Extremos da precipitação e impactes no balanço energético em Portugal

Data
2014-08-28
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Portugal é um país com elevado potencial energético renovável. Contudo, os fatores meteorológicos podem condicionar a utilização e o aproveitamento dos recursos renováveis. A forte variabilidade interanual, sazonalidade e irregularidade da precipitação tem como consequência inúmeros impactes diretos e indiretos na gestão de recursos hídricos, tal como a produção de energia. Este trabalho tem como objetivo relacionar a ocorrência de extremos da precipitação com a produção de energia renovável (hídrica, eólica e fotovoltaica) em Portugal continental, para o período entre 1998-2012 (15 anos). O objetivo principal é avaliar de que forma estes extremos contribuem para o balanço da produção de energia elétrica. Para este efeito, utilizam-se séries de precipitação (Bragança, Lisboa e Beja – 1989 a 2012) de dados provenientes do projecto European Climate Assessment & Dataset (ECA&D) e séries de produção de energia disponibilizadas pela Direção Geral de Energia e Geologia. Foram também realizados compósitos a partir de reanálises do NCEP/NCAR (National Centers for Environmental Prediction/ The National Center for Atmospheric Research) de forma a caracterizar o fluxo atmosférico a larga escala nos anos extremos. Analisou-se também o impacto da Oscilação do Atlântico Norte (NAO) e do Atlântico Este (EA) na produção de energias renováveis. Os resultados do estudo destacam o papel fundamental desempenhado pela precipitação sobre a produção de energia renovável em Portugal. Foram obtidos valores de correlação positivos e estatisticamente significativos entre a precipitação e a produção de energia hídrica e eólica. Os anos chuvosos revelam um aumento de produção de energia renovável em cerca de 60% em relação aos anos secos. Tendo em conta as projeções climáticas para as próximas décadas em Portugal, esta dependência energética com a precipitação torna o setor das energias em Portugal particularmente vulnerável às alterações climáticas.
Although Portugal has high renewable energy potential, inter-annual climate variability can significantly constrain the use and exploitation of renewable resources. The strong inter-annual variability, seasonality and irregularity of precipitation lead to direct and indirect impacts on water resources management, such as on energy production. The present study relates anomalously dry/wet years to the production of renewable energy (hydro, wind and photovoltaic) in Portugal over the period 1998-2012 (15 years). The main objective is to assess the role of these extreme years on the national power production budget. For this purpose, precipitation time series recorded at three weather stations (Bragança, Lisbon and Beja – 1989 to 2012), provided by European Climate Assessment & Dataset project (ECA&D), and energy production series, from Direção Geral de Energia e Geologia, are used. Several atmospheric variables from the National Centers for Environmental Prediction/ The National Center for Atmospheric Research (NCEP/NCAR) reanalysis, are composited in order to characterize the large-scale atmospheric flow in the extreme years. The connections to the North Atlantic (NAO) and East Atlantic (EA) oscillations in the production of renewable energy are also assessed. The results highlight the key role played by precipitation on the total renewable energy production in Portugal, which is significantly and positively correlated with hydropower and wind power productions. In the annual renewable energy production, the wet years reveal an increment of 60% with respect to the dry years. Given the climate projections for the coming decades in Portugal, this energetic dependence with precipitation makes the energy sector in Portugal particularly vulnerable to climate change.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Engenharia do Ambiente
Palavras-chave
Energias renováveis , Energia hídrica , Extremos de precipitação , Forçamento atmosférico
Citação