DSpace
 

Repositório da UTAD >
TD - Teses e Dissertações >
TD - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/6326

Title: Abordagem ecográfica à doença gástrica e intestinal no cão e no gato
Authors: Almeida, Carolina Pereira Torres de
Advisor: Almeida, José Manuel de Melo Henriques de
Machado, João Pedro de Almeida Carneiro Silva
Issue Date: 1-Aug-2016
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
Abstract: A diarreia, o vómito e a anorexia no cão e no gato são alguns dos sinais clínicos mais comuns no dia-a-dia clínico e constituem indicações para a ecografia gastrointestinal. A ecografia não apresenta riscos biológicos comparativamente à radiografia ou tomografia, não é invasiva e permite avaliar a motilidade gastrointestinal em tempo real, assim como as características da parede do trato gastrointestinal, linfonodos associados, o tipo e origem das lesões, permitindo a realização de citologias aspirativas e biópsias ecoguiadas. Permite, ainda, fazer um acompanhamento pós cirúrgico e avaliar a progressão de tumores malignos após a quimioterapia. Na maioria dos animais uma sonda de elevada frequência permite avaliar a espessura e as camadas da parede do trato gastrointestinal. A ecografia é efetuada em modo-B, sendo que o Doppler permite avaliar a circulação sanguínea. É aconselhável o jejum de 12 horas, não sendo necessário restringir o acesso à água, previamente à ecografia. Deve proceder-se à tricotomia da região abdominal ventral e aplicar gel sobre a pele. O decúbito escolhido é variável consoante a região que se pretende avaliar. No abdómen cranial esquerdo é possível encontrar o fundo do estômago. O antro e a porção pilórica observam-se movendo a sonda para a direita da linha média. O duodeno é seguido caudalmente ao longo da parede abdominal direita. O restante intestino delgado é avaliado por varrimentos lentos e sistemáticos do abdómen em planos transversos e sagitais. O íleo parece terminar abruptamente num segmento intestinal largo, o cólon, medialmente ao duodeno. O cólon descendente pode ser seguido cranialmente desde o canal pélvico, ao longo da parede abdominal esquerda, até ao nível do cólon transverso, caudalmente ao estômago. A parede gastrointestinal normal inclui cinco camadas: interface lúmen-mucosa, mucosa, submucosa, muscular e serosa, do lúmen para a periferia. A mucosa e a muscular são hipoecogénicas e as restantes hiperecogénicas. A parede gástrica normal pode medir até 5 mm, a do intestino delgado até 4 a 6 mm e a do cólon até 2 a 3 mm, no cão. No gato, a parede gástrica deve medir até 4,4 mm, a parede do intestino delgado até 3,2 mm e a do cólon até 2,5 mm. As principais alterações gastrointestinais passíveis de identificar ecograficamente incluem dilatação, obstrução, corpos estranhos, intussusceções, ulceração, alterações de motilidade e espessamento da parede. O espessamento difuso é mais comum em inflamação, nomeadamente IBD (Inflammatory Bowel Disease), o espessamento focal com perda das camadas é mais comum em neoplasias, sendo o adenocarcinoma, linfoma ou leiomiossarcoma mais frequentemente encontrados. Como objetivo deste trabalho pretende-se contrapor os casos de estágio com a revisão bibliográfica, aprender a abordar ecograficamente o trato gastrointestinal normal e a identificar alterações. A maioria dos casos mostrados e descritos no texto vai de encontro ao que está reportado na literatura. No entanto, e principalmente na distinção entre processos inflamatórios e neoplásicos, a ecografia parece ainda não permitir predizer de que processo se trata, daí que seja necessária a citologia aspirativa e/ou biópsia para diagnóstico histopatológico.
Diarrhea, chronic vomiting and anorexia, among others, are very common clinical signs in dogs and cats in practice that lead to gastrointestinal ultrasound. Ultrasound has no biological risks, it is non invasive and allows the evaluation of gastrointestinal motility in real-time, along with the wall layering and lymph nodes features. It also determines the origin and type of lesions and allows fine needle aspirations and ultrasound guided biopsies. It also permits the evaluation of disease progression after cancer therapy and post surgical follow-up. A high frequency probe can be used in most animals, to evaluate the thickness and the layers. The ultrasound is performed in B-mode and Doppler mode is used to evaluate the bloodstream hemodynamics. The animals should be fasted for 12 hours with access to water. The ventral abdomen should be clipped and gel must be applied to the skin. The recumbency is chosen according to the region that is being evaluated. The gastric fundus can be found in the left cranial abdomen and by moving the probe to the right side of the midline, antrum and pylorus are seen. Duodenum is followed caudally along the right abdominal wall. The remaining small intestine is observed through slow and systematic sweeps in transverse and sagittal planes. Ileum ends abruptly in a large intestinal segment (colon). Descending colon can be tracked since the pelvic area, along the left abdominal wall, until the transverse colon, caudally to the stomach. The gastrointestinal wall includes five layers: the lumen-mucosa interface, mucosa, submucosa, muscular and serosa. Mucosa and muscular are hypoechogenic and the remaining hyperechogenic. The normal gastric wall can measure up to 5 mm, small intestine wall until 4 to 6 mm and colonic wall 2 to 3 mm in the dog and 4,4 mm, 3,2 mm and 2,5 mm respectively in the cat. The principal gastrointestinal abnormalities include dilation, obstruction, foreign body, intussusception, ulceration, motility disorders and thickening. Diffuse thickening is more commonly seen with inflammation (e.g. IBD), the focal thickening with loss of layering is most common in neoplasia, being adenocarcinoma, lymphoma and leiomyosarcoma most frequent. The purpose of this work was to establish a comparison between the clinical cases and the literature review, as well to learn how to approach the gastrointestinal tract identifying normal and abnormal ultrasonographic pictures. The majority of the cases shown and described in this report are consistent with what has been described in the literature. Nevertheless, regarding to the differentiation between neoplastic and non neoplastic processes, ultrasound is not good enough in predicting the histologic result, thus, an aspiration and/or a biopsy are needed.
Keywords: Animais de estimação
Trato gastrointestinal
Ecografia
Inflamação
Obstrução intestinal
Neoplasias intestinais
URI: http://hdl.handle.net/10348/6326
Appears in Collections:TD - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
msc_cptalmeida.pdf3.83 MBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in Repository are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace DeGois RCAAP Comodo Valid XHTML 1.0! DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback