Emergência intra-hospitalar: fatores que influenciam os conhecimentos e práticas dos profissionais de saúde

Data
2018-12-17
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
A equipa de emergência intra-hospitalar terá como cenário de atuação a emergência em ambiente hospitalar à pessoa em situação crítica. Um grupo minoritário mas significativo de doentes urgentes apresenta risco de admissão em unidades de cuidados intensivos não programada, paragem cardiorrespiratória ou até mesmo morte, sendo definido como doente emergente. A inquietação que motivou o presente estudo baseou-se na ausência de um sistema de resposta rápida na deteção e intervenção perante um evento adverso na pessoa em situação crítica em ambiente intra-hospitalar. Pretendemos identificar os fatores que influenciam os conhecimentos e as práticas na abordagem à pessoa em situação crítica em ambiente intrahospitalar. Tratou-se de um estudo descritivo-correlacional, transversal de abordagem quantitativa, cuja amostra incluiu 24 médicos e 141 enfermeiros, a exercer atividade numa unidade hospitalar, do norte de Portugal. Na recolha de dados utilizou-se um questionário de autopreenchimento que foi aplicado pelo investigador, no período de tempo entre dezembro de 2017 e fevereiro de 2018. O tratamento de dados foi efetuado com recurso ao software SPSS. Do total da amostra (n=165 profissionais de saúde), a maioria pertencia ao sexo feminino (74,5%), enquadrava-se no grupo etário dos 25-44 anos (adultos jovens) (53,3%), a maioria detinha como habilitação académica a licenciatura (92,7%), o maior grupo exercia funções no serviço de Medicina (31,5%), a maioria não desempenhava funções na equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (91,5%), não desempenhava funções de gestão (92,1%) e o maior grupo detinha um tempo de exercício profissional, tempo de exercício na profissão e tempo de exercício no serviço, respetivamente, de 16-25 anos (44,8%), 16-25 anos (38,8%) e de 6-15 anos (33,9%). Obtivemos uma caracterização dos conhecimentos em emergência intra-hospitalar e da perceção dos profissionais de saúde acerca das suas práticas na abordagem da pessoa em situação crítica em ambiente intra-hospitalar, traduzida em nível de bons conhecimentos, bem como boas práticas na abordagem da pessoa em situação crítica. Os fatores identificados que estavam relacionados com os conhecimentos na abordagem da pessoa em situação crítica em ambiente intra-hospitalar são a profissão, a formação (profissional e específica) e a experiência em emergência (situações sem paragem cardiorrespiratória). Em relação à perceção das práticas, são a formação (formação específica) a experiência em emergência (o serviço no qual desempenham funções, e situações de emergência com paragem cardiorrespiratória) e conhecimentos em emergência intrahospitalar. Sabendo que os fatores que influenciam os conhecimentos na emergência intra- hospitalar passam pela formação específica, é fulcral o investimento institucional na formação contínua dos profissionais de saúde de modo a garantir segurança. Neste contexto, no âmbito da emergência intra-hospitalar é clara a necessidade de integração do enfermeiro com especialidade em enfermagem à pessoa em situação crítica, com formação em emergência, não apenas na equipa de emergência intra-hospitalar, mas nos serviços de internamento e de apoio ao utente.
The in-hospital emergency team will practice the scenario emergency in hospital environment to person in critical condition. A minority but significant group of urgent patients presenting risk of admission in urgent intensive care units not scheduled, cardiac arrest, or even death, being defined as a patient. The concern that motivated the present study was based on the absence a rapid response system on detection and intervention before an adverse event in the person in critical condition in an in-hospital environment. We aim to identify the factors that influence the knowledge and practices in addressing the critical situation in an in-hospital environment. This was a descriptive-correlational study, quantitative approach cross, whose sample included 24 doctors and 141 nurses to exercise activity in a hospital, in the north of Portugal. In the data collection it was used a self-completion questionnaire that was applied by the researcher, in the period between December 2017 and February 2018. Data processing was performed using SPSS software. Of the total sample (n = 165 health professionals), the majority belonged to the female (74.5%), was in the age group of 25-44 years (young adults) (53.3%), the vast majority of health professionals participants held as academic degree qualification (92.7%), the largest group held positions in the service of medicine (31.5%), the vast majority did not hold positions in ambulance emergency response vehicle team (91.5%), did not perform functions of management (92.1%) and the largest group held a time of professional exercise, exercise time in the profession and exercise time in the service, respectively, of 16-25 years (44.8%), 16-25 years ( 38.8%) and 6-15 years (33.9%). We obtained a characterization of in-hospital emergency knowledge and the perception of health professionals about their practices in approaching the person in critical situation in an inhospital environment, translated into a level of good knowledge, as well as good practices in approaching the person in question. critical situation. The identified factors that were related to the knowledge in approaching the person in critical situation in an in-hospital environment are profession, training (professional and specific) and emergency experience (non-cardiac arrest situations). In relation to the perception of practices are training (specific training) the experience in emergency (the service in which they perform functions, and emergency situations with cardiac arrest) and in-hospital emergency knowledge. Knowing that the factors that influence the knowledge in the in-hospital emergency go through the specific training, institutional investment in the continuous training of health professionals is crucial to ensure safety. In this context, in the context of the in-hospital emergency, it is clear the need to integrate the nurses with a Nursing specialty into the critical situation, with emergency training, not only in the in-hospital emergency team, but also in the inpatient and outpatient services support.
Descrição
Dissertação original para efeito de obtenção do grau de Mestre em Enfermagem da Pessoa em Situação Crítica, sendo apresentada na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.
Palavras-chave
Emergências , Hospitais , Conhecimentos, atitudes e práticas em saúde , Profissional de saúde
Citação