Efeito do volume na temperatura superficial da pele e no edema muscular após realização de exercício de treino de força com a metodologia de Drop-Sets

Data
2016-11-28
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Introdução: o American College of Sports Medicine destaca como variáveis para prescrição do Treino de Força (TF) a intensidade de cargas, o numero de repetições e séries, o intervalo entre as séries, a ordem dos exercícios e a velocidade de execução. A manipulação dessas variáveis permite elaborar métodos de TF tal como o Drop-sets. Este método tem como objetivo o aumento da hipertrofia muscular, contudo a sua eficácia e o seu real efeito nos aspetos fisiológicos e estruturais do músculo ainda não estão muito estudados. Sendo o edema muscular e a temperatura superficial da pele (TSP) indicadores de inflamação muscular o objetivo foi observar o efeito do volume na inflamação muscular no tempo de recuperação do edema muscular e da TSP do músculo bíceps braquial através das técnicas de ultrassonografia e termografia, respetivamente. Métodos: para o efeito 17 sujeitos caucasianos, do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 21 e 35 anos, foram sujeitos a duas sessões de um exercício de TF (flexão unilateral de cotovelo com halteres) diferindo entre si no volume de séries realizadas (3 versus 6) e separadas entre si por 7 dias. Em cada série do exercício de TF foram realizados 30 repetições divididas por 3 blocos de 10 repetições com uma carga correspondente a 80% da 10RM, 60% da 10 RM e 40% da 10 RM, respetivamente. Foram recolhidas imagens de termografia e ultrassonografia nos dois braços (controle e exercício) nos momentos antes e após o exercício, 24, 48 e 72 horas após exercício. Resultados: observou-se uma TSP significativamente (p<0,05) superior nos momentos 48 e 72h após, no braço de controle, no de exercício e na temperatura central medida no apêndice xifoide (TE). A diferença entre a temperatura do braço e a TE (TL-TE) foi com o uso de 6 séries significativamente superior (p=0,015, p<0,0001, braço de controle e exercício respectivamente) em relação ao uso de 3 séries quer no braço de controle (-1,05±0,60 Cº versus -1,73±0,82 Cº, 3 e 6 séries respectivamente) quer no braço de exercício (-0,93±0,17 Cº versus -1,71±0,90 Cº, 3 e 6 séries respetivamente). Em relação ao Edema Muscular, quando usado 6 séries, foram encontrados valores significativamente maiores nos momentos logo após, 24h e 48h após (p=0,001, p=0,004, p<0,0001, respetivamente). Conclusão: tendo como base os resultados do presente estudo parece que o uso de um maior volume (6 Séries) proporciona valores de TSP e de edema muscular superiores aos de 3 séries por um período até 72h e 48h, respectivamente. 72h parece não ser o suficiente para fazer com que todos os indicadores fisiológicos analisados voltem aos seus níveis basais.
Introduction: The resistance training (RT) variables, since the intensity of the loads, the number of repetitions and sets, the time rest between sets, the exercise order and the velocity of the movement were defined by the American College of Sports Medicine as important highlights to promote an effective RT to improve muscular hypertrophy. The manipulation of these variables allows different methodologies of RT as the Drop-sets. This methodology aims to improve muscular hypertrophy, however the physiologic and structural acute effects on the muscle related to the use of this methodology is still unclear. Being the muscular oedema (OM) and skin temperature (ST) muscular inflammation markers of the response of the muscle to the exercise, the aim of the present study was observed the acute volume effect of the performed the RT exercise biceps curl with dumbbells, organized in the drop-sets methodology in the recuperation of the ST and OM of the Biceps muscle Methods: Seventeen Caucasian men, with age between the 21 and 31 years old participated into two experimental sessions, with an interval of seven days between them, were performed the biceps curl with dumbbells RT exercise using the drop-set methodology. The sessions differed only on the volume of the exercise (3 versus 6 sets). In which set of the RT exercise were performed 30 reps, in blocks of ten repetitions, with 80%, 60% and 40% of the 10RM, respectively. The ST and the OM were analysing in the moments before, just after and 24h, 48h and 72h post exercise. Results: At moments 48 and 72 hours post exercise was observed a ST significantly (p<0,05) higher in control arm, exercising arm and in central temperature measured at xiphoid process (XP). There is a significantly difference (p=0,015 and p<0,0001, control arm and exercising arm, respectively) between arm temperature and XP temperature caused by using 6 sets. These differences were higher than 3 sets of drop-sets either in control arm (-1,05±0,60 Cº versus -1,73±0,82 Cº, 3 and 6 sets, respectively) or exercising arm (-0,93±0,17 Cº versus -1,71±0,90 Cº, 3 and 6 sets, respectively). Regarding to muscular oedema was found values significantly different at moments post, 24h and 48h (p=0,001, p=0,004, p<0,0001, respectively) when session was constituted by 6 sets. Conclusion: According to this study it is possible to know that an higher training volume (6 sets) provides ST and muscular oedema values upper than 3 sets up to 72 and 48 hours, respectively. In relation to the ST, 72 hours it is not enough to return to the basal values and in OM in both volumes used. Conclusion: According to this study it is possible to know that an higher training volume (6 sets) provides ST and muscular OM values upper than 3 sets up to 72 and 48 hours, respectively. Seventeen two hours appears not be enough to return all physiologic indicators analysed to basal values.
Descrição
Dissertação de Mestrado, Ciências do Desporto, Especialização em Atividades de Academia
Palavras-chave
Treino de força , Termografia , Dano muscular
Citação