Diferenças na aptidão física entre géneros em indivíduos com diabetes tipo 2

Data
2017-02-07
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Introdução: A aptidão física é um forte preditor da mortalidade por todas as causas na população com diabetes tipo 2, para além de estar associada com a qualidade de vida e com o risco de queda, especialmente nos indivíduos envelhecidos. Este trabalho teve por objetivo identificar e analisar diferenças na aptidão física entre géneros em pessoas de meia-idade e idosas com diabetes tipo 2. Metodologia: Este estudo apresenta um desenho transversal e analítico. Noventa indivíduos com diabetes tipo 2 (44 mulheres e 46 homens; 66.27 ± 6.42 anos de idade), candidatos ao programa Diabetes em Movimento® em Vila Real, foram avaliados nas principais componentes da aptidão física: aptidão aeróbia (6-min walk test), força dos membros superiores (seated medicine ball throw test), força dos membros inferiores (30-s chair stand test), agilidade/equilíbrio (timed up and go test), flexibilidade dos membros superiores (back scratch test) e flexibilidade dos membros inferiores e tronco (chair sit and reach test). Resultados: Os testes t para amostras independentes identificaram diferenças significativas entre homens e mulheres na performance do seated medicine ball throw test (257.28 ± 57.02 cm vs. 154.32 ± 41.62 cm; p < 0.001), do timed up and go test (6.88 ± 1.1 s vs. 8.20 ± 2.29 s; p = 0.001) e do chair sit and reach test (-10.49 ± 8.95 cm vs. -3.08 ± 10.60 cm; p = 0.001). Não foram identificadas diferenças significativas na performance nos restantes testes de aptidão. Conclusão: Os resultados deste estudo demostram que as mulheres têm menor força nos membros superiores, menor agilidade/equilíbrio, e maior flexibilidade nos membros inferiores e tronco, em relação aos homens. Estas diferenças podem ter implicações na realização das tarefas da vida diária e no risco de queda. Os programas de intervenção na área da atividade física devem ter em consideração estas diferenças e adequar as estratégias de exercício.
Introduction: Physical fitness is a strong predictor of mortality by all causes in individuals affected by type 2 diabetes, as well as being linked to quality of life and fall risk, especially in older individuals. The objective of this study was to identify and analyze differences in physical fitness between genders in middle-aged to elderly people with type 2 diabetes. Methods: This is a transverse and analytic study. Ninety individuals with type 2 diabetes (44 women and 46 men; 66.27 ± 6.42 years old), applying for the Diabetes em Movimento® program in Vila Real, were evaluated on the main components of physical fitness: aerobic fitness (6-min walk test), upper limb strength (seated medicine ball throw test), lower limb strength (30-s chair stand test), agility/balance (timed up and go test), upper limb flexibility (back scratch test), and lower limb/low back flexibility (chair sit and reach test). Results: Independent-sample t-tests showed significant differences between men and women regarding performance in the medicine ball throw test (257.28 ± 57.02 cm vs. 154.32 ± 41.62 cm; p < 0.001), timed up and go test (6.88 ± 1.1 s vs. 8.20 ± 2.29 s; p = 0.001), and chair sit and reach test (-10.49 ± 8.95 cm vs. -3.08 ± 10.60 cm; p = 0.001). No significant performance difference was identified in the remainder of the fitness tests. Conclusions: The results of this study demonstrate that women possess less upper limb strength, lower agility/balance, and more lower limb/low back flexibility in relation to men. These differences may have implications in accomplishing day-to-day tasks and in fall risk. Intervention programs in the area of physical activity must take into account these differences and adjust exercise strategies.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Ciências do Desporto, Especialização em Atividades de Academia
Palavras-chave
Aptidão física , Diabetes , Mobilidade funcional , Risco de queda
Citação