Equilíbrio e risco de queda em idosos: avaliação dos efeitos da implementação de um programa de intervenção psicomotora

Data
2016-09-21
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
INTRODUÇÃO: As quedas são consideradas um dos maiores problemas de saúde pública, comum entre os idosos, que afectam drasticamente a sua qualidade de vida, autonomia e independência, sendo responsáveis por situações de mortalidade, imobilidade e declínio funcional. Deste modo, os acidentes por queda acarretam custos sociais, psicológicos e económicos elevados, quer para o idoso, para a família, quer para o sistema nacional de saúde. Neste contexto, cada vez se dá mais importância a prevenção das quedas, tornando-se, por isso, imprescindível definir instrumentos válidos que permitam identificar precocemente o risco de queda bem como definir métodos de intervenção capazes de introduzir benefícios clínicos e psicosociais diretamente relacionados com a diminuição do risco de queda. OBJETIVOS: Este estudo pretendeu analisar a acuidade com que a Performance-Orientated Mobility Assessment (POMA) e a Escala de Equilíbrio de Berg (EEB) avaliam o risco de queda tendo como referência a precisão da avaliação com a plataforma de posturografia estática, bem como analisar a associação entre o risco de queda e os fatores que influenciam diretamente o equilíbrio: capacidade funcional nas atividades de vida diária, função cognitiva, problemas visuais, problemas auditivos e medicação. Pretendeu ainda, avaliar o efeito do programa de intervenção psicomotora no equilíbrio e no risco de queda em idosos. METODOLOGIA: No primeiro artigo realizou-se um estudo transversal com uma amostra de 29 idosos (82,17±4,86 anos), em que foram avaliados as seguintes componentes: função cognitiva com o Mini Mental State Examination (MMSE), funcionalidade nas atividades de vida diária com o Índice de Barthel (IB), problemas visuais, auditivos, e equilíbrio com a EEB, a POMA e a Plataforma de posturografia estática. No segundo artigo efectuou-se um estudo longitudinal para avaliar o efeito do programa psicomotor, utilizando-se uma amostra de 25 idosos ((81,96±5,19 anos), distribuídos em dois grupos: grupo experimental (n=13) com intervenção psicomotora no âmbito do treino de equilíbrio durante 12 semanas, e grupo controlo (n=12) sem qualquer tipo de intervenção. Foi avaliado o equilíbrio no início e no fim da intervenção com a EEB, POMA, e a Plataforma de posturografia estática. RESULTADOS: a) no sexo masculino, a EEB e a POMA correlacionaram-se significativamente com a Plataforma de posturografia estática; b) no sexo feminino não se verificaram correlações significativas entre a EEB e a POMA com a Plataforma de posturografia estática; c) os problemas visuais apresentaram uma associação significativa com o equilíbrio no sexo masculino, não se verificando o mesmo no sexo feminino; d) a capacidade funcional na execução das atividades de vida diária correlacionou-se com o equilíbrio e o risco de queda em ambos os sexos; e) Não se verificaram correlações significativas entre os problemas auditivos, medicação e função cognitiva com o equilíbrio e o risco de queda em ambos os sexos; f) não se verificou nenhum efeito do programa de psicomotricidade na variância dos grupos, com a utilização da EEB e da POMA; g) verificou-se efeito significativo do programa de psicomotricidade nos diversos parâmetros estabilométricos: superfície (p=0,02), comprimento de oscilação total (p=0,043), comprimento de oscilação no eixo de y (p=0,047) e velocidade média (p=0,039). CONCLUSÕES: No sexo masculino, a EEB e a POMA possuem boas características preditoras de risco de queda, apresentando concordância com a plataforma estabilométrica. Contudo, no sexo feminino não apresentam fiabilidade na avaliação do equilíbrio e do risco de queda. O programa de psicomotricidade demonstrou ser uma intervenção eficaz na melhoria do equilíbrio, pelo que se torna evidente que a psicomotricidade é uma estratégia viável de intervenção na população idosa, permitindo retardar ou atenuar as alterações do envelhecimento, bem como prevenir as quedas em idosos.
INTRODUCTION: Falls are considered one of the biggest problems in public health, common between elderly people, which drastically affect life quality, self-sufficiency and independence, being responsible for mortality, immobility and functional decline situations. Thereby, the accidents of falls involve social, psychological and high economical costs, both for the elder, for the family, and also for the national health system. In this context, more and more the prevention of falls are important, being indispensible to define valid instruments that allow the premature identification of the risk of falling as well as defining the intervention methods able to introduce clinical and psychosocial benefits directly related with the reduction of the risk of falling. OBJETIVES: This study was meant to analyze the acuity which the Performance-Orientated Mobility Assessment (POMA) and the Berg Balance Scale (BBS) evaluate the falling risk having as reference the precision of evaluation with the statics posturography platform, as well as analyzing the association between the falling risk and the factors which directly influence the balance: functional capability in the activities of the daily life, cognitive function, visual problems, listening problems and medication. Furthermore, evaluate the effect of the program for psychomotor intervention in the balance and in the falling risk among the elder. METHODOLOGY: In the first article a transversal study was carried out with a sample of 29 elderly people (82,17±4,86 years old), the following components were evaluated: cognitive function with the Mini Mental State Examination (MMSE), functionability in the activities of daily life with a Barthel Index (BI), visual, listening and balance problems with BBS, POMA and statics posturography platform. In the second article a longitudinal study was carried out to evaluate the psychomotor program effect, using a sample of 25 elderly people ((81,96±5,19 years old), distributed in two groups: experimental group (n=13) with psychomotor intervention in the balance training framework during 12 weeks, and control group (n=12) without any type of intervention. The balance was evaluated in the beginning and the end of the intervention with BBS, POMA and the statics posturography platform. RESULTS: a) In the male gender, the BBS and POMA correlate significantly with the statics posturography platform; b) In the female gender there are no significant correlations verified between BBS and POMA with a statics posturography platform; c) the visual problems, presented a significant association with the balance in the male gender, but the same wasn´t verified among the female gender; d) the functional capability in the execution of the daily life activities correlated with the balance and the falling risk among both genders; d) No significant correlations were verified between the listening problems, medication and cognitive function with the balance and the falling risk among both genders; f) it wasn’t verified no effect of the psychomotor program variance of the groups, with the use of BBS and POMA; g) it was verified a significant effect of the psychomotor program in the different parameters: surface (p=0,02), length of total oscillation (p=0,043), length of oscillation in the axle of y (p=0,047) and the speed average (p=0,039). CONCLUSIONS: In the male gender, BBS and POMA have good characteristics in falling risk predictors, presenting accordance with the stabilometry platform. However, in the female gender there is no reliability in the evaluation of the balance and the falling risk. The psychomotor program was shown to be an efficient intervention to improve balance, which makes evident that the psychomotor is a viable strategy in the intervention of the elderly population, allowing the delay or attenuate the alterations of ageing, as well as in preventing falls among the elder.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Gerontologia: Atividade Física e Saúde no Idoso
Palavras-chave
Idosos , Equilíbrio , Psicomotricidade , Risco de queda
Citação