The Impact of a Hybrid Sport Education: Invasion Games Competence Model Soccer Unit on Students’ Decision Making, Skill Execution and Overall Game Performance

Data
2010
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Este estudo pretendeu aferir o impacto da aplicação de uma unidade de ensino híbrida na aprendizagem do futebol, nomeadamente na tomada de decisão, na execução motora e na performance em jogo. A unidade de ensino de futebol aplicada inseriu-se na cultura desportiva do Modelo de Educação Desportiva e sustentou as suas tarefas de aprendizagem no Modelo de Competência dos Jogos de Invasão. Participaram no estudo 26 alunos (uma turma completa) do 5.o ano de escolaridade (17 raparigas e 9 rapazes) numa temporada de futebol com a duração de 22 aulas. O pré-teste e os dois pós-testes (1 e 2, imediatamente após a unidade de ensino e teste de retenção, uma semana depois, respectivamente) foram aplicados para avaliar a tomada de decisão, a execução motora e a performance global de jogo dos alunos, antes e após a aplicação da unidade de ensino, respectivamente. O instrumento de observação aplicado foi o de Blomqvist, Vantinen & Luhtanen (2005). Os resultados obtidos mostraram que esta unidade de ensino ofereceu aos estudantes a oportunidade para melhorarem a sua performance de jogo, nomeadamente ao nível da execução das habilidades motoras, da tomada de decisões tácticas e no desempenho geral do jogo. A estrutura das tarefas da unidade influiu particularmente na performance dos alunos ao nível da tomada de decisão e nas categorias relacionadas com esse domínio, nomeadamente no somatório das decisões sem bola e nas decisões defensivas sem bola, onde todos os alunos melhoraram significativamente. Todavia, as variáveis género e nível de habilidade interferiram nos resultados das aprendizagens. Os resultados dos pós-testes (1 e 2) mostraram que o impacto do programa foi particularmente determinante nas aprendizagens das raparigas e dos alunos com níveis menores de habilidade. De facto, as diferenças verificadas na avaliação inicial, quer em função do género quer em função do nível de habilidade, desapareceram quase na totalidade com os progressos mais acentuados das aprendizagens das raparigas e dos alunos de baixo nível de habilidade. Contrariamente, o impacto da unidade foi menor nos rapazes e nos alunos de nível de habilidade medio e elevado, uma vez que não melhoraram a sua performance na execução motora global e ofensiva e nas decisões com bola. Vários aspectos podem explicar estes resultados. A estrutura das tarefas pode ter limitado melhorias adicionais nos alunos de desempenho motor superior, pois estas proporcionaram aos menos capazes melhores condições para progredirem nas aprendizagens. Adicionalmente, os diferentes níveis de habilidade dos alunos a entrada da unidade poderão ter delimitado as suas aprendizagens, uma vez que o elevado nível técnico inicial dos alunos mais hábeis poderá ter circunscrito as suas melhorias. Em oposição e possível que os baixos níveis na performance motora a entrada da unidade tenham aberto um caminho mais alargado para melhorias aos alunos menos hábeis. Contudo, no final da unidade de ensino, os alunos mais proficientes mantiveram uma performance elevada na tomada de decisão com bola e na execução das habilidades. Neste estudo, um achado particularmente importante foi o facto do pós-teste 2 (teste de retenção) se ter revelado crucial para se aferirem os ganhos dos alunos, porquanto 45% dos ganhos totais ocorreram do pré-teste para o pós-teste 2. Através do teste de retenção foi igualmente possível concluir que a tomada de decisão e uma componente estratégica na qual os alunos tem uma elevada margem de progressão, pois as melhorias nesta categoria continuaram a evidenciar-se do pós-teste 1 para o pós-teste 2. Os resultados deste estudo sustentam a crença de que a investigação deve centrar-se mais frequentemente na estrutura das tarefas de aprendizagem das unidades de ensino. No momento de organização das unidades de ensino, os professores devem ter em conta os diferentes níveis de habilidade dos alunos, de modo a proporcionar a todos iguais oportunidades para melhorarem a sua performance em jogo. Assim, as tarefas devem assistir os alunos em transição para formas de desempenho táctico mais sofisticadas e do mesmo modo assegurar as necessidades dos menos hábeis. Nesta condição, o desempenho táctico com e sem bola deve ser valorizado, sem contudo, se negligenciar o desempenho técnico que pode ser melhorado através das formas básicas de jogo.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Ensino da Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário
Palavras-chave
Ensino do futebol , Modelo de educação desportiva , Modelo de competência dos jogos de invasão , Unidade de ensino híbrida , Tomada de decisão , Execução motora , Performance em jogo
Citação