Prevalência de parasitas gastrointestinais em cavalos – eficácia dos protocolos de desparasitação

Data
2021-10-22
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Os equinos são suscetíveis de sofrerem infeções parasitárias, dependendo estas do clima, da região geográfica, do maneio, da nutrição dos animais, da espécie de parasita, do seu ciclo biológico, do grau de infeção, e da suscetibilidade do hospedeiro. Atualmente encontram-se reconhecidas uma ampla variedade de espécies de helmintes parasitas de equinos, muitas consideradas de virulência elevada, que após infeção do hospedeiro são responsáveis por provocar uma diminuição da vitalidade e produtividade, bem como do desenvolvimento e crescimento do animal. No intuito de combater as helmintoses é recomendável o planeamento de programas de desparasitação, que permitam manter níveis baixos e controlados de carga parasitária no equino, sempre considerando que a utilização indiscriminada de fármacos anti-helmínticos promove o aparecimento de resistências aos mesmos. De modo a identificar a presença de helmintes gastrointestinais em cavalos, bem como estudar a eficácia dos anti-helmínticos utilizados, o presente estudo resultou do estágio curricular em clínica de equinos, realizado entre 28 de setembro de 2020 e 31 de julho de 2021, na província de Zamora, Espanha. Para o efeito foram recolhidas amostras fecais de cavalos de diferentes raças, sexo, idade e maneio. As amostras recolhidas foram posteriormente analisadas no Laboratório do Hospital Equino Veterinário AgroDiegoSL. No presente estudo, foram examinados 50 cavalos incluídos em dois grupos distintos, dependendo do maneio e localização geográfica. No Grupo 1, foram incluídos 28 cavalos mantidos em permanente estabulação nas instalações do Centro Hípico Equus Duri, em Zamora. No Grupo 2 foram agrupados 22 cavalos, provenientes de diversas localidades da província de Zamora, criados e mantidos em regime de maneio extensivo ao longo de todo o ano. As amostras fecais, recolhidas da ampola retal de cada um dos 50 animais, foram analisadas segundo técnicas coproparasitológicas qualitativas e quantitativas, pelo método de Wills-Mollay e pelo Método de McMaster, respetivamente, tendo sido apenas identificados nas amostras fecais ovos de helmintes pertencentes à família Strongylidae. Posteriormente, e através do teste de redução da contagem de ovos fecais (TRCOF), foi avaliada a eficácia dos anti-helmínticos comerciais, constituídos pelo princípio ativo ivermectina, utilizados para cada um dos grupos de cavalos, nomeadamente o Animec® 18,7 mg/g, administrado por via oral aos equinos do Grupo1, e o Ivertin 10 mg/ml, solução oral utilizada para os animais do Grupo 2. Do total dos 50 cavalos analisados, 41 animais (82%) apresentaram presença de parasitas gastrointestinais; 29 animais (58%) evidenciaram infeções parasitárias elevadas, com contagem de ovos fecais (COF) superior a 500 ovos por grama de fezes (OPG), sendo que os equinos em regimes de criação e maneio extensivo, demonstraram ser os mais acometidos pelo parasitismo gastrointestinal por estrongilídeos. Com base nos valores individuais dos 50 cavalos estudados, foi calculada a média percentual do Grupo 1 e do Grupo 2 para o TRCOF, os quais demonstraram uma eficácia de 100% na eliminação da excreção de ovos de estrongilídeos para a ivermectina oral a 1,87% (Animec 18,7 mg/g® ) administrada aos animais do Grupo 1, e uma eficácia de 96,45% (intervalo de confiança [IC] 95%: 93,62%-98,02%) para a ivermectina oral a 10mg/ml (Ivertin 10mg/ml® ) utilizada nos cavalos do Grupo 2. No Grupo 2, o TRCOF calculado de forma individual para cada animal, 14 dias após a desparasitação, apresentou valores de 100% para 12 animais deste grupo, assim como, valores de: 96% para um animal, 95% para três equinos, 94% para três cavalos, 91% para um animal, 90% para um equino e 86% para um animal. Com base nestes valores individuais foi calculada a média percentual do Grupo 2 para o TRCOF (média de 96,45%), concluindo-se uma eficácia de 96,45% para a ivermectina oral a 10mg/ml (Ivertin 10mg/ml® ), na eliminação da excreção de ovos de estrongilídeos dos animais pertencentes ao Grupo 2. Com a realização do presente estudo foi possível contribuir para uma melhor caracterização da prevalência das espécies parasitárias gastrointestinais no efetivo equino da cidade e província de Zamora, tornando-se indispensável a realização de exames coproparasitológicos de rotina de forma a garantir um desejável nível de eficácia do princípio ativo administrado em cada situação. Importa realçar também que o tratamento antihelmíntico deve ser sempre associado a medidas profiláticas e de controlo baseadas nos estudos fenológicos das diversas espécies parasitárias existentes, como também alertar e orientar os proprietários para a adopção de técnicas de maneio preventivo, mantendo a sanidade, bem-estar e desempenho dos animais.
Horses are susceptible to parasitic infections, depending on climate, geographic region, management, animal nutrition, parasite species, biological cycle, degree of infection, and host susceptibility. Currently, a wide variety of species of parasitic helminths of horses are recognized, many considered of high virulence, which after infection of the host are responsible for causing a decrease in vitality and productivity, as well as in the development and growth of the animal. In order to control helminths, it is recommended the implementation of deworming programs, which allow to maintain low and controlled levels of parasite load in the horse, always considering that the indiscriminate use of anthelmintic drugs promotes the emergence of resistance to them. In order to identify the presence of gastrointestinal helminths in horses, as well as to study the effectiveness of the anthelmintics used, this study resulted from the curricular internship in equine clinic, carried out between 28th September 2020 and 31st July, 2021, in Zamora province, Spain. For this purpose, faecal samples from horses of different breeds, genders, ages and managements were collected. Samples were later analyzed in the Laboratory of the Hospital Equino Veterinário AgrodiegoSL. In the present study, 50 horses were examined and included in two distinct groups, depending on management and geographic location. IGroup 1 included 28 horses kept in permanent stables at the Equus Duri Riding Center in Zamora. Group 2 included 22 horses, coming from different locations in the province of Zamora, raised and maintained under extensive management throughout the year. The fecal samples, collected from the rectal ampoule of each of the 50 animals, were analyzed according to qualitative and quantitative coproparasitological techniques, by the Wills-Mollay method and the McMaster method, respectively, with only helminth eggs from Strongylidae family being identified in the fecal samples. Subsequently, and through the fecal egg count reduction test (FECRT), the efficacy of commercial anthelmintics was valuated, consisting of the active ingredient ivermectin, namely Animec® 18.7 mg, administered orally to Group 1 and Ivertin 10 mg/ml, oral solution used for Group 2. Forty-one (82%) animals, out of 50 horses analyzed presented gastrointestinal parasites; 29 animals (58%) showed high parasitic infections, with fecal egg count (FEC) greater than 500 eggs per gram (EPG), and horses in extensive rearing and management regimes were shown to be the most affected by gastrointestinal parasitism by strongylids. Based on the individual values of the 50 horses studied, the percentage mean of Group 1 and Group 2 for FECRT was calculated. These demonstrated a 100% efficacy in eliminating the excretion of strongylide eggs, for 1.87% oral ivermectin (Animec 18.7 mg/g® ) administered to Group 1 and an efficacy of 96.45% (confidence interval [CI] 95%: 93,62%-98,02%) for oral ivermectin 10mg/ml (Ivertin 10mg/ml® ) used in Group 2. In Group 2, the FERCT calculated individually for each animal, 14 days after deworming, presented values of 100% for 12 animals in this group, as well as values of: 96% for one animal, 95% for three horses, 94.0% for three horses, 91% for one animal, 90% for one horse and 86% for one animal. Based on these individual values, the percentage mean of Group 2 for FERCT was calculated (mean 96.45%), concluding an efficacy of 96.45% for oral ivermectin 10mg/ml (Ivertin 10mg/ml® ), administered to animals belonging to Group 2. With this study, it was possible to contribute to a better characterization of the prevalence of gastrointestinal parasitic species in the equine population of the city and province of Zamora, making it essential to carry out routine coproparasitological examinations in order to ensure a desirable level of efficacy of the active ingredient administered in each situation. It is also important to emphasize that anthelmintic treatment must always be associated with prophylactic and control measures based on phenological studies of the various existing parasitic species, as well as alerting and guiding owners to adopt preventive management techniques, maintaining health, well-being and performance of animals.
Descrição
Dissertação de Mestrado, submetida à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Medicina Veterinária
Palavras-chave
cavalos , doenças parasitárias
Citação