Influência das variáveis biológicas e socioculturais no perfil motor de crianças dos 36 aos 71 meses

Data
2011
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
O objetivo deste estudo, de delineamento transversal, tipo quasi-experimental, pretendeu verificar a influência das caraterísticas biológicas e socioculturais no perfil motor de crianças dos 36 aos 71 meses. Fizeram parte da investigação 44 crianças (28 meninos e 16 meninas) que frequentavam o Jardim de Infância de Vila Real. O instrumento utilizado para avaliar o perfil motor foram as escalas Peabody Development Motor Scales-2 (PDMS-2), e para recolha das variáveis biológicas e socioculturais, das crianças, foi aplicado um questionário aos pais, adaptado do questionário de Carvalhal (2000). As questões respeitantes às características do agregado e à casa familiar, foram adaptadas do questionário Affordances in the Home Environment for Motor Development – AHEMD (Rodrigues et al., 2005). Para comparar o perfil motor segundo o género foi utilizado o teste tstudent e para verificar a associação entre as variáveis a correlação de r de Pearson. A regressão linear aplicou-se, para verificar a influência das variáveis, que registaram correlação significativa, no perfil motor. O perfil motor das crianças, foi considerado de valor médio (98.45). Registaram-se valores médios superiores (108.32) no quociente motor fino (QMF), relativamente ao quociente motor grosso (91.84) (QMG). O teste com valor médio mais alto (11.95) foi o de integração visuo motora (IVM), e o de manipulação de objectos (MO) com valor médio mais baixo (7.82). A maioria das crianças apresentou peso normal (88.6%), 4.6% excesso de peso e 6.8% obesidade. Quando se comparou o perfil motor segundo o género, as meninas apresentaram valores médios superiores relativamente aos meninos, no IVM (p=.007) e no QMF (p=.019) e, por sua vez, os meninos apresentaram valores superiores na MO (p=.031). Dos resultados da regressão, 18.3% da variância do QMG (p=.011) é explicada pelas variáveis IMC, grau de obesidade e atividades extra escola (AEE), registando-se apenas influência da AEE (β=.274; p=.05). No QMF, 21.5% da variância (p=.005) é explicada pelas variáveis género, posse de consola de jogos e habilitações literárias da mãe, constatou-se apenas valor preditivo na variável habilitações literárias da mãe (β=.295; p=.040). 29.5% da variância do quociente motor total (QMT) é explicada pelas habilitações literárias da mãe (β=.379;p=.005), pelo nº de adultos na habitação (β=.286;p=.033) e pelo grau de obesidade (β=-.317;p=.018). Em conclusão, os fatores biológicos não se mostraram os mais preditivos para o perfil motor destas crianças, mas sim a variável sociocultural, habilitações literárias da mãe e as atividades extra escola.
The objective of this cross sectional study, of quasi-experimental type, was to assess the influence of biological and sociocultural characteristics in the motor profile of children from 36 to 71 months. 44 children (28 boys and 16 girls) attending the kindergarten in Vila Real were part of the investigation. The instrument used to assess the motor profile of these children was the Peabody Development Motor Scales-2 (PDMS-2), and to collect the biological and sociocultural variables of the children, parents answered a questionnaire, adapted from the Carvalhal (2000) questionnaire. The issues related to the characteristics of the household and the family home, were adapted from the questionnaire Affordances in the Home Environment for Motor Development - AHEMD (Rodrigues et al., 2005). To compare the motor profile by gender, we used the Student's t test and to verify the association between variables the Pearson r correlation. Linear regression was applied to verify the influence of the variables that showed significant correlation in the motor profile. The motor profile of the children was considered of mean value (98.45). There were higher mean values (108.32) in the fine motor quotient (FMQ), compared to those found in the gross motor quotient (91.84) (GMQ). The test with the highest average (11.95) was the visual-motor integration (VMI), and the manipulation of objects (MO) the one with the lowest average (7.82). Most children had normal weight (88.6%), 4.6% are overweight and 6.8% are obese. When we compared the motor profile by gender, girls had higher mean values than boys in the VMI (p =. 007) and FMQ (p =. 019) and, in turn, boys had higher values in MO (p =. 031). From the regression results, 18.3% of the variance of the GMQ (p =. 011) is explained by the variables BMI, degree of obesity and school extracurricular activities (SEA), registering only the influence of the SEA (β =. 274, p =. 05). In FMQ, 21.5% of the variance (p =. 005) is explained by the variables of gender, possession of game console and mother’s qualifications. It was only found predictive value in the variable of mother’s qualifications (β =. 295, p =. 040). 29.5% of the variance of the total motor quotient (TMQ) is explained by the mother’s qualifications, (β =. 379, p =. 005), the number of adults in the household (β =. 286, p =. 033) and the degree of obesity (β = -. 317, p =. 018). In conclusion, the biological factors were not the most predictive of the motor profile of these children, but the sociocultural variable and the variables related to the mother’s qualifications and SEA.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Educação Física, especialização em Desenvolvimento da Criança, variante Desenvolvimento Motor
Palavras-chave
Crianças , Perfil motor , Variáveis biológicas e socioculturais
Citação