Caracterização epidemiológica, citogenética e imunohistoquímica de tumores mamários de cadela

Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
O cancro é um processo patológico complexo associado a uma elevada mortalidade e morbilidade, sendo o cancro da mama o mais frequente, especialmente na mulher. Os tumores da glândula mamária são, como na mulher, a neoplasia diagnosticada mais frequentemente em cadelas não castradas. A cirurgia continua a ser o tratamento de escolha, embora outras opções estejam atualmente disponíveis, sendo o exame histopatológico fundamental para estabelecer o diagnóstico. Os objetivos deste trabalho foram a caracterização clinicopatológica, citogenética e imunohistoquímica dos tumores mamários caninos (TMCs). Os TMCs de onze cadelas foram removidos cirurgicamente e submetidos para análise histopatológica. Em simultâneo, foram realizadas culturas celulares, bem como de sangue periférico, as quais foram analisadas citogenicamente após bandeamento G, C e NOR. Neste trabalho, foram identificadas vinte e duas lesões neoplásicas (6 benignas e 16 malignas). O tumor maligno mais frequente foi o carcinoma tubulopapilar e o tumor benigno mais frequente foi o adenoma complexo. A maioria dos carcinomas com grau histológico III observou-se em animais com mais de 10 anos; o aumento da idade pode estar relacionado com tumores da glândula mamária mais agressivos do ponto de vista biológico. As cadelas sem raça definida (SRD) demonstraram uma maior probabilidade de ter uma neoplasia maligna do que as cadelas de raça pura, e apenas 18,2% das cadelas foram esterilizadas antes da cirurgia. Curiosamente, 60,0% dos tumores malignos eram menores do que 3 cm. Quanto à localização dos tumores, as glândulas mamárias abdominais caudais e as inguinais foram as mais afetadas. A realização da técnica de imunohistoquímica permitiu classificar os carcinomas (n=11) com o imunofenótipo luminal, sendo positivos para recetores hormonais, com oito subclassificados como luminal B (índice Ki-67 >14%) e os restantes como luminal A (índice Ki-67 ≤14%). Foi possível obter metafases em todas as culturas celulares, com boa resolução de bandas, especialmente na cultura de sangue periférico. Devido a técnicas de espalhamento e/ou artefactos de cultura, perderam-se frequentemente um ou mais cromossomas nas metafases, e isto foi observado em todas as análises, com uma maior incidência nas metafases tumorais. Além disso, em cinco tumores, foram observadas poliploidias que variavam entre 142 e 157 cromossomas. A maioria das metafases aparentava não ter rearranjos estruturais, mas a análise citogenética nestes tumores de cadelas, mesmo com um bom padrão de bandas, foi difícil. XXI Consideramos necessária a análise de maior número de amostras para uma melhor compreensão da relação entre a epidemiologia e a histopatologia dos tumores da glândula mamária em cadelas. Para uma melhor caracterização citogenética dos TMCs, bem como a deteção de possíveis anomalias, são necessárias investigações futuras utilizando técnicas de citogenética molecular, como a técnica de hibridação fluorescente in situ (FISH) ou os microarray.
Cancer is a complex and heterogeneous pathological process, associated with high mortality and morbidity, being breast cancer the most frequent, especially in women. Mammary gland tumors are, as in women, the most frequently diagnosed neoplasm in intact canines. Surgery remains the treatment of choice, although other options are currently available, and histopathological examination is fundamental to establish the diagnosis. The objectives of this work were the clinicopathological, cytogenetic and immunohistochemical characterization of canine mammary tumors (CMTs). CMTsfrom eleven female dogs were surgically removed and submitted for histopathological analysis. Simultaneously, cell cultures as well as peripheral blood cultures were performed and analyzed cytogenetically after G, C and NOR banding. In this study, twenty-two neoplastic lesions (6 benign and 16 malignant) were identified. The most frequent malignant tumor was tubulopapillary carcinoma and the most frequent benign tumor was complex adenoma. Most carcinomas with histological grade III were observed in animals older than 10 years; increased age may be related to more biologically aggressive mammary gland tumors. Mixed-breed dogs showed a higher likelihood of having a malignant neoplasm than purebred, and only 18.2% were spayed before surgery. Interestingly, 60.0% of the malignant tumors were smaller than 3 cm. As for the location of the tumors, the caudal abdominal and inguinal mammary glands were the most affected. The immunohistochemistry technique allowed classifying the carcinomas (n=11) with the luminal immunophenotype, being positive for hormone receptors, with eight subclassified as luminal B (Ki-67 index >14%) and the remaining as luminal A (ki-67 index ≤14%) Metaphases were obtained in all cell cultures, with good band resolution, especially in the peripheral blood culture. Due to spreading techniques and/or cultural artifacts, one or more chromosomes were often lost in the metaphases, and this was observed in all analyses, with a higher incidence in tumor metaphases. In addition, polyploidy ranging from 142 to 157 chromosomes was observed in five tumors. Most metaphases appeared to have no structural rearrangements, but cytogenetic analysis in these female dog tumors, even with a good banding pattern, was difficult. We consider the analysis of larger numbers of samples necessary for a better understanding of the relationship between the epidemiology and histopathology of mammary gland tumors in female dogs. Future investigations using molecular cytogenetic techniques, such as fluorescence in situ hybridization (FISH) or microarrays, are needed for a better cytogenetic characterization of CMTs, as well as the detection of possible abnormalities.
Descrição
Palavras-chave
Cadela , citogenética
Citação