Impacto da COVID-19 nos hábitos de consumo alimentar das famílias portuguesas

Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
No final de dezembro de 2019, na China, reportaram-se os primeiros casos da doença por coronavírus (Covid-19), que rapidamente se disseminou por todo o mundo, originando milhões de infeções e diversos óbitos. Como forma de atuar contra os efeitos negativos causados por esta pandemia, vários países implementaram fortes medidas de prevenção e contenção, com restrições à vida diária dos indivíduos. Não obstante, estas medidas tiveram uma enorme repercussão na economia e no consumo dos indivíduos. A propagação rápida e acelerada da Covid-19 deixou o mundo inteiro em choque, e a sua ocorrência representa um acontecimento desconhecido e único, que gerou sentimentos de solidão, ansiedade, medo e até mesmo pânico, afetando as vidas e os hábitos de compra e de consumo das famílias. Assim, torna-se relevante estudar as mudanças que ocorreram na vida das pessoas, sobretudo, nos seus hábitos de consumo. Neste sentido, objetiva-se desenvolver uma melhor compreensão da procura de mercado direcionada ao setor do retalho alimentar num contexto definido pela pandemia de Covid-19. A presente investigação irá incidir sobre os produtos frescos, enlatados, congelados, bolachas e outros snacks, e fast-food/refeições pré-preparadas. Com a realização desta investigação pretende-se captar alterações que ocorreram nos comportamentos de compra, métodos de aquisição e hábitos de consumo alimentar de famílias portuguesas desde o surgimento da pandemia, bem como identificar determinantes da mudança no consumo, com o objetivo de contribuir para uma melhor adaptação das empresas do setor do retalho alimentar a estes novos hábitos, para assim satisfazerem da melhor forma os seus clientes. Para o efeito, foi seguida uma abordagem quantitativa econométrica, para uma amostra de 115 indivíduos portugueses. Os resultados sugerem que são visíveis alterações ao nível dos comportamentos de compra, métodos de aquisição e hábitos de consumo alimentar dos indivíduos. Em relação aos comportamentos de compra destaca-se uma redução considerável das quantidades adquiridas de produtos de fast-food/refeições pré-preparadas, um comportamento de aquisição de produtos alimentares via online, bem como a utilização dos pagamentos digitais como método de pagamento. Ao nível dos métodos de aquisição, evidencia-se a adoção dos serviços de entrega, sobretudo dos serviços de entrega ao domicílio. Quanto aos hábitos de consumo alimentar, destaca-se a não preocupação com a proveniência dos produtos alimentares, o aumento do consumo de produtos congelados e, de bolachas e outros snacks devido à sensação de segurança alimentar transmitida e, ao stress e ansiedade decorrentes da pandemia, respetivamente. Para além destas evidências, constata-se que o número de elementos do agregado familiar e o rendimento são, em geral, determinantes das alterações do consumo alimentar das famílias portuguesas.
In late December 2019, China reported the first cases of coronavirus disease (Covid19), which quickly spread worldwide, leading to millions of infections and several deaths. As a way to act against the negative effects caused by this pandemic, several countries implemented strong measures of prevention and containment, with restrictions on the daily lives of individuals. Nevertheless, these measures had a huge impact on the economy and on individuals' consumption. The rapid and accelerated spread of Covid-19 left the whole world in shock, and its occurrence represents an unknown and unique event, which generated feelings of loneliness, anxiety, fear and even panic, affecting the lives and buying and consumption habits of families. Thus, it becomes relevant to study the changes that occurred in people's lives, especially in their consumption habits. In this sense, we aim to develop a better understanding of market demand directed to the food retail sector in a context defined by the Covid-19 pandemic. This research will focus on fresh, canned, frozen, crackers and other snacks, and fast food/prepared meals. This research aims to capture the changes that have occurred in the purchasing behaviors, acquisition methods and food consumption habits of Portuguese families since the outbreak of the pandemic, as well as to identify determinants of change in consumption, in order to contribute to a better adaptation of companies in the food retail sector to these new habits, so as to better satisfy their customers. For this purpose, a quantitative econometric approach was followed for a sample of 115 Portuguese individuals. The results suggest that changes are visible in individuals' buying behaviors, acquisition methods and food consumption habits. Regarding purchasing behaviors, we highlight a considerable reduction in the amounts of fast-food/prepared meals purchased, an online food purchasing behavior, as well as the use of digital payments as a payment method. In terms of purchasing methods, the adoption of delivery services, especially home delivery services, stands out. As for food consumption habits, we highlight the lack of concern with the provenance of food products, the increased consumption of frozen products and of cookies and other snacks due to the feeling of food security transmitted and the stress and anxiety arising from the pandemic, respectively. In addition to this evidence, the number of household members and income are, in general, determinants of changes in the food consumption of Portuguese families.
Descrição
Esta investigação foi elaborada para obtenção do grau de Mestre em Ciências Económicas e Empresariais
Palavras-chave
Covid-19 , hábitos de consumo
Citação