Pancreatite aguda em cães: casos clínicos

Data
2016-07-14
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
A pancreatite aguda é uma doença bastante frequente no cão (retirei o resto da frase). Apesar disso, vários aspetos desta doença continuam desconhecidos, nomeadamente alguns relacionados com a sua etiologia e fisiopatologia. A sua apresentação clínica é muito inespecífica e o diagnóstico é difícil. O tratamento é distinto para cada apresentação clínica e o prognóstico é muito variável. Assim, o objetivo deste trabalho foi o de consolidar e aprofundar os conhecimentos sobre a pancreatite no cão. Neste trabalho, foram acompanhados seis casos clínicos de pancreatite aguda no Hospital Veterinário do Baixo Vouga, durante o período de estágio curricular de 5 meses. Os animais foram acompanhados desde a primeira consulta, ao longo de todo o período de internamento e alta, tendo ainda sido monitorizados nos dias seguintes. Em todos os casos o motivo principal da consulta foi a anorexia, a presença de vómitos e/ou diarreia. A alimentação revelou ser um dado muito importante recolhido na anamnese, já que em todos os animais não era adequada, podendo ser o fator de risco e/ou etiológico da doença. Ao exame físico, o desconforto abdominal era evidente em todos os animais. Os resultados do hemograma e da bioquímica sérica não revelaram grandes alterações. Os únicos parâmetros bioquímicos que estavam aumentados em todos os animais foram as enzimas hepáticas. Também, todos os animais apresentaram a atividade sérica da lipase pancreática específica muito aumentada e em todos foram observadas alterações ecográficas sugestivas de pancreatite aguda (aumento de tamanho do pâncreas com bordos irregulares, parênquima pancreático hipoecogénico). A medição da atividade sérica da lipase pancreática específica, a realização de ecografia abdominal, revelaram ser fundamentais para a realização do diagnóstico. O tratamento, de um modo geral, foi semelhante em todos os animais, estando de acordo com o descrito na bibliografia.
Acute pancreatitis is a fairly common disease in dogs. However, several aspects of the disease remain unknown, including some related to the etiology and pathophysiology. Its clinical presentation is very nonspecific and the diagnosis is difficult. Treatment is different for each clinical presentation and prognosis varies widely. Thus, the aim of this study was to consolidate and deepen the knowledge of pancreatitis in dogs. In this study, six cases of acute pancreatitis were followed in Hospital Veterinário do Baixo Vouga during the internship period of 5 months. The animals were followed from the first appointment and throughout their hospital internment and discharge, as well as the following days. In all cases the main reason for consultation was anorexia, presence of vomiting and / or diarrhea. Diet was found to be a very important factor in the collected history, as in all animals was not appropriate, and may be a risk and/or etiological factor to the disease. On physical examination, abdominal discomfort was evident in all animals. The results of blood count and serum chemistries were inconclusive. The only biochemical parameters showed increased in all the animals were liver enzymes. Also, all animals showed an increased specific pancreatic lipase activity, and suggestive findings of acute pancreatitis (pancreatic size increased with irregular edges, hypoechoic pancreatic parenchyma) were observed in all ultrasounds. The measurement of serum activity of specific pancreatic lipase and fulfillment of abdominal ultrasound revealed to be essential to the diagnosis. Treatment was generally similar in all animals, according to the procedures described in the literature.
Descrição
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
Palavras-chave
Cão , Pancreatite , Pâncreas , Inflamação , Reação de fase aguda , Lipase pancreática aguda , Ecografia abdominal
Citação