Exercise, body composition, cardiorespiratory fitness and menopausal characteristics: effects and interactions

Data
2015-02-09
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Hoje, a maioria das mulheres vive tempo suficiente para atingir a menopausa, na verdade, aproximadamente um terço da vida das mulheres será vivido na pós-menopausa. À medida que aumenta o número de mulheres pós-menopáusicas na nossa sociedade, aumenta também a importância da prevenção de fragilidade, do envelhecimento ativo e de uma boa qualidade de vida. Assim, devido à grande importância social e ao impacto em todo o mundo, a saúde da mulher e consequentemente a menopausa, tornou-se um campo em rápida expansão na necessidade de investigação científica. Assim, para ajudar e tornar as intervenções mais eficazes, tornou-se essencial avaliar a investigação sobre intervenções ou programas que visam a promoção da saúde durante este estágio fisiologicamente complexo. Por conseguinte, o principal objetivo desta tese foi analisar a interação das características da menopausa com o exercício e aptidão física, de forma a avaliar as intensidades ideais de exercício cardiovascular; e também, examinar os efeitos deste programa de 12 meses de exercício multicomponente na composição corporal. Acreditamos que o conhecimento de tais interações contribuiria para uma prescrição de exercício mais adequada por parte dos profissionais de fitness e médicos. De referir que, esta tese está incluída no projeto de "Menopausa em Forma" – um estudo randomizado, controlado aprovado pela Fundação para a ciência e tecnologia – que tem como objetivo desenvolver a promoção de exercício e saúde na mulher pós-menopáusica através de um programa de exercício moderado-a-vigoroso de 12 meses (combinando step aeróbica, força muscular e flexibilidade/controlo postural). Os resultados sugerem uma diminuição da aptidão cardiorrespiratória com o aumento da idade e do tempo decorrido desde a menopausa, mas especialmente na presença de adiposidade central e total ou ainda na presença de reduzido índice músculo-esquelético. Contudo, a análise ao programa de exercício (de 12 meses de duração e intensidade moderada-a-vigorosa) revela que este foi capaz de influenciar, de forma positiva e significativamente, todas as variáveis antropométricas e de composição corporal, juntamente com a taxa metabólica basal. Mais ainda, não foram encontrados efeitos interativos entre o exercício e as características da menopausa, sugerindo que o exercício por si só pode promover melhorias na composição corporal de mulheres na pós-menopausa. Os dados analisados revelaram ainda que, o valor de 40% da FCR no limite inferior está fortemente relacionado com o primeiro limiar ventilatório mas, que o limite superior de 84% (proposto pelo ACSM) sobrestima o valor de %FCR ao segundo limiar ventilatório, sugerindo que, a zona alvo de treino cardiorrespiratório para esta população deva ser mais estreita (40% -70% FCR) do que a recomendada para a população em geral. Os nossos resultados demonstraram ainda que (relativamente à composição corporal das mulheres na pós-menopáusicas) parece ser desnecessário ajustar a prescrição do exercício às características individuais da menopausa – sugerindo assim que programas de exercício com características semelhantes às descritas no “Menopausa em Forma” devem ser recomendados e oferecidos às mulheres pós-menopáusicas para a promoção da saúde e bem-estar.
Today, most women live long enough to become menopausal and approximately one-third of women’s lives will be lived in postmenopause. As the number of postmenopausal women in our society increases, so does the significance of the prevention of frailty, active aging, and quality of life. Thus, due to the great social importance and impact worldwide, women’s health and menopause became a rapidly expanding field in need of scientific investigation. Therefore, evaluating the research on interventions or programs that target health promotion during this physiologically complex stage is essential to help and guide into more effective interventions. Consequently, the main aim of this thesis was to analyze the interaction of the menopausal characteristics with exercise and physical fitness, to evaluate optimal cardiovascular exercise intensities, and to examine the effects of this 12-month multicomponent exercise program on body composition. Therefore, knowledge of such interactions would help physicians and sport-science and fitness professionals move toward appropriate exercise prescription. To refer that, this thesis is included in the “Shape Up During Menopause” study – a randomized, controlled trial approved by the Portuguese Foundation for Science and Technology – that aims to improve overall health-related components of physical fitness and fall risk of PM through a 12-month moderate-to-vigorous exercise program (combining step aerobics, muscle strength, and flexibility/postural control training). Our overall results suggest an impairment of cardiorespiratory fitness with increasing age and time elapsed since menopause, but especially in the presence of increased total and central adiposity or reduced SM index. However, the 12-month moderate-to-vigorous exercise program seems to, positively and meaningfully, influence all the anthropometric and body composition variables along with the basal metabolic rate. In addition, no interactive effects were found between the exercise and menopausal characteristics, suggesting that exercise alone can promote improvements in postmenopausal women’s body composition. Furthermore, our results exposed that the upper limit of 84% (proposed by de ACSM) overestimates the %HRR value at the second ventilatory threshold, and the 40% of HRR lower limit is strongly related to the first ventilatory threshold, suggesting that, the cardiorespiratory target zone for this population should be lower (40%-70%HRR) than that recommended for the general population. Our results also demonstrate that, regarding postmenopausal women’s body composition, it seems to be unnecessary to make specific adjustments in the exercise prescription due to the individual menopausal characteristics – suggesting that, exercise programs with similar doses (as those of described in “Shape Up During Menopause” program) should be offered to women interested in this type of program.
Descrição
Tese de Doutoramento em Ciências do Desporto
Palavras-chave
Composição corporal , Pós-menopausa , Aptidão aeróbia , Programa de exercício , Limiares ventilatórios
Citação