Estudo de anomalias e desequilíbrios genómicos numa coorte de indivíduos com infertilidade, dismorfias e/ou défice auditivo

Data
2022-06-20
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
A perda auditiva é a deficiência sensorial mais comum em humanos, pelo que afeta em todo o mundo cerca de 466 milhões de pessoas. Relativamente à sua etiologia, é uma condição que pode ser causada pela idade e por fatores genéticos ou ambientais. A perda auditiva genética ocorre maioritariamente em formas não-sindrómicas, apesar de vários síndromes estarem associados ao seu aparecimento. Estão descritos centenas de genes associados à patologia, e muitos deles podem causar formas dominantes e/ou recessivas de perda auditiva. Para além disso, algumas mutações apenas num gene podem levar a vários fenótipos diferentes, pelo que esta condição apresenta uma expressividade variável. Dada a sua elevada prevalência, e as consequências adversas que representa na vida dos seus portadores, a perda auditiva é uma condição que pode ser beneficiada com uma deteção e diagnóstico molecular precoces, permitindo um acompanhamento e tratamento clínico mais direcionados. Por este motivo, este trabalho teve como principal objetivo a implementação de um método de diagnóstico de perda auditiva num laboratório clínico, pelo que simultaneamente, representou uma análise populacional relativamente às variantes genéticas mais prevalentes nos pacientes testados. No total, foram analisadas 23 amostras de sangue provenientes de probandos com perda auditiva. Para a genotipagem destes pacientes todas as amostras foram analisadas através do painel SALSA® MLPA® Probemix P163-E1 GJB-WFS1-POU3F4. Dos probandos analisados, cinco (21,7%) mostraram a presença de anomalias genéticas associadas à patologia, sendo que em quatro deles foi possível estabelecer uma etiologia genética para o aparecimento da condição. Dois probandos apresentaram no seu genoma a presença da mutação c.35delG no exão 2 do gene GJB2 em homozigotia, sendo esta a variante mais frequentemente reportada em casos de perda auditiva autossómica recessiva em todo o mundo. Num outro probando, foi detetada a mesma variante em heterozigotia, pelo que não ficou estabelecida a etiologia da sua perda auditiva, uma vez que esta mutação apenas está associada a casos autossómicos recessivos. Esta variante foi também encontrada em heterozigotia composta com uma deleção dos genes GJB6 e CRYL1. Foi também detetado um alelo GJB2 mutado com a variante c.101T>C no exão 2 do gene em heterozigotia, que foi considerada como a causadora da patologia no probando, uma vez que a sua presença monoalélica está reportada em casos autossómicos dominantes. Em resumo, 90% dos alelos mutados detetados neste estudo dizem respeito ao gene GJB2, e a variante c.35delG mostrou ser a mais frequente. Apesar da pequena amostragem utilizada neste estudo, os resultados obtidos com este trabalho permitiram concluir que o painel de MLPA utilizado é eficaz na deteção de anomalias associadas à perda auditiva. Para além disso, deste trabalho resultaram dados que contribuem para uma melhor caraterização da população portuguesa, relativamente às causas genéticas para o aparecimento de perda auditiva.
Hearing loss is the most common sensory impairment in humans, affecting around 466 million people worldwide. Regarding its etiology, it is a condition that can be caused by age and genetic or environmental factors. Genetic hearing loss occurs mostly in non-syndromic forms, although several syndromes are associated with its emergence. Hundreds of genes associated with the pathology are described, and many of them can cause dominant and/or recessive forms of hearing loss. Furthermore, some mutations in just one gene can lead to several different phenotypes, which gives variable expressiveness to this condition. Given its high prevalence, and the adverse consequences it represents in the patients’ lives, hearing loss is a condition that can benefit from early detection and molecular diagnosis, allowing for more targeted clinical follow-up and treatment. For this reason, the main goal of this work was the implementation of a method for diagnosing hearing loss in a clinical laboratory, which simultaneously represented a population analysis regarding the most prevalent genetic variants in the patients tested. In total, 23 blood samples from probands with hearing loss were analyzed. For the genotyping of these patients, all samples were analyzed using the SALSA® MLPA® Probemix P163-E1 GJB-WFS1-POU3F4 panel. Of the analyzed probands, five (21.7%) showed the presence of genetic anomalies associated with the pathology, and in four of them it was possible to establish a genetic etiology for the onset of the condition. Two probands showed in their genome the presence of the c.35delG mutation in exon 2 of the GJB2 gene in homozygosity, which is the most frequently reported variant in cases of autosomal recessive hearing loss worldwide. In another proband, the same variant was detected in heterozygosity, so the etiology of its hearing loss has not been established, since this mutation is only associated with autosomal recessive cases. This variant was also found in compound heterozygosity with a deletion of the GJB6 and CRYL1 genes. A mutated GJB2 allele with the c.101T>C variant in exon 2 of the gene was also detected in heterozygosity, which was considered to cause the pathology in the proband, since its monoallelic presence is reported in autosomal dominant cases. In summary, 90% of the mutated alleles detected in this study concern the GJB2 gene, and the c.35delG variant proved to be the most frequent. Despite the small sampling used in this study, the results obtained with this study allowed us to conclude that the MLPA panel used is effective in detecting anomalies associated with hearing loss. In addition, this work resulted in data that contribute to a better characterization of the portuguese population, regarding the genetic causes for the appearance of hearing loss.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Genética Molecular Comparativa e Tecnológica
Palavras-chave
Perda auditiva , Etiologia
Citação