Efeitos do uso da linguagem própria dos ambientes virtuais na utilização da norma escrita padrão nas escolas

Data
2011
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
A língua é o recurso mais utilizado no espaço digital para navegar e comunicar, embora seja usada em diferentes variedades linguísticas consoante os contextos, os destinatários e as ferramentas utilizadas. Todas as variedades cumprem uma importante função social, já que elas são, antes de mais, um meio de partilha, de conversação e de compreensão quer seja em situações reais, quer seja nas comunidades virtuais. Em virtude do acelerado avanço tecnológico e do acesso cada vez mais facilitado aos telemóveis e à Internet, os jovens passaram a dedicar mais tempo a escrever mensagens eletrónicas e a manter conversações nas redes sociais. Esta alteração de comportamento trouxe inovações à forma de comunicar e aos níveis de língua utilizados nestas interações verbais, decorrendo grande parte destas alterações dos avanços tecnológicos que têm vindo a ser disponibilizados com o acesso cada vez mais facilitado ao chamado ciberespaço. Com o nosso estudo, procurámos conhecer a frequência do acesso dos nossos estudantes aos ambientes virtuais e o tipo de linguagem por eles utilizada no chat para demonstrar se esta nova forma de escrita tem implicações na utilização da língua padrão na sala de aula. Depois de caracterizarmos esse tipo de linguagem (também chamada de SMS) utilizado no chat, no Messenger e em blogues, concluímos que é uma variedade linguística que está mais próxima da oralidade do que da escrita, em virtude das suas especificidades ortográficas, lexicais e sintáticas muito semelhantes às das situações de comunicação em presença. Estas características decorrem do meio e do processo de propagação das mensagens, regido pela necessidade de economia e de rapidez. Metodologicamente, a investigação teve duas etapas. Começámos por efectuar um levantamento das características da linguagem utilizada pelos alunos nos ciberespaços de conversação, usando uma metodologia de análise do conteúdo, a fim de efetuarmos uma categorização de possíveis irregularidades ou desvios linguísticos e paralinguísticos, pesquisando marcas reveladoras da transposição de práticas comuns na comunicação em ambiente virtual para situações de comunicação escrita mais tradicionais. Numa segunda fase, foi feita a recolha dos dados através da aplicação de um questionário a uma amostra constituída por 290 alunos. Foi, ainda, solicitada uma produção textual, em sala de aula, aos mesmos sujeitos inquiridos de forma a permitir uma análise da qualidade da escrita dos textos compositivos em correlação com as variáveis em estudo. Apesar do uso bastante frequente das redes sociais por parte da grande maioria dos alunos pesquisados (a taxa de utilização é de 90,3 %), os resultados mostraram-nos que as práticas de escrita em ambientes virtuais não tiveram repercussões assinaláveis na utilização da norma padrão. Os resultados estatísticos permitiram-nos, também, inferir que a adequação da linguagem ao meio é fundamental para a apropriação e aperfeiçoamento de diferentes níveis de escrita de acordo com a situação de comunicação. No seguimento destas conclusões, terminamos refletindo sobre a importância de adequar os diferentes níveis de formalidade da escrita à situação de comunicação, real ou virtual, a fim de minimizar a ocorrência de irregularidades ortográficas, sintáticas e lexicais nas produções escritas dos nossos alunos. Finalmente, tecemos algumas considerações sobre o contributo dos novos recursos e ferramentas tecnológicas, quando colocados ao serviço das metodologias de ensino da Língua Portuguesa.
Language is the most used tool in the digital space to navigate and communicate, even though it is used in different language varieties depending on contexts, recipients and the tools used. All varieties fulfill an important social function, as they are, first and foremost a means of sharing, conversation and understanding whether in real situations, whether in virtual communities. Due to the rapid technological development and the increasingly easy access to mobile phones and the Internet, young people spend more and more time writing electronic messages and talking on social networks. This change in behavior brought innovations to the way of communicating and to the levels of language used in these verbal interactions, these changes result primarily from the technological development which has been granting an easy access to the so called cyberspace. In our study, we tried to know the frequency of our students access to virtual environments and the kind of language they use to chat (virtual rooms and softwares which are used to talk with people online) to show whether this new form of writing has implications in the use of standard language in the classroom. After characterizing such language (also called SMS) used to chat on Messenger, blogs and social networks, we conclude that it is a linguistic variety which is closest to the oral language than to writing because of their specific orthographic, lexical and syntactic. These features result from the environment and the process of spreading these messages, governed by the need for economy and speed. Methodologically, the investigation had two stages. We started with a survey of the characteristics of the language used by students in cyberspace conversation, using a methodology of content analysis in order to make a categorization of possible irregularities or deviations from linguistic and paralinguistic, searching for telltale marks of the transition of common practices in a virtual communication environment to the traditional written communication. In a second phase, we made the collection of data by applying a questionnaire to a sample of 290 students. It was also requested a textual production, in the classroom, subject to the same respondents in order to allow an analysis of the quality of the writing in connection with the variables in the study. Despite the very frequent use of social networks by the vast majority of students surveyed (the utilization rate is 90,3%), the results showed us that the practices of writing in virtual environments didn‟t have remarkable implications in the use of standard language. The statistical results allowed us to also infer that the adequacy of the language to the environment is essential to the development of different levels of writing according to the communication situation. Following these findings, we ended up reflecting on the importance of matching the different levels of formality of written communication to the situation, real or virtual, to minimize the occurrence of irregularities orthographic, syntactic and lexical production in the writings of our students. Finally, we have made some considerations about the contribution of the new technological tools and resources when placed at the service of teaching methodologies of the portuguese language.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Comunicação e Tecnologia Educativas
Palavras-chave
Ambientes virtuais , Ciberespaço , Variedades linguísticas , Norma padrão , Linguagem SMS , Níveis de escrita , Messenger , Blogue
Citação