Práticas dos enfermeiros na avaliação da dor no doente sedado e ventilado no serviço de urgência: Estágio e Relatório

Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Enquadramento: a Direção Geral da Saúde define, desde o ano de 2003, a dor como sendo o 5º sinal vital, referindo que o seu controlo eficaz é um dever dos profissionais de saúde, um direito dos doentes e um passo fundamental para a efetiva humanização das unidades de saúde. A dor é um fenómeno recorrente nos doentes sedados e ventilados no serviço de urgência (SU), pela impossibilidade de comunicarem verbalmente, a sua correta avaliação representa um desafio frequente, para os enfermeiros, nos serviços de urgência. A correta avaliação da dor no doente sedado e ventilado requer, que os enfermeiros, efetuem essa avaliação através de escalas validadas para esses doentes, para uma correta gestão da mesma. A prioridade dos cuidados de enfermagem, para minimizar o desconforto do doente sedado e ventilado no SU, deve incluir estratégias que visem o conforto do doente. Estratégias que incluem medidas farmacológicas e não farmacológicas que só são possíveis após uma correta avaliação da dor. Objetivos: identificar as práticas e dificuldades dos enfermeiros no SU de um hospital do Norte de Portugal na avaliação da dor no doente sedado e ventilado; analisar as suas perceções sobre estratégias a implementar para a melhoria das práticas de enfermagem na avaliação da dor no doente sedado e ventilado no SU. Método: para dar resposta a estes objetivos foi desenhado um estudo qualitativo, descritivo e exploratório, em que participaram 20 enfermeiros que trabalham no SU, de um hospital do Norte de Portugal, há mais de 5 anos. A técnica de recolha de dados foi o “focus group”, a análise e o tratamento de dados foi realizada através da análise de conteúdo, segundo Bardin (2014), das contribuições dos participantes no estudo, recolhidas nos “focus groups”. Resultados: da análise de conteúdo emergiram 5 categorias e 14 subcategorias, que foram extraídas das experiências relatadas, pelos participantes no estudo, sobre as suas práticas, dificuldades e necessidades na avaliação da dor no doente sedado e ventilado no SU. Conclusão: os enfermeiros, participantes neste estudo, estão sensibilizados para a importância da avaliação da dor no doente sedado e ventilado no SU, tendo consciência que os cuidados ao doente sedado e ventilado na avaliação, registo e gestão da sua dor podem ser substancialmente melhorados. As conclusões do presente estudo demonstram que os enfermeiros enfrentam vário s desafios na avaliação da dor no doente sedado e ventilado no SU. Objetivando proporcionar conforto ao doente e melhorar a qualidade dos cuidados prestados, a identificação destes desafios, e de todos os fatores que condicionam uma correta abordagem da dor no doente sedado e ventilado no SU, podem ajudar a tomar medidas eficazes, como implementar escala de avaliação da dor a estes doentes e capa citar os enfermeiros, através de formação, para a sua correta avaliação.
Introduction: The Portuguese Health Management (Direção Geral da Saúde ) defines pain as the fifth vital sign since 2003, stating that its effective handle is a duty of the health care professionals, being a patients’ right and a fundamental step to the effective humanization of the Health facilities. The pain management is particularly important when patients are uncapable of proper communication. As such, pain is a recurrent phenomenon in the emergency department (ED), being specially hard to manage in sedated and ventilated patients, who, as are unable to communicate, bring a challenge to the emergency nurses that need to assess their grade of pain. That correct evaluation requires the use of validated scales by the nurses. The priority of care to minimize the sedated and ventilated patient discomfort must include strategies that promote the patient’s well-being, regarding pharmacological and non-pharmacological measures that depend on that first correct pain assessment. Aim: To identify practices and difficulties of ED nurses from a hospital in the north of Portugal when assessing pain in sedated and ventilated patients. Secondly, to analyze their perceptions about the strategies that could improve the nurse practices in the evaluation and management of pain of sedated and ventilated patients. Methods: Qualitative study, descriptive and exploratory, with participation of 20 ED nurses of an hospital in the north region of Portugal, with more than five years of ED work experience. The method of data collection was “focus group”; the analysis and data processing were made by content analysis, as Bardin (2014) of the participant contribution in study, collected from “focus group”. Results: From the data analysis emerged 5 categories and 14 subcategories that were extracted from the experiences reported by the study participants abo ut their practices, difficulties and needs when assessing pain in ED sedated and ventilated patients. Conclusion: The nurses participating in this study are concerned of the importance of the pain assessment of the ED sedated and ventilated patient, being aware of the possibility of improvement of evaluation, registration and management of their practices in this situation. The conclusions of this study show that nurses face several challenges in pain assessment of the ED sedated and ventilated patients. Aiming to give comfort to the patient and improving the quality of care, the identification of these challenges and all of the factors that pr ovide a correct management of the pain of the ED sedated and ventilated patient, could help to take effective measures, as to implement pain assessment scales to this patients and empower nurses, by forming them, to its correct application.
Descrição
Relatório de Estágio apresentado à Universidade de Trás-Os-Montes e Alto Douro para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Enfermagem da Pessoa em Situação Crítica
Palavras-chave
doente sedado e ventilado , enfermagem
Citação