronização do estro e da ovulação em cabras de raça Serrana
Authors: Simões, João
Azevedo, Jorge Manuel Teixeira de
Valentim, Ramiro
Issue Date: 2007
Publisher: Sociedade Portuguesa de Reprodução Animal
Abstract: O objectivo deste trabalho foi a determinação do momento do estro e da ovulação em cabras, após a aplicação de dois protocolos de sincronização éstrica. Foram utilizadas, durante Maio e Junho, doze cabras nulíparas da raça Serrana, ecótipo Transmontano, com idade inferior a 32 meses. Foi aplicada, a cada cabra, uma esponja vaginal impregnada com 45 mg de acetato de fluorgestona, durante 12 dias. No momento da remoção esponja (RE) foi administrado (IM) 50 microgramas de cloprostenol. Simultaneamente à aplicação da prostaglandina, foram administradas (IM) 500 UI de equine Chorionic Gonadotropin (eCG) ao grupo 1 (G1; n=6) e 500 UI de human Chorionic Gonadotropin (hCG) ao grupo 2 (G2; n=6). Foi usado um bode com arnês marcador para a detecção do estro. Para determinação do pico pré-ovulatório de LH foi colhido sangue cada 4 horas, durante as 1as 24 h após o início do estro. O momento da ovulação foi determinado por ecografia, cada 4 h, entre as 20 e 44 h após o início do estro. O n.º de corpos lúteos (CL) foi contado 7 a l0 dias após a ovulação. A actividade ovulatória foi confirmada por doseamento da P4 plasmática durante todo o ensaio. Em duas cabras do G2 não foi detectado o pico de LH, nem o momento da ovulação. O intervalo RE - estro foi de 34,7 ± 0,9 h (n=6) e de 39,6 ± 4,8 h (n=4) (P>0,05) para o G1 e G2, respectivamente. Foi observada uma tendência para um menor intervalo RE - pico de LH no G1 (38,7 ± 0,9 h) que no G2 (44,6 ± 3,2 h) (P=0,07). A ovulação ocorreu mais cedo, após a RE, no G1 (58,7 ± 0,9 h) do que no G2 (65,6 ± 3,4 h) (P≤0,05). No entanto, não foram observadas diferenças do intervalo pico de LH - ovulação entre o G1 (20,0 ± 1,4 h) e o G2 (21,0 ± 1,0 h) (P>0,05). O n.º médio de CL foi de 3,5 ± 0,2 no G1 e de 2,5 ± 0,3 no G2 (P≤0,05). Os resultados sugerem que a eCG estimula a ovulação mais cedo do que a hCG após a remoção das esponjas. Contudo, o intervalo pico de LH - ovulação manteve-se constante em ambos os grupos
URI: http://hdl.handle.net/10348/1549
Appears in Collections:OLD - DZOO - Resumo de Comunicação em Conferência Nacional

Files in This Item:

File Description SizeFormat
SPRA07.pdf1.26 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in Repository are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace DeGois RCAAP Comodo Valid XHTML 1.0! DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback