Solidão, stresse e emoções em tempos de pandemia

Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
O surgimento da pandemia e as principais medidas de combate à mesma implicaram uma mudança significativa na vida de todos os indivíduos. Desta forma, os sentimentos de solidão e stresse sofreram um aumento devido a vários aspetos como o isolamento social, impedindo os contactos entre família e amigos. O presente estudo analisa a relação entre stresse e solidão em irmãos e filhos únicos. A amostra foi constituída por 183 indivíduos com idades compreendidas entre os 18 e os 63 anos (M = 28.64; DP = 11.99). Para a recolha dos dados recorreu-se à Escala de Stresse Percebido - 10 (PSS), à Escala de Solidão Social e Emocional (SELSA-S) e a um questionário sociodemográfico. Os resultados indicaram que entre irmãos e filhos únicos não houve qualquer diferença na perceção de stresse e solidão. Relativamente ao stresse percebido foram verificados maiores níveis de stresse entre o sexo feminino e em quem estudou/trabalhou a partir de casa durante a pandemia. Por sua vez, no que concerne à solidão, não foram verificadas diferenças entre sexos e entre quem trabalhou/estudou a partir de casa. Os resultados sugerem ainda que as dimensões da solidão e o sexo feminino predizem positivamente o stresse percebido. Tendo em conta estes resultados, será importante trabalhar junto da população estratégias de enfrentamento para o stresse e solidão em altura pandémica.
The emergence of the pandemic and the main measures to combat it implied a significant change in the lives of all individuals. In this way, feelings of loneliness and stress have increased due to various aspects such as social isolation, preventing contacts between family and friends. The present study analyzes the relationship between stress and loneliness in siblings and only children. The sample consisted of 183 individuals aged between 18 and 63 years (M = 28.64; SD = 11.99). For data collection, we used the Perceived Stress Scale - 10 (PSS), the Social and Emotional Loneliness Scale (SELSAS) and a sociodemographic questionnaire. The results indicated that between siblings and only children there was no difference in the perception of stress and loneliness. Regarding perceived stress, higher levels of stress were found among females and those who worked/studied from home during the pandemic. About loneliness, there were no differences between genders and between those who worked/studied from home. The results also suggest that the dimensions of loneliness and female gender positively predict perceived stress. In view of these results, it will be important to work with the population coping strategies for stress and loneliness in a pandemic time.
Descrição
Dissertação apresentada à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro para efeitos de obtenção do Grau de Mestre em Psicologia Clínica
Palavras-chave
COVID-19 , stresse percebido
Citação