Cardiomiopatia dilatada no cão: casos clínicos

Data
2017-04-04
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
A cardiomiopatia dilatada (CMD) é uma doença primária do miocárdio caraterizada por uma hipertrofia excêntrica progressiva e disfunção sistólica, sobretudo do ventrículo esquerdo. É uma das doenças cardíacas adquiridas mais comuns em cães. Afeta sobretudo cães de meia idade e de raças grandes e gigantes, sendo particularmente frequente em algumas delas. A etiologia é idiopática, mas sabe-se que existe uma componente genética no Doberman Pinscher, Dogue Alemão, Boxer, Wolfhound Irlandês, Terra Nova e Cão d’Água Português. A apresentação clínica é variável e pode existir uma fase assintomática longa antes do desenvolvimento de sinais clínicos de insuficiência cardíaca, durante a qual pode ocorrer morte súbita. O diagnóstico passa pela exclusão de outras doenças cardíacas ou com apresentações clínicas semelhantes, sendo a ecocardiografia um exame fundamental. O tratamento é sobretudo farmacológico e sempre paliativo, focando-se no controlo dos sinais clínicos e melhoria da qualidade de vida. O prognóstico é reservado a mau e o tempo de sobrevivência varia com vários fatores. Assim, este trabalho tem como objetivo o seguimento de casos clínicos de cães com CMD e a análise e interpretação dos sinais clínicos, exames complementares e tratamento realizado. Neste trabalho foram acompanhados 4 casos de CMD observados durante um estágio realizado no Hospital Veterinário Montenegro, entre agosto de 2014 e fevereiro de 2015. Todos os cães eram machos de meia idade e de raças grandes, incluindo um Doberman Pinscher, um Boxer e um Serra da Estrela. Um dos cães tinha CMD pré-clínica e os restantes apresentavam sinais de insuficiência cardíaca congestiva (ICC) esquerda ou bilateral, sendo os mais frequentes prostração, tosse e ascite. No exame físico foi detetado um sopro cardíaco, pulso fraco e arritmia em dois cães. As arritmias mais comuns foram fibrilhação atrial e complexos prematuros ventriculares. As principais alterações radiográficas foram cardiomegalia, edema pulmonar e ascite. O diagnóstico definitivo foi ecocardiográfico, através da confirmação do aumento das câmaras cardíacas e da presença de disfunção sistólica. Dois cães tinham síndrome do eutiroideu doente. O tratamento médico resultou numa melhoria clínica. Os tempos de sobrevivência foram curtos, embora apenas um cão tenha morrido devido à ICC, por interrupção do tratamento. Nestes cães foram observadas várias caraterísticas frequentemente associadas com CMD, tal como descrito na literatura.
Dilated cardiomyopathy (DCM) is a primary myocardial disease characterized by progressive ventricular dilation and systolic dysfunction, specially of the left ventricle. It’s one of the most common acquired heart diseases in dogs. It affects mostly middle-aged dogs and large and giant breeds, being particularly frequent in some of them. The etiology is idiopathic but it’s known that there is a genetic component in Doberman Pinscher, Great Dane, Boxer, Irish Wolfhound, Newfoundland and Portuguese Water Dog. Clinical presentation is variable and may exist a long assymptomatic phase before the development of clinical signs of heart failure, during which sudden death may occur. The diagnosis is made by excluding other cardiac diseases or diseases with similar clinical presentations, being echocardiography an essential exam. The treatment is mostly pharmacological and always palliative, focusing on controlling clinical signs and improving life quality. The prognosis is usually poor and survival time varies according to several factors. Therefore, the aim of this work is to follow clinical cases of dogs with DCM and analyze the clinical signs, diagnostic tests and performed treatment. In this work 4 cases of DCM, observed during an internship in the Hospital Veterinário Montenegro between August of 2014 and February of 2015, were followed. All dogs were middle-aged males from large breeds, such as Doberman Pinscher, Boxer and Estrela Mountain Dog. One had preclinical DCM and the others presented signs of left-sided or biventricular congestive heart failure (CHF), most commonly lethargy, cough and ascites. During physical examination two dogs had a heart murmur, weak pulse and arrhythmia. The most common arrhythmias were atrial fibrillation and premature ventricular complexes. The main radiographic abnormalities were cardiomegaly, pulmonary edema and ascites. Final diagnosis was made by echocardiography, through confirmation of cardiac chambers enlargement and presence of systolic dysfunction. Two dogs had simultaneously euthyroid sick syndrome. Medical treatment resulted in clinical improvement. Survival times were short, although only one dog died due to CHF, because the treatment was discontinued. In conclusion, these dogs displayed features commonly associated with DCM, as described in the literature.
Descrição
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
Palavras-chave
Cães , Cardiomiopatia dilatada , Fisiopatologia , Diagnóstico , Terapêutica
Citação