Estudo do potencial adaptativo de diferentes espécies florestais em resposta às alterações climáticas

Data
2017-09-13
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
As alterações climáticas são uma das maiores ameaças que o setor florestal enfrenta no século XXI. Em consequência dessas alterações são de esperar fortes impactos nas espécies florestais, nomeadamente: elevada taxa de mortalidade nos limites da atual distribuição geográfica; alteração na produtividade e qualidade; maior incidência de pragas e doenças, bem como migração e extinção de espécies importantes. Assim, a capacidade adaptativa torna-se num pré-requisito para a sobrevivência sob condições climáticas mais adversas no futuro. Neste contexto, surgiu o projeto REINFFORCE, que ofereceu a oportunidade de instalar uma rede de arboretos capaz de monitorizar o efeito das alterações climáticas na floresta Atlântica e testar a eficiência de medidas de adaptação em 35 espécies florestais. Para o efeito, foi instalado o mesmo material genético em 38 climas distintos desde a Escócia até Portugal Continental e Açores. No presente trabalho apresentam-se os resultados obtidos, três anos após a instalação do arboreto na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. O principal objetivo foi avaliar o comportamento de nove proveniências de três espécies florestais (Betula pendula Roth, Quercus robur L. e Quercus suber L.) quanto à taxa de sobrevivência, crescimento, fenologia e parâmetros bioquímicos, relacionando o seu comportamento com a origem do material de propagação. Os resultados obtidos mostraram variabilidade na adaptabilidade entre as espécies e proveniências. Ao nível da sobrevivência, destaca-se a espécie Q. suber com maior percentagem de plantas vivas. Contudo, a proveniência de origem portuguesa (Alca) revelou-se menos adaptada às condições edafoclimáticas do local com maior percentagem de plantas mortas. Adicionalmente, esta espécie, apresentou acréscimos médios anuais em altura e em diâmetro mais baixos, bem como as suas proveniências, designadamente as proveniências espanhola (Esp) e francesa (Pyre) na variável altura e as proveniências portuguesa (Alca) e espanhola (Esp) na variável diâmetro. Por sua vez, a B. pendula e respetivas proveniências registaram os valores mais elevados de acréscimos em altura e em diâmetro, sobretudo a proveniência francesa (Nord). Além disso, demonstraram um maior avanço fenológico, especialmente a proveniência eslovaca (Kral). A espécie mais tardia no abrolhamento e na maturação foliar foi a Q. suber, bem como as proveniências portuguesa (Alca) e francesa (Land). No que respeita aos parâmetros bioquímicos verificou-se que a B. pendula apresentou teores mais elevados em todos os compostos quantificados, à exceção dos compostos fenólicos que foram superiores na Q. suber, particularmente na proveniência francesa (Land). Por conseguinte, este estudo permitiu perceber quais as respostas das diferentes proveniências de cada espécie às condições edafoclimáticas atuais no arboreto. Estes resultados serão uma ferramenta importante na gestão sustentável da floresta mediterrânica, principalmente em ações de reflorestação.
Climate changes are one of the biggest threats that forest sector faces in the XXI century. As a result of these changes, strong impacts on forest species are expected, in particular: high mortality rate within the limits of the current geographic distribution; changes in productivity and quality; higher incidence of pests and diseases, as well as migration and extinction of important species. Therefore, the adaptive capacity becomes a prerequisite for survival under adverse weather conditions in the future. In this context, REINFFORCE project was implemented, offering the opportunity to install an arboretum network capable of monitoring the effect of climate changes on the Atlantic forest and test the efficiency of adaptation measures in 35 forest species. For this purpose, the same genetic material was installed in 38 different climates from Scotland to Continental Portugal and Azores. This study presents the results obtained three years after the arboretum installation at University of Trás-os-Montes e Alto Douro. The main objective was to evaluate the behaviour of nine provenances of three forest species (Betula pendula Roth, Quercus robur L. and Quercus suber L.) in terms of survival rate, growth, phenology and biochemical parameters, in order to relate their behaviour to the origin of the propagating material. The obtained results showed variability in the adaptability between species and provenances. Regarding the level of survival, Q. suber species stands out with the highest percentage of live plants. However, the Portuguese provenance (Alca) was less adapted to the edaphoclimatic of the site, with higher percentage of dead plants. In addition, this species presented lower annual average increases in height and diameter, as well as its provenances, namely the Spanish (Esp) and French (Pyre) for diameter. On the other hand, B. pendula and its provenances registered the highest increases in height and diameter, especially the French provenance (Nord). In addition, these species presented a greater phenological advance, especially the Slovak provenance (Kral). The species with the later sprouting and maturation was Q. suber, namely the Portuguese (Alca) and French (Land) provenances. Concerning the biochemical parameters, it was verified that B. pendula had higher levels in all the quantified compounds, except for the phenolic compounds that were superior in Q. suber, particularly in the French provenance (Land). Therefore, this study allowed us to perceive the responses of the different provenances of each species to the current edaphoclimatic conditions in the arboretum. These results will be an important tool in the sustainable management of the Mediterranean forest, especially in reforestation actions.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Engenharia Florestal
Palavras-chave
Espécies florestais , Alterações climáticas , Sobrevivência , Fenologia , Crescimento , Parâmetros bioquímicos
Citação