Interpretar o silêncio: os jardins zoológicos e o seu papel na sociedade atual

Data
2022-11-09
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Estamos perante uma crise global de biodiversidade, com taxas de extinção que se aproximam das grandes extinções identificadas no registo fóssil. Abordar e tentar inverter este problema é fundamental e deve ser considerado uma prioridade da população em geral. De facto, os parques zoológicos modernos, que ao longo do tempo transitaram de menageries para organizações ativamente envolvidas na conservação de animais selvagens, levam a cabo uma diversidade de atividades com o objetivo de combater esta crise. Estes têm uma capacidade imensurável para educar e divulgar a importância desta missão a milhões de pessoas. Estarão estes realmente a ser capazes de transmitir a sua missão não só a quem os visita, mas aos que não os apoiam de todo? Um olhar crítico sobre a opinião pública da população em relação a estas instituições está na base deste estudo, uma interpretação do silêncio existente entre os parques zoológicos e a população mundial, assim como do silêncio de quem não os visita. Ao longo deste trabalho, será possível compreender as perceções das pessoas sobre a missão final dos parques zoológicos, a sua configuração estrutural, o tratamento dos animais e a forma como os visitantes se relacionam com este ambiente, discutindo as implicações dos resultados para estas instituições. O objetivo deste estudo deriva da crescente preocupação ética em relação ao bem-estar animal e à necessidade de construir parques zoológicos modernos que satisfaçam os compromissos sociais e éticos da população, mantendo um número elevado de visitantes, o que lhes permite continuar com os seus programas de conservação. O estudo baseia-se nos resultados de um inquérito distribuído a uma amostra de conveniência de 581 participantes provenientes de 55 países, e revelou que não existe uma comunicação eficaz tanto com os seus visitantes quanto com os não visitantes acerca das suas funções enquanto apoiantes de projetos de conservação in situ e enquanto criadores de espécies nos seus estabelecimentos. Revela ainda que as opiniões acerca dos cuidados que os animais recebem nos parques zoológicos varia conforme a origem cultural do participante, o que já não foi observado nas opiniões relativas a sinalética, animais favoritos e questões relacionadas com a educação. Este estudo permite considerar que a origem cultural interfere com as perceções e expectativas relacionadas com estas instituições. A utilização de 7 clusters culturais destina-se a ajudar os parques zoológicos a colmatar lacunas de conhecimento, permitindo-lhes corresponder às exigências da população. As conclusões daqui retiradas são apenas preliminares e alertam para a necessidade da realização de estudos semelhantes, mais alargados e aprofundados.
We are facing a global biodiversity crisis, with extinction rates that are close to the great extinctions identified in the fossil record. Addressing and trying to reverse this problem is fundamental and should be considered a priority of the general population. In fact, modern zoological parks, which over time have transitioned from menageries to organizations actively involved in the conservation of wild animals, carry out a variety of activities aimed at combating this crisis. They have an immeasurable capacity to educate and spread the importance of this mission to millions of people. Are they really being able to convey their mission not only to those who visit them but to those who do not support them at all? A critical look at the public opinion of the population towards these institutions is the basis of this study, an interpretation of the silence that exists between zoological parks and the world population, as well as the silence of those who do not visit them. Throughout this work, it will be possible to understand people's perceptions of the ultimate mission of zoological parks, their structural configuration, the treatment of animals, and the way visitors relate to this environment, discussing the implications of the results for these institutions. The purpose of this study stems from the growing ethical concern regarding animal welfare and the need to build modern zoological parks that meet the social and ethical commitments of the population while maintaining a high number of visitors, which allows them to continue with their conservation programs. The study is based on the results of a survey distributed to a convenience sample of 581 participants from 55 countries and revealed that there is no effective communication with both their visitors and non-visitors about their roles as supporters of in situ conservation projects and as breeders of species in their establishments. It also reveals that opinions about the care animals receive in zoological parks vary according to the participant's cultural background, which was no longer observed in opinions regarding signage, favorite animals, and education-related issues. This study allows us to consider that cultural background interferes with perceptions and expectations related to these institutions. The use of 7 cultural clusters is intended to help zoological parks bridge knowledge gaps, allowing them to meet the demands of the population. The conclusions drawn here are only preliminary and alert the need for similar, more extensive, and in-depth studies.
Descrição
Relatório de Estágio de Mestrado em Medicina Veterinária
Palavras-chave
Conservação , Perceção pública
Citação