Funcionamento familiar, regulação emocional e assertividade na adolescência

Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
O funcionamento familiar assume um papel dicotómico, protetor ou de risco, para o desenvolvimento emocional saudável do indivíduo. Este estudo visa analisar a relação entre o funcionamento familiar e a regulação emocional na adolescência. A amostra é constituída por 625 adolescentes de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 15 e os 20 anos. Usou-se o Systemic Clinical Outcome Routine Evaluation (SCORE-15) e a Escala de Dificuldades na Regulação Emocional (DERS) como instrumentos de avaliação. Os resultados indicam que os adolescentes que frequentam o ensino profissional e o sexo masculino é quem perceciona pior comunicação na família e maiores dificuldades familiares, e, genericamente, o sexo masculino perceciona maiores dificuldades na regulação emocional. Relativamente à relação entre o funcionamento familiar e a regulação emocional, verificou-se que os recursos familiares associam-se positivamente com as estratégias, a não-aceitação, os impulsos, os objetivos e a clareza e negativamente com a consciência; a comunicação na família associa-se positivamente com as estratégias, a não-aceitação, os impulsos, objetivos e a clareza e negativamente com a consciência e, por fim, as dificuldades familiares associam-se positivamente com as estratégias e negativamente com a consciência. Os resultados sugerem um efeito preditor do funcionamento familiar na regulação emocional. Parece, pois, necessário trabalhar com as famílias e adolescentes, com o objetivo de incrementar competências, e deste modo melhorar a sua regulação emocional. Este estudo assume relevância, pelas potenciais implicações para a intervenção com adolescentes e suas famílias.
Family functioning assumes a dichotomous, protective or risky role for the healthy emotional development of the individual. This study aims to analyze the relationship between family functioning and emotional regulation in adolescence. The sample consists of 625 adolescents of both sexes, aged between 15 and 20 years. The Systemic Clinical Outcome Routine Evaluation (SCORE-15) and the Scale of Difficulties in Emotional Regulation (DERS) were used as assessment instruments. The results indicate that adolescents who attend vocational education and males are those who perceive worse communication in the family and greater family difficulties, and, generally speaking, males perceive greater difficulties in emotional regulation. the relationship between family functioning and emotional regulation, it was found that family resources are positively associated with strategies, non-acceptance, impulses, goals and clarity and negatively with conscience; communication in the family is positively associated with strategies, non-acceptance, impulses, goals and clarity and negatively with conscience and, finally, family difficulties are positively associated with strategies and negatively with conscience. The results suggest a predictive effect of family functioning on emotional regulation. It therefore seems necessary to work with families and adolescents, with the aim of increasing skills, and thus improving their emotional regulation. This study assumes relevance, due to the potential implications for the intervention with adolescents and their families.
Descrição
Dissertação submetida à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro como requisito parcial para a obtenção do grau de mestre em Psicologia da Educação e do Desenvolvimento
Palavras-chave
funcionamento familiar , DERS
Citação