Erosão hídrica na bacía hidrográfica da ribeira da Meia Légua

Data
2009
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Na presente dissertação, avalia-se a erosão hídrica na bacia hidrográfica da ribeira da Meia Légua. A bacia localiza-se no extremo Sul do distrito de Vila Real (Norte de Portugal) e a ribeira é um tributário do Rio Douro. A bacia cobre cerca de 18.3 km2 de uma região declivosa (declive > 24% em grande parte da área), com precipitações moderadas a elevadas (1200 – 1500 mm•ano1), sendo predominantemente ocupada por vinhas plantadas em terraços construídos sobre solos derivados de metassedimentos do Complexo Xisto-Grauváquico. O fenómeno erosivo foi estudado considerando-se o efeito dos diversos factores envolvidos: clima, relevo, propriedade dos solos, cobertura vegetal e práticas de conservação. As perdas anuais no interior da bacia foram quantificadas pela Equação Universal das Perdas do Solo (EUPS) e o risco de erosão pela comparação entre as perdas actuais associadas a cada tipo de solo e as perdas toleráveis correspondentes. Em ambos os casos, recorreu-se a Sistemas de Informação Geográfica. Verifica-se, para cerca de metade da área da bacia, que as perdas de solo por erosão hídrica são relativamente baixas, não ultrapassando as 4 ton•ha1•ano1. No entanto, existem sectores, ocupando mais de 1/5 da área, onde as perdas são assinaláveis (> 15 ton•ha1•ano1), estando intimamente ligadas a declives acentuados (> 18%). As áreas sujeitas a risco de erosão, pelo facto das perdas actuais serem superiores às perdas toleráveis, cobrem cerca de 5.2 km2 (28.2% da bacia). As vinhas, que constituem o uso dominante no interior da bacia, ocupam cerca de 10 km2 de áreas sem risco de erosão e 3.7 km2 de áreas com risco de erosão. A não implementação de práticas de conservação nas áreas de vinha (construção de patamares) resultaria num aumento muito significativo das áreas sujeitas a risco de erosão. O fenómeno erosivo exerce influência directa e significativa sobre instabilidades observadas em várias centenas de muros de suporte aos patamares da vinha.
In the present dissertation, hydric erosion within the hydrographic basin of Meia Légua stream is evaluated. The basin is located in the easternmost part of the Vila Real district (North of Portugal) and the stream is a tributary of the Douro River. The basin covers approximately 18.3 km2 of a steep slope region (slope > 24% in most of the area), with moderate to high rainfall (1200 – 1500 mm•y1), being predominately occupied by vineyards planted on terraces built over soils derived from metassediments of the Schist and Greywacke Complex. The assessment of erosion accounted for the effect of all factors involved: climate, relief, soil properties, vegetation cover, and conservation practices. The annual losses of soil within the basin were quantified by the Universal Soil Loss Equation (USLE) and the erosion risk by comparing the actual losses affecting each soil type with the corresponding tolerable losses. In both cases, Geographic Information Systems were used. It is observed, for half of the basin’s area, that soil losses by hydric erosion are relatively small, not exceeding 4 ton•ha1•y1. However, there are sectors, occupying more than 1/5 of the basin, where the losses are noticeable (> 15 ton•ha1•y1), being intimately related to steep slopes (> 18%). The areas subject to erosion risk, because the actual losses are greater than the tolerable losses, cover 5.2 km2 (28.2% of the basin). The vineyards, which are the dominant use within the basin, occupy around 10 km2 of areas with no erosion risk and 3.7 km2 of areas with erosion risk. If conservation practices (construction of terraces) had not been implemented, then the areas subject to erosion risk would be larger. The erosion phenomenon has a direct and significant influence on instabilities observed at several hundreds of stone walls supporting the vineyard terraces.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Engenharia do Ambiente
Palavras-chave
Bacia hidrográfica , Ribeira da Meia Légua (Vila real, Portugal) , Erosão hídrica , Sistema de Informação Geográfica (SIG)
Citação