Trajetos de vida pós-reclusão: a reinserção social de pessoas que cumpriram penas de prisão

Data
2017
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
O objetivo deste estudo é investigar a história de vida de um grupo de pessoas que passaram um período da sua vida no estabelecimento prisional, transitando para uma fase de reinserção social. Definindo os handicaps característicos de uma população estigmatizada por uma vulnerabilidade marcada, pretende-se, ainda, obter, junto dos sujeitos da ação, os libertados condicionalmente e a sua perceção sobre a sua situação atual. Conceitos como crime, comportamentos desviantes, prisão, exclusão e reinserção social são o suporte para uma melhor compreensão da investigação. O que os levou a ter um comportamento delinquente? Como é a vida num estabelecimento prisional? Qual o percurso individual e familiar do sujeito? Quais as consequências da prisão nos indivíduos e relação com a família, a sociedade e o mercado de trabalho? Como ocorre a transição para a vida em liberdade após a saída do estabelecimento prisional? Quais os organismos de auxílio para a reinserção social? Deste modo, aqui são apresentadas algumas das questões às quais tentamos responder, recorrendo à metodologia qualitativa, através do auxílio de instrumentos como entrevistas semiestruturadas aos técnicos de reinserção social e ainda entrevistas que visam explorar a história de vida dos libertados condicionalmente. Percecionamos que o contexto social pode influenciar o seu carácter e comportamento e que, após o período de reclusão, as suas vidas ficam completamente marcadas. Percebemos, com o decorrer da investigação, que a presumível reinserção social plasmada no quadro penal português se baseia mais na teoria do que na prática, ideia corroborada pelas entrevistas efetuadas aos libertados condicionalmente. Apesar dos diversos obstáculos com que estes se deparam no seu dia-a-dia, não perdem, contudo, a esperança de terem uma vida melhor no futuro.
With this study I pretend to investigate the life story of a group of people who have gone through a period of their lives in prison, reaching a phase of social reintegration. By defining the characteristic handicaps of a stigmatized population by a remarkable vulnerability, we pretend also to acquire, through the subject of the action, the paroled, their perception about the procedure. Concepts such as crime, delinquency, prison, exclusion and social reintegration are the support for an approach to this research. What led them to have a delinquent behavior? How is life in prison? What are individual and family routes of the convicted? Which are the consequences of prison in individual and familial relationships, in society and labor market? How will be life in liberty after leaving prison? Which agencies can help to achieve social reintegration? Thus, here are some of the questions that we will try to answer using work instruments such as semi-structured interviews with probation officers and life events-orientated interviews to paroles. We intend to give to the people the opportunity, according to their experiences, telling their vision of the reality which they are experiencing. The social context that involves the person can influence character and behavior and that after having a delinquent behavior and go through the prisons, their lives are completely jeopardized. We realized with the present investigation that the alleged period of probation shaped by the Portuguese penal framework is based more in theory than in actual practice, according the results of the interviews. Regardless of many obstacles which individuals will have, they are still hoped with a better life in the future.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Serviço Social
Palavras-chave
Histórias de vida , Reinserção social , Prisão , Técnicos , Libertados condicionalmente
Citação