Evaluation of the enological potential of three resistant varieties in the region of Veneto

Data
2023-07-20
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
In Italy now the plantation of 36 resistant varieties of vine is authorized, among them 24 are allowed in Veneto region. Resistant varieties come from the crossing between Vitis vinifera and other species of Vitis with a different origin, in which the repetitive cross with Vitis vinifera allow to contain in their genome about 95% of vinifera genetic material. After each cross, the selection of individuals is made following the resistance to different pathogens, mainly oidium and mildew, even though some selection was obtained with partial resistance to Botrytis, to acetic rot and to some climatical conditions. In this work we followed the microvinification of 3 resistant varieties in collaboration with Veneto Agricoltura agency, analyzing different parameters. All the work was done just for research, because Veneto Agricoltura is a regional research agency and doesn’t produce wines with the purpose of commercialization. As a matter of fact, even though the resistant varieties are allowed for wine production, their introduction is very recent and much research are still to be performed. The three varieties studied are: Cabernet Cortis, Prior and Johanniter, being the first two red, and the other white. With Cabernet Cortis the harvest was made in three different periods and with Prior in two different moments, to evaluate the total and diglucoside anthocyanins accumulation during ripening; with Johanniter a base wine for sparkling wine production was prepared and used for a second fermentation in autoclave (Martinotti method) in blend at 5%, 10% and 15% with Glera (Prosecco grape variety) base wine. These experimental vinifications were compared with a Prosecco prepared with 100% Glera 100%, in order to evaluate in which way Johanniter can alter the profile of this iconic wine.
Em Itália está autorizada a plantação de 36 variedades resistentes de vinha e na região de Veneto encontram-se cerca de 24. As variedades resistentes são cruzamentos entre Vitis Vinifera e outras espécies de Vitis com uma origem diferente, no entanto 95% da sua composição genética é Vitis Vinifera. A união cria uma nova variedade, uma vez que estas adquirem resistência ao oídio, míldio, sensibilidade reduzida à botrítis, podridão acética e condições climáticas diversas, mas não são imunes. Neste trabalho acompanhamos a microvinificação de 3 variedades resistentes com a entidade Veneto Agricoltura, e analisei diferentes parâmetros. Este trabalho é feito para pesquisa de dados e para chegar a conclusões com os resultados, porque esta entidade não produz vinhos com o objetivo de os comercializar, mas sim para estudos. As três castas em estudo são: Cabernet Cortis, Prior e Johanniter, sendo as duas primeiras tintas, e a outra branca. Com Cabernet Cortis a vindima foi efetuada em três períodos diferentes e é avaliada a presença de antocianinas diglucosídicas; Relativamente à casta Prior a vindima é feita em dois momentos diferentes com avaliação de antocianinas também; com a casta Johanniter foi elaborado um vinho base para espumantização e com uma percentagem diferente de 5%, 10% e 15% em lote com Glera (utilizada na produção de Prosecco), no qual o confronto é com um Prosecco (Glera 100%), e avaliar de que forma altera o perfil deste vinho icónico.
Descrição
Mestrado em Enologia e Viticultura
Palavras-chave
Sustentabilidade , Variedades resistentes
Citação