Redes culturais e desenvolvimento local: a experiência da COMUM

Data
2007-07
Autores
Correia, Leonida Amaral Tomas
Rebelo, João Fernandes
Cristovão, Artur Fernando Arede Correia
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Cooperação interinstitucional, parcerias e redes são palavras-chave cada vez mais presentes nas dinâmicas de desenvolvimento de qualquer território ou sector de actividade. Trata-se, na essência, do estabelecimento de novos modelos de coordenação ou articulação entre actores, com objectivos diversificados, que se podem situar em domínios como o planeamento, a gestão de recursos, o fornecimento de serviços, a dinamização das organizações, a promoção da inovação e, em última análise, a criação de sinergias e a animação do desenvolvimento local. O sector da cultura não foge a este quadro, embora não abundem exemplos de Redes Culturais em Portugal. Num âmbito mais regional e local, surgem as chamadas Redes de Programação Cultural, sendo a COMUM – Rede Cultural um dos poucos casos. Esta Rede é uma parceria que funcionou entre Maio de 2004 e Abril de 2006, promovida pela Associação Cultural e Recreativa de Tondela e pelo Cine Clube de Viseu, integrando como parceiros sete autarquias da Região Centro de Portugal. Este paper debruça-se sobre a avaliação dos benefícios económicos e sociais da COMUM. Em termos de desenvolvimento económico, esta avaliação permitiu concluir por um efeito positivo sobre o aproveitamento de infra-estruturas culturais locais, o reforço da identidade e história colectiva da região, a formação cultural individual, a sociabilidade e a formação de novos públicos, dentro de uma óptica de transferência de benefícios inter-geracionais.
Descrição
Palavras-chave
Citação