A aprendizagem organizacional nos serviços públicos de saúde e de transporte coletivo urbano de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Data
2017
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Esta tese tem por objetivo compreender a aprendizagem organizacional nas práticas de gestão dos serviços públicos de saúde e de transporte coletivo urbano, tendo como campo de estudo os serviços locais do Município de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. As abordagens bibliográficas sobre aprendizagem organizacional têm sido de crescente interesse no tema, tanto pelo desejo acadêmico de entender em que medida a formação inicial, a formação complementar e a experiência profissional contribuem para a qualificação das práticas de gestão, quanto à adoção destas no ambiente organizacional. É um construto coletivo, resultante de ações conscientes de trabalho e experiências vivenciadas pelos diversos atores que participam e interagem no ambiente das organizações. Dada à relevância histórica de implementação do Sistema Único de Saúde/SUS que teve como um dos cenários, o Projeto Montes Claros (década de 1970), a participação no Projeto Larga Escala (1980 e 1990), iniciativas pioneiras no processo de universalização da sáude no país e, a função que desempenha o município ao ser classificado pólo macrorregional, busca- se discutir em que medida os processos de serviços de saúde apropriam-se dos conhecimentos e saberes formais e informais e constituem-se em aprendizado organizacional. Montes Claros conta com uma população de 370.000 habitantes aproximadamente e circulante em torno de 50.000 que residem na região do norte de Minas Gerais e sul da Bahia e, é o segundo maior entroncamento rodoviário do país, portanto intensa mobilidade urbana. A circulação e a acessibilidade no espaço público constitue necessidade e direito essencial e é de responsabilidade do Estado, cujos serviços são também regulados e normatizados por legislação específica, para o cumprimento de metas e prestação de contas dos gastos públicos. Verifica-se uma convergência entre ambos os setores, enquanto prestadores de serviço à população, no cumprimento do direito constitucional social de acesso à saúde e a mobilidade, com similaridades para a concessão e funcionamento dos serviços, sob a tutela do Estado, mediante pactuações e normatizações, ao mesmo tempo em que divergem quanto aos seus processos e natureza das atividades que a compõem, seja pelo contingente de seus atores, seja pelo ambiente em que atuam. Neste cenário, coloca-se o presente estudo, observadas as práticas no serviço público e a adoção de ferramentas gerenciais no exercício de suas funções, num modelo de gestão governamental, onde os decisores atuam sob o componente político, económico e social. A análise é exploratória acerca das competências organizacionais, através de estudo bibliográfico e investigação de campo. A recolha de dados com ênfase quantitativa, utiliza a técnica de inquéritos individuais. Os roteiros estão compostos em três blocos - caracterização, planeamento e gestão. A discussão dos resultados sobre a existência do compartilhamento de informações, as habilidades e as competências organizacionais do corpo técnico das organizações, o domínio sobre as tarefas e atribuições dos serviços, realçam como ponto forte de desempenho, por outro lado verifica-se instrumentos e recursos frágeis para o acompanhamento da gestão. A próatividade do setor da saúde pública para a promoção e a execução de programas de capacitação permanente, destaca-se com possibilidades férteis de promoção dos serviços. Constata-se no período estudado, um cenário de interação entre diversos setores, embora não tenha se verificado suporte de formalização das trocas de experiências, avista-se aí, possibilidades de desdobrar ações para a efetiva disseminação dos saberes.
This thesis aims to understand organizational learning in the management practices of public health services and urban public transport, using the local services of Montes Claros, one of the largest cities in the Brazilian State of Minas Gerais as its principal focus of study. In the 1970s, the Montes Claros Project played an important role in the historical process of implementing the Unified Health System (SUS) in Brazil. Furthermore, the State’s participation during the 1980s and 1990s in the so-called Large Scale Project and the city’s vanguard role in the initiatives associated with the rolling out of the process of healthcare improvements to the entire country, make Minas Gerais an appropriate focus for analysis.. In recent years, studies of organizational learning have attracted ever greater interest, reflecting a desire on the part of academics to understand to what extent initial skills, further training and subsequent professional experience in various types of organizations contribute to an improvement of management practices and their wider adoption in the organizational environment. In the thesis, organizational learning is seen as a collective construct that results from the conscious actions and experiences of various actors involved in and interacting within the organization environment. The thesis discusses the extent to which organizations are able to appropriate and deploy the formal and informal knowledge and expertise of involved professionals and thereby constitute a veritable organizational learning process. Montes Claros has a population of approximately 370,000 with an additional 50,000 (residents of the northern region of Minas Gerais and southern Bahia) commuting daily into the city to pursue their education or to access various types of health and other services. The intense urban road transport that has come to characterize Montes Claros makes the city Brazil’s second largest road transport hub. It is the State's responsibility not only to assure access to healthcare, but also efficient transport circulation and accessibility to public spaces. All these are essential rights of the citizen, and this is why the rspective services are regulated by specific legislation so as to achieve policy objectives and to provide accountability in the allocation and use of public finance in this regard. This is the context in which the present study has sought to observe the evolution of practices and the adoption of management tools as key elements of the public service seek to fulfil their role, employing a governance model in which decision-makers operate under political, economic and social constraints. The thesis first examines organizational skills in the scientific literature and subsequently explores key aspects of their acquisition and development through fieldwork-based research. Data was collected using individual interviews, with interview schedules divided into three sections each focusing on distinct dimensions of the skills used: a general characterization of the skills made available by different sections of the workforce, skills related to planning, and skills associated with general management. The discussion of the results focus mainly on the extent to which there exists information sharing and an exchange of experiences between staff of the same and different levels in the organizational hierarchy, to what degree the staff of the organizations display the skills and organizational capacities appropriate to their responsibilities, and the overall contribution to organizational performance of the management practices conventionally associated with learning organizations. Our results suggest that both the resources and the instruments available for monitoring and stimulating organizational learning are fragile. The level and dynamic of organizational learning in the transport sector is a particular cause for concern. Nevertheless, and despite its weaknesses, the diagnosis of the public health sector is more positive: it displays a certain ongoing proactivity in the promotion and implementation of training programs that bodes well for capitalizing on future opportunities to improve services. Finallt, throughout this research, various instances of successful intersectoral collaboration were identified and, even though formal support for encouraging the exchange of experience had not been concretized, there existed very real possibilities for effective interesectoral, interorganizationalo dissemination of knowledge to take place.
Descrição
Tese de Doutoramento em Gestão
Palavras-chave
Aprendizagem organizacional , Gestão pública , Serviços de saúde , Transportes coletivos , Conhecimento
Citação