Estudo hemoparasitológico em peneireiro-vulgar (Falco tinnunculus) e coruja-do-mato (Strix aluco) do Centro de Recuperação de Fauna Silvestre de Torreferrussa (Barcelona, Espanha)

Data
2016-02-25
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
No presente trabalho foram analisadas as prevalências de infeção por hemoparasitas em duas espécies de aves de rapina, o peneireiro-vulgar (Falco tinnunculus) e a coruja-do-mato (Strix aluco), que deram entrada no Centro de Recuperação de Fauna Silvestre de Torreferrussa (província de Barcelona, Catalunha, Espanha) entre os meses de janeiro de 2008 e fevereiro de 2012. A deteção e a identificação dos géneros de hemoparasitas foram realizadas através da observação de esfregaços sanguíneos ao microscópio ótico. Das 245 aves analisadas 27,8% encontravam-se infetadas com formas hemoparasitárias, com uma prevalência geral de 19,8% no peneireiro-vulgar e de 36,1% na coruja-do-mato. Apenas os géneros Haemoproteus e Trypanosoma foram observados no peneireiro-vulgar, enquanto a coruja-do-mato apresentou uma maior variedade de géneros hemoparasitários: Leucocytozoon, Haemoproteus, Trypanosoma e Plasmodium. Nas infeções simples o género Haemoproteus (19,0%) foi o mais frequente em peneireiros-vulgares, enquanto as corujas-do-mato apresentaram maior frequência de infeção por Leucocytozoon spp. (11,8%). Foi detetada uma maior prevalência de infeções mistas nas corujasdo- mato (12,6%). Em relação ao sexo das aves analisadas não foi detetada qualquer diferença significativa na prevalência de hemoparasitas. Verificou-se, tanto nos peneireiros-vulgares como nas corujas-do-mato, uma prevalência de infeção por hemoparasitas maior em aves adultas ou com idade desconhecida do que em aves mais jovens (29,5% vs. 4,2% e 74,0% vs. 8,7%, respetivamente). As corujas-do-mato adultas ou com idade desconhecida apresentaram uma maior prevalência de hemoparasitas (74,0%) face aos peneireiros-vulgares da mesma faixa etária (29,4%). Constatou-se uma maior prevalência de formas hemoparasitárias na coruja-do-mato no ano de 2012 (71,4%) face ao ano de 2011 (18,2%). Em comparação com o peneireiro-vulgar (16,1% e 0,0%, respetivamente), a coruja-do-mato apareceu com maior frequência de hemoparasitas nos anos de 2009 (53,6%) e 2012 (71,4%). A coruja-do-mato apareceu mais parasitada no outono (75,0%) e verão (71,4%), sendo estas prevalências maiores em relação ao mesmo período que no peneireiro-vulgar (20,0% e 12,1%, respetivamente). Atendendo ao facto de que estes géneros hemoparasitários podem assumir um importante papel em aves de rapina de vida livre, o significado geográfico, parasitológico, clínico e epidimiológico dos resultados obtidos é discutido.
In the present study we have analyzed the prevalence of infection with hemoparasites in two species of raptors, the common kestrels (Falco tinnunculus) and the tawny owl (Strix aluco), which were received at the Torreferrussa Recovery Center for Wild Animals (province of Barcelona, Catalonia, Spain) between the months of January 2008 and February 2012. Detection and identification of hemoparasites genera were performed by observing blood smears under optical microscopy. Out of 245 examined birds 27.8% were infected with hemoparasitic forms, with an overall prevalence of 19.8% in the common kestrel and 36.1% in the tawny owl. Only Haemoproteus and Trypanosoma genera were observed in common kestrels, while tawny owls had a greater variety of hemoparasite genera: Leucocytozoon, Haemoproteus, Trypanosoma and Plasmodium. In single infections the genus Haemoproteus (19.0%) was the most frequent in the common kestrel, while the tawny owl presented higher frequency of infection by Leucocytozoon spp (11.8%). A higher prevalence of mixed infections was detected in the tawny owls (12.6%). No significant difference was detected in the prevalence of hemoparasites regarding the gender of all analised birds. A higher prevalence of infection with hemoparasites in adult birds including those with unknown age compared to younger birds (29.5% vs. 4.2% e 74.0% vs. 8.7%, respectively) was found in the both the common kestrel and the tawny owl. Adult tawny owls including those with unknown age showed a higher hemoparasite prevalence (74.0%) compared to the common kestrels of the same age group (29.4%). A higher prevalence of hemoparasitic forms was observed in tawny owls in the year 2012 (71.4%) compared to the year 2011 (18.2%). In comparison to the common kestrel (16.1% and 0.0%, respectively), the tawny owl appeared with greater frequency of hemoparasites in the years 2009 (53.6%) and 2012 (71.4%). The tawny owl appeared with a higher frequency of infection in autumn (75.0%) and summer (71.4%), with these prevalence values being higher in comparison to the same period in the common kestrel (20.0% and 12.1%, respectively). Given the fact that these hemoparasitic genera can play an important role in free-living raptors, the geographic, parasitological, clinic and epidemiologic significance of the obtained results is discussed.
Descrição
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
Palavras-chave
Ave predadora , Falconiformes , Haemoproteus , Leucocytozoon , Circulação sanguínea , Parasitos , Prevalência
Citação