Separação-individuação, personalidade e adaptação académica em jovens adultos: solidão e autocontrolo em tempos de Covid-19

Data
2023-02-06
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
A transição para o ensino superior é, muitas vezes, pautada por dificuldades que interferem no processo de adaptação dos jovens adultos a este novo contexto. A literatura tem apontado para o contributo positivo do processo de separação-individuação na adaptação académica. A personalidade também demonstra ser um fator importante nesta fase de transição, sendo que os traços de personalidade podem agir como facilitadores na adaptação dos jovens. As medidas de confinamento e ensino à distância associadas à recente pandemia ocasionada pelo vírus COVID-19 parecem ter contribuído para agravar este processo de adaptação. Assim, este estudo tem como objetivo analisar o papel da separação-individuação e personalidade na adaptação académica de jovens adultos em tempos COVID-19, controlando também o sexo nesta associação. A amostra foi constituída por 407 jovens adultos, com idades compreendidas entre os 18 e os 25 anos de idade (M = 20.90, DP = 2.32). Recorreu-se a instrumentos de autorrelato para recolher os dados deste estudo, incluindo um questionário sociodemográfico, o Questionário De Vivências Académicas - Versão Reduzida (QVA-r), o Individuation Test for Emerging Adults (ITEA), o Questionário de Vivências Face à COVID-19 (QVFC) e o NEO Five Factor Inventory (NEO-FFI-20). Os resultados apontam para o papel positivo da ligação e autoconfiança da separação-individuação a ambos os pais na adaptação académica. Traços de amabilidade e conscienciosidade da personalidade mostram ainda uma associação positiva na adaptação ao contexto universitário. Além disso, jovens do sexo masculino tendem a apresentar maior adaptação académica na sua dimensão pessoal. A análise dos resultados foi discutida à luz da importância das relações significativas de afeto, o desenvolvimento da personalidade e a vivência do contexto de pandemia em que os dados foram recolhidos.
The transition to higher education is often marked by difficulties that interfere with the adaptation process of young adults to this new setting. Literature has pointed to the positive contribution of the separation-individuation process to parental figures in academic adaptation. Personality also proves to be an important factor in this transition phase, and personality traits may act as facilitators in young adults’ adaptation. The confinement measures and distance learning associated with the recent pandemic caused by the COVID-19 virus seem to have contributed to the aggravation of this adaptation process. Thus, this study aims to analyze the role of separation-individuation and personality on the academic adaptation of young adults in times of COVID-19, controlling gender in this association as well. The sample was composed of 407 young adults, aged between 18 and 25 years old. Self-report instruments were used to collect data for this study, including a sociodemographic questionnaire, the Questionário De Vivências Académicas - Versão Reduzida (QVA-r), the Individuation Test for Emerging Adults (ITEA), the Questionário de Vivências Face à COVID-19 (QVFC), and the NEO Five Factor Inventory (NEO-FFI-20). The results point to the positive role of separation-individuation to both parents on academic adaptation. The agreeableness and conscientiousness personality traits also showed a positive association with the adaptation to the university setting. In addition, young males tend to present a better academic adaptation in its personal dimension. The analysis of the results was discussed in light of the relevance of meaningful affectionate relationships, personality development and the experiences of the pandemic setting in which the data was collected.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica
Palavras-chave
Adaptação académica , Separação-individuação
Citação