Perceção da qualidade de vida em adolescentes (10-12 anos) de ambos os géneros. Influência da aptidão física e da atividade física

Data
2014-08-28
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Os estudos que examinam a influência das componentes da aptidão física e da atividade física na qualidade de vida de adolescentes são ainda limitados na literatura, restringindo-se muitos deles ao uso do índice de massa corporal e à análise destas variáveis em indivíduos portadores de patologias específicas. A presente investigação procurou examinar o peso relativo da aptidão física e da atividade física na variação da qualidade de vida de raparigas e rapazes de 10-12 anos, nas suas distintas dimensões (bem-estar físico, bem-estar psicológico, autonomia e relação com os pais, suporte social/grupo de pares e ambiente escolar). Foi também examinado o nível de associação e as diferenças de perceção de qualidade de vida dos adolescentes e dos seus pais/cuidadores em relação aos primeiros. A amostra incluiu 83 rapazes e 84 raparigas. Os questionários Kidscreen 27 e de Baecke foram utilizados, respetivamente, na avaliação da qualidade de vida e da atividade física habitual. O índice de massa corporal (kg/m2) foi classificado de acordo com os critérios definidos por Cole et al (2000) e o perímetro da cintura foi classificado de acordo com os critérios estabelecidos pelo International Diabetes Federation (2007). Os testes do FitnessGram (vaivém, senta e alcança, e abdominais) foram empregues na apreciação da aptidão aeróbia e muscular e a análise estatística incluiu testes t para amostras independentes e análises de regressão múltipla stepwise. Foi considerado um grau de significância estatística de 5%. A maioria da amostra revelou a ausência de excesso de peso (84,4%) e de adiposidade central elevada (97%), expondo as raparigas, comparativamente aos rapazes, menores níveis de atividade física e um desempenho inferior nos testes vaivém (-12,63 percursos) e de apreciação da força e resistência abdominal (-5,98 repetições). Por outro lado as raparigas apresentam melhores níveis de flexibilidade inferior em comparação com os rapazes. A investigação evidenciou que a adiposidade central não influencia a qualidade de vida dos adolescentes, mas os rapazes mais gordos apresentam um comprometimento das dimensões suporte social/grupo de pares, bem-estar psicológico e bem-estar físico. A atividade física revelou-se o preditor mais importante na variação dos vários itens da qualidade de vida em ambos os géneros, com particular ênfase no masculino, onde para além do bem-estar físico e do ambiente escolar, sobressai a influência no bem-estar-psicológico e na autonomia e relação com os pais. Os adolescentes com melhores níveis de aptidão aeróbia apresentaram um menor bem-estar psicológico, sendo esta dimensão da qualidade de vida nos rapazes influenciada também pela força e resistência abdominal. As raparigas mais flexíveis exibiram uma melhor autonomia e relação com os pais. O estudo apontou ainda correlações positivas e significativas entre a perceção da qualidade de vida dos adolescentes e dos pais/cuidadores em relação aos primeiros, particularmente em relação ao bem-estar físico e psicológico, com diferenças mais vincadas nos rapazes. Os resultados emanados da presente investigação salientam a importância da prática de atividade física na qualidade de vida dos adolescentes e do controlo dos níveis de adiposidade nos rapazes. Nas idades consideradas, a aptidão aeróbia nos dois géneros e os níveis de força e resistência abdominal nos rapazes exibem uma relação inversa com o bem-estar psicológico. As diferenças de perceção da qualidade de vida entre pais/cuidadores e filhos são mais evidentes no género masculino.
The studies that examine the influence of the components of physical fitness and the physical activity on the adolescent´s quality of life are still limited on literature, most of them restricted to the use of corporal mass indices and to the analysis of these variables in people porter of specific pathologies. The present investigation looked to examine the weight corresponded of physical fitness and the physical activity on the variation the quality of life on girls and boys of 10 - 12 ages in the different dimensions (physical well-being, psychological well-being, autonomy and parent relations, social support and peers, and school environment). It was also examined the level of association and the differences of quality of life’s perception from the adolescents and from their parents/diligent in connexion to the firsts mentioned. The sample included 83 boys and 84 girls. The Kidscreen-27 and the Baecke questionnaires have been used, respectively, on the valuation of life´s quality and the usual physical activity. The body mass index (kg/m2) was classified according with the criterions established for Cole et al (2000) and the waist circumference was classified according with the criterions established by International Diabetes Federation (2007). The FitnessGram tests (20-m suttle run test, sit and reach, and abdominals test) were engaged on the appreciation of aerobic and muscular fitness and the statistical analysis included t tests for independent samples and to analysis of multiple stepwise regression. It was considered a significance statistic grade of 5%. The sample majority has revealed the absence of excess of weight (84,4%) and absence of high central fatness (97%), exposing girls comparatively with boys, lowers physical activity levels and a lower performance (p≤0,05) in the coming and going tests (-12,63 courses) and of force and abdominal resistance appreciation (-5,98 repetitions). Furthermore the girls have better levels of lower flexibility compared with boys. The investigation has evidenced that the central fatness does not influence the adolescents´ quality of life, but the fatter boys presents an engagement on the dimensions social support and peers, psychological well-being and physical well-being. Physical activity has revealed as the most important predictor on the variation of various quality of life items in both sorts, with particular emphasis in the masculine sort, where beyond the physical well-being and the school environment, the influence is standing out the psychological well-being and autonomy and parent relations. The adolescents with better aerobic fitness levels exhibits a lower psychological well-being, being this dimension of quality of life on boys influenced also by the force and abdominal resistance. Girls more flexible exhibited a better autonomy and parent relations. The study pointed too out positive and significative correlations between the quality of life´s perception of the adolescents and the parents/diligent related with the firsts, particularly in connexion to the physical and psychological well-being, with more emphasis in boys. The results emanated from the present investigation point out the importance on physical activity practice on adolescents´ quality of life and the fatness levels control on boys. On the considered ages, the aerobic fitness in both sorts (boys and girls) and the levels of force and abdominal resistance in boys exhibit an inverse relation with psychological well-being. The differences on quality of life perception between parents/diligents and Childs are more obvious in masculine sort.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Ensino de Educação Física, nos Ensinos Básico e Secundário
Palavras-chave
Qualidade de vida , Adolescentes , Aptidão física , Atividade física
Citação