Satisfação com o suporte social e sobrecarga do cuidador informal do utente dependente: intervenção de Enfermagem Comunitária

Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Introdução: O presente relatório foi realizado no âmbito da unidade curricular Estágio e Relatório, do 2º ano, 1º semestre, do Curso de Mestrado em Enfermagem Comunitária da Escola Superior de Saúde da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. O estágio decorreu no período compreendido entre 13 de setembro de 2021 e 11 de fevereiro de 2022, na Unidade de Cuidados na Comunidade Cuidar Penafiel e na Unidade de Saúde Pública Vale do Sousa Sul que pertencem ao Agrupamento de Centros de Saúde Tâmega II - Vale do Sousa Sul. Objetivos: O estágio tinha como objetivo geral desenvolver as competências específicas do Enfermeiro Especialista em Enfermagem Comunitária na Área de Enfermagem de Saúde Comunitária e Saúde Pública, assim como as competências comuns do Enfermeiro Especialista e aplicar as etapas da metodologia do Planeamento em Saúde. Neste sentido foi realizado o projeto “Capacitar para Cuidar” com os seguintes objetivos: i) analisar a relação entre a satisfação com o suporte social e a sobrecarga do cuidador informal do utente dependente; ii) planear, implementar e avaliar uma intervenção de enfermagem com o objetivo de aumentar a literacia sobre o suporte social e diminuir a sobrecarga do cuidador. Metodologia: Aplicou-se a metodologia do planeamento em saúde e implementou-se o projeto de intervenção “Capacitar para Cuidar” com avaliação no momento 1, antes da intervenção e no momento 2, após a intervenção. O diagnóstico de situação em saúde foi efetuado através de um estudo observacional, de abordagem transversal, quantitativa e descritivo-correlacional. A recolha de dados foi efetuada através da aplicação de um questionário que incluía o Índice de Satisfação com o Suporte Social e o Índice de Perceção de Sobrecarga (Escala de Zarit). Foram respeitados os procedimentos éticos. Os dados recolhidos foram objeto de análise estatística, descritiva e inferencial com recurso ao programa IBM SPSS, versão 26. Resultados: Participaram no diagnóstico de situação 51 cuidadores informais, 78,4% eram mulheres casadas, 88,2 % coabitavam com a pessoa que cuidavam. Quanto ao grau de parentesco, 47% eram filho(a) e 29,4% conjugues do utente dependente. Destes cuidadores informais, 29,4% apresentavam um nível de escolaridade médio/baixo, 27,5% encontravam-se reformados e 52,9% assumiram o papel de cuidador informal há cinco ou mais anos, sendo que 72,5% referiram ter assumido este papel por obrigação. Quando questionados sobre as ajudas que mais precisavam, 76,5% referiu apoio económico, 49% apoio para cuidar do doente quando tinha necessidade de se ausentar do domicílio. Verificamos que 80,4% dos cuidadores informais apresentava algum nível de sobrecarga, com maior impacto nos cuidadores informais que prestavam cuidados há cerca de 1-2 anos. O projeto de intervenção “Capacitar para Cuidar” permitiu reduzir a sobrecarga em 50% dos cuidadores informais, aumentar em 56,3% dos cuidadores a satisfação com as atividades sociais, aumentar em 84,4% dos cuidadores informais a satisfação com a intimidade. Conseguiu-se um aumento da satisfação com o suporte social geral em 90,6% dos cuidadores informais. Conclusão: A unidade curricular estágio e relatório permitiu-nos o desenvolvimento das competências específicas do Enfermeiro Especialista em Enfermagem Comunitária na Área de Enfermagem de Saúde Comunitária e Saúde Pública. Os resultados obtidos neste estudo corroboram os resultados de outros estudos que encontramos na literatura, evidenciando a importância do estabelecimento de parcerias na comunidade, mobilizadoras de equipas multiprofissionais e do poder local. Sublinhamos a necessidade dos Enfermeiros Especialistas em Enfermagem Comunitária na Área de Enfermagem de Saúde Comunitária e de Saúde Pública liderarem, coordenarem a implementarem intervenções e atividades em grupo que permitam ao cuidador informal partilhar experiências e aumentar a literacia e, consequentemente, melhorar a sua qualidade de vida e a qualidade dos cuidados que prestam às pessoas que cuidam.
Introduction: This report was conducted within the scope of the Internship and Report of the second year, 1st semester of the master’s degree in Community Nursing of the School of Health of the University of Trás-os-Montes e Alto Douro. The internship took place between September 13, 2021, and February 11, 2022, in the Community Care Unit “Cuidar Penafiel” and in the Public Health Unit Vale do Sousa Sul that belong to the Health Care Cluster Tâmega II - Vale do Sousa Sul. Objectives: The internship had as a general goal to develop the specific skills of the Specialist Nurse in Community Nursing in the Area of Community Health and Public Health Nursing, as well as the common skills of the Specialist Nurse and apply the steps of the Health Planning method. Therefore, the project "Empowering to Care" was conducted with the following objectives: i) to analyse the relationship between the satisfaction with social support and the burden of the informal caregiver of dependent patients; ii) to plan, implement and evaluate a nursing intervention aimed at increasing social support literacy and decreasing caregiver burden. Methodology: The health planning methodology was applied and the intervention project "Empowering to Care" was implemented with assessment at moment 1, before the intervention, and at moment 2, after the intervention. The diagnosis of the health situation was made through an observational, cross-sectional, quantitative, and descriptive-correlational study. Data collection was performed through the application of a questionnaire that included the Index of Satisfaction with Social Support and the Index of Perceived Burden (Zarit Scale). Ethical procedures were followed. The data collected were subject to statistical, descriptive, and inferential analysis using the IBM SPSS software, version 26. Results: 51 informal caregivers took part in the situation diagnosis, 78.4% were married women, 88.2% lived with the person they cared for. As for the degree of kinship, 47% were children and 29.4% were spouses of the dependent user. Of these informal caregivers, 29.4% had a medium/low level of education, 27.5% were retired and 52.9% had assumed the role of informal caregiver for five or more years, with 72.5% reporting having assumed this role out of obligation. When questioned about the help they most needed, 76.5% reported economic support, 49% support to take care of the patient when they needed to be away from home. We found that 80.4% of the informal caregivers had some level of burden, with greater impact on informal caregivers who had been supplying care for 1-2 years. The intervention project "Empowering to Care" allowed reducing the burden in 50% of the informal caregivers, increasing the satisfaction with social activities in 56.3% of the caregivers, and increasing the satisfaction with intimacy in 84.4% of the informal caregivers. Satisfaction with general social support was increased in 90.6% of the informal caregivers. Conclusion: The internship and report curricular unit allowed us to develop the specific skills of the Specialist Community Nurse in Community Health Nursing and Public Health Nursing. The results obtained in this study corroborate the results of other studies found in the literature, highlighting the importance of establishing community partnerships that mobilize multidisciplinary teams and local authorities. We emphasize the need for Community Nurse Specialists in Community Health Nursing and Public Health Nursing to lead, coordinate and implement group interventions and activities that allow informal caregivers to share experiences and increase literacy and, consequently, improve their quality of life and the quality of care provided to the people they care for.
Descrição
Este trabalho foi expressamente elaborado como estágio e relatório original para efeito de obtenção do grau de Mestre em Enfermagem Comunitária, sendo apresentado na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.
Palavras-chave
Cuidador informal , Utente dependente
Citação