In vitro and in vivo models of autoimmune synaptopathies

Data
2022-07-12
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Encephalitis mediated by autoantibodies against the N-methyl-D-aspartate receptor (NMDAR) is a neurological disorder that presents a rapid progression of neuropsychiatric manifestations. Patients manifest with memory impairment and severe behavioral alterations. Despite being the best studied of these pathologies, all the animal models developed up to date do not reproduce fully the behavioral and molecular alterations seen in the human disease, including both the immunological and neurological changes. To better model the disease and study the effect of NMDAR antibodies in vivo we have developed an immune-mediated murine model. In this model, female eightweek-old C57BL/6J mice were immunized on days 1 and 28 with 200 µg GluN1 356-385 or saline in AddaVax adjuvant and Bordetella Pertussis Toxin. With this murine model, we realized standard behavioral tests and brain tissue studies. We observed that NMDAR mice, but not control mice, developed memory impairment, acute psychotic-like behavior, and chronic depressive-like behavior. This behavioral phenotype was accompanied by antibody-producing B cell and T-helper inflammatory infiltrates in the brain, NMDAR brain-bound antibodies, and a decrease in total and synaptic NMDAR clusters. Our results demonstrate that active immunization with GluN1 356-385 peptide led to the development of an animal model that more closely reproduces the clinical and synaptic alterations of the patients. This model is reliable to test pharmacological therapies in vivo.
A encefalite mediada por autoanticorpos contra o receptor N-metil-D-aspartato (NMDAR) é uma doença neurológica que apresenta uma rápida progressão das manifestações neuropsiquiátricas. Os pacientes manifestam perda de memória e alterações comportamentais graves. Apesar de ser a encefalite mais bem estudada, todos os modelos animais desenvolvidos até o momento não reproduzem integralmente as alterações comportamentais e moleculares observadas na doença humana, incluindo as alterações imunológicas e neurológicas. Para um melhor modelo da doença e estudar o efeito dos anticorpos NMDAR in vivo, desenvolvemos um modelo murino imunomediado da doença. Neste modelo, C57BL/6J fêmeas de oito semanas de idade foram imunizados nos dias 1 e 28 com 200 µg de GluN1356-385 ou solução salina em adjuvante AddaVax e Toxina Bordetella Pertussis. Com este modelo murino nós realizamos testes de comportamento estandardizados e estudos de tecido do cérebro. Observamos que os ratos NMDAR, mas não os controles, desenvolveram perda de memória, comportamento psicótico agudo e comportamento depressivo crônico. Este fenótipo comportamental foi acompanhado por células B produtoras de anticorpos e infiltrados inflamatórios auxiliares T no cérebro, anticorpos NMDAR ligados ao cérebro e uma diminuição nos NMDAR clusters totais e sinápticos. Os resultados demonstram que a imunização ativa com o peptídeo GluN1356-385 levou ao desenvolvimento de um modelo animal que reproduz alterações clínicas e sinápticas semelhante à dos pacientes. Este modelo é confiável para testar terapias farmacológicas in vivo.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Biotecnologia para as Ciências da Saúde apresentada à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Palavras-chave
anti-NMDAR encephalitis , animal model
Citação