Propriedades antifúngicas de extratos de Actinobactérias de origem marinha

Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
O aumento do número de infeções fúngicas é uma preocupação devido à evolução da resistência aos antifúngicos, por isso é importante a procura de novas terapias. As actinobactérias marinhas são produtoras de metabolitos secundários que possuem diversas atividades de interesse, nomeadamente a atividade antifúngica. O objetivo deste trabalho foi avaliar as propriedades antifúngicas de extratos de actinobactérias de origem marinha contra fungos patogénicos. Trinta extratos de actinobactérias provenientes de algas marinhas e de amostras de mar profundo foram estudados para fungos patogénicos (C. albicans ATCC 90028, C. parapsilosis ATCC 22019, Cr. neoformans ATCC 32045, Cr. laurentii ZY8, A. flavus ATCC 204304, A. fumigatus ATCC 204305 e A. brasiliensis ATCC 16404). O primeiro método utilizado para a determinação das propriedades antifúngicas foi o método de difusão em placa, seguindo as diretrizes da “Clinical Laboratory Standard Institute” (M44-A, M38-A2 e M61). Para os extratos com melhores resultados foram determinadas em seguida as concentrações mínimas inibitória e fungicida. De seguida avaliou-se a interferência dos extratos nos fatores de virulência, para as leveduras (formação de tubo germinativo e biofilme) e para os bolores (interferências dos extratos na esporogénese). Para C. albicans ATCC 90028 e A. brasiliensis ATCC 16404 os resultados destacaramse devido à sua maior sensibilidade aos extratos. Diversos extratos testados interferiram nos fatores de virulência de Candida spp., levando à redução de biofilmes pré-formados e reduzindo e/ou inibindo a formação de tubos germinativos. Na análise dos resultados foi possível verificar que as atividades antifúngicas foram influenciadas pela espécie e pela origem dos extratos. Apesar disto, os resultados mostraram ser promissores para novas terapias antifúngicas.
The increase in fungal infections is a concern due to the evolution of resistance to antifungal agents, so it is important to search for new therapies. Marine actinobacteria are producers of secondary metabolites that have several activities of interest, namely antifungal activity. The objective of this work was to evaluate the antifungal properties of extracts of actinobacteria of marine origin against pathogenic fungi. Thirty actinobacterial extracts from seaweed and deep sea samples were studied for pathogenic fungi (C. albicans ATCC 90028, C. parapsilosis ATCC 22019, Cr. neoformans ATCC 32045, Cr. laurentii ZY8, A. flavus ATCC 204304, A. fumigatus ATCC 204305 and A. brasiliensis ATCC 16404). The first method used for the determination of antifungal properties was the disk diffusion method, following the guidelines of the Clinical Laboratory Standard Institute (M44-A, M38-A2 and M61). For the extracts with the best results, the minimum inhibitory and fungicidal concentrations were determined. Then, the interference of extracts on virulence factors was evaluated, for yeasts (germ tube and biofilm formation) and for molds (interference of extracts on sporogenesis). For C. albicans ATCC 90028 and A. brasiliensis ATCC 16404, the results stood out due to their greater sensitivity to the extracts. Some extracts tested interfered with the virulence factors of Candida spp., leading to the reduction of pre-formed biofilms and reducing or inhibiting the formation of germ tubes. In the analysis of the results, it was possible to verify that antifungal activities were influenced by the species and the origin of the extracts. Despite this, the results showed to be promising for new antifungal therapies.
Descrição
A presente dissertação foi desenvolvida no âmbito do projeto de I&D “Atlantida - Platform for the monitoring of the North Atlantic Ocean and tools for the sustainable exploitation of the marine resources” (NORTE-01-0145-FEDER-000040), em parceria com o CITAB-UTAD e o CIIMAR, e do projeto ActinoDeepSea (POCI-01-0145-FEDER-031045 e PTDC/BIAMIC/31045/2017) financiado pelo FEDER—Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional através do COMPETE 2020—Programa Operacional para a Competitividade e Internacionalização (POCI), Portugal 2020, e por fundos portugueses através da FCT— Fundação para a Ciência e a Tecnologia/Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
Palavras-chave
Método Difusão em Placa , Concentração Mínima Inibitória
Citação