Obesidade em répteis

Data
2022-06-20
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
A informação disponível sobre a obesidade em répteis em contexto clínico é escassa, mas reveste-se de grande interesse por se tratar de uma doença frequente, que, juntamente com os problemas concomitantes (como a lipidose hepática), é uma causa comum de morbilidade e mortalidade. Esta revisão bibliográfica tem como objetivo compilar o conhecimento sobre esta matéria recorrendo aos diversos ramos da ciência que estudam os répteis, de forma a proporcionar uma visão geral dos fatores que contribuem para o desenvolvimento da obesidade neste grupo de animais. A maior parte da informação descrita refere-se a espécies particulares mas a generalização da mesma e, a sua aplicação a outras espécies semelhantes, é uma ferramenta necessária perante a paucidade de bibliografia sobre esta temática que está disponível para répteis. A obesidade é uma doença multifatorial e o seu desenvolvimento nos répteis depende de fatores como a taxonomia da espécie, o estado fisiológico do animal, a composição da dieta, a frequência das refeições, as variáveis ambientais, o enriquecimento ambiental, as expectativas e interação com o tutor, entre outros. O balanço energético positivo, mantido a longo prazo, leva à acumulação de tecido adiposo e resulta na obesidade. O diagnóstico da obesidade pode ser difícil in vivo por ainda existirem poucas ferramentas que permitam uma avaliação fidedigna da composição corporal das diferentes espécies. Assim, baseia-se sobretudo na avaliação física mas também na história do animal, no acompanhamento do mesmo a longo prazo e nas condições de maneio relatadas pelo tutor. A prevenção é a melhor forma de combater a obesidade. A educação do tutor sobre a fisiologia básica da espécie, as suas necessidades e o maneio adequado é determinante para a manutenção de um balanço energético saudável para o animal. Pode ser difícil para o médico veterinário traçar um plano de perda de peso com a informação atualmente disponível, mas existem algumas ferramentas como as estimativas de necessidades energéticas, as pesagens regulares, a indução da brumação, o enriquecimento ambiental, a calendarização das refeições, entre outras, que com o acompanhamento constante e os ajustes necessários, permitem colocar o animal no caminho para uma perda de peso gradual e saudável.
The information available about obesity in reptiles in a clinical setting is scarce, but it carries great interest, for it is a common disease that, along with secondary problems (for example hepatic lipidosis), is a frequent cause of morbidity and mortality. This bibliographic review has the objective of gathering the knowledge available from different scientific branches that study reptiles, to provide a holistic approach on the factors that contribute to the development of obesity in these animals. Most of the information currently accessible refers to specific species, but its generalization, and its application to other species, is a necessary approach considering the scarcity of literature available about obesity in reptiles. Obesity is a multifaceted disease, and its development depends on various factors such as taxonomy, the physiological state of the animal, diet formulation, feeding frequency, environmental conditions, environmental enrichment, the owner’s expectations and interactions with the animal, among others. A positive energetic balance leads to the accumulation of adipose tissue and, in the long run, results in obesity. Obesity can be difficult to diagnose in vivo, seeing as there are still few tools available that allow a reliable assessment of body condition in the various species. It relies mostly on the history of the animal, the conditions provided by the owner, and the monitoring of the patient on the long run. Prevention is the best way to fight obesity. The owner’s knowledge about the basic physiology of the species, its needs and the appropriate care are key to maintain the animal in a healthy energy balance. It may be difficult for the veterinarian to formulate a weight loss program with the information currently available, but there are a few tools, such as regular weightings, gross energetic needs estimates, the encouragement of brumation, environmental enrichment, feeding schedules, among others, that, with constant monitoring and the necessary adjustments, help put the animal on the right path to a gradual and healthy weight loss.
Descrição
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
Palavras-chave
Obesidade , Répteis
Citação