Contributos da intervenção de enfermagem na antecipação do parto

Data
2017-05-03
Título da revista
ISSN da revista
Título do Volume
Editora
Projetos de investigação
Unidades organizacionais
Fascículo
Resumo
Introdução: A frequência dos cursos de preparação para o parto e parentalidade (CPPP) apresenta-se como fundamental para responder às necessidades da grávida/casal no período de transição para a parentalidade. Os enfermeiros especialistas em enfermagem de saúde materna e obstetrícia têm um papel preponderante, no sentido de habilitar os futuros pais para lidar de forma mais elucidada e confiante com a experiência de parto e de parentalidade. Objetivos: Foi objetivo deste estudo analisar os contributos da frequência do CPPP na experiência de antecipação do parto de grávidas primíparas com assistência na gravidez na consulta externa de um centro hospitalar da região norte do país. Metodologia: Foi realizado um estudo quantitativo, descritivo-correlacional e transversal, numa amostra não probabilística acidental constituída por 84 grávidas. Da amostra, 44 grávidas frequentaram o CPPP e 40 não frequentaram. Como instrumento de recolha de dados foi utilizado um questionário que permitiu recolher dados sociodemográficos, história obstétrica, assistência na gravidez e sobre as expectativas de antecipação do parto. Resultados: As grávidas têm uma média de idades de 30 anos, na sua maioria são casadas e empregadas. As gravidezes foram desejadas e planeadas e são assistidas nos serviços públicos com uma rede de apoio sustentada e diversificada. As grávidas que frequentam o CPPP revelam uma apreciação mais positiva e uma maior satisfação com o papel assistencial dos enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia, no decurso da gravidez, comparativamente com as que não frequentaram o CPP, nomeadamente no que respeita ao aprender a lidar com a dor e medos do parto e na minimização de dúvidas e receios. De todas as dimensões avaliadas sobre a antecipação do parto, só na dimensão “planeamento e preparação do parto” se observaram diferenças significativas, sendo que as primíparas que frequentaram o CPPP têm uma apreciação mais positiva do planeamento e preparação do parto do que as que não frequentaram o CPPP. Conclusões: Tendo em linha de conta as mais-valias apresentadas pela frequência do CPPP, com a possibilidade de capacitar a mulher/casal a vivenciar a maternidade sem incertezas e receios, tornando-a uma experiência mais positiva e gratificante. Consideramos importante manter os CPPP nos serviços de saúde públicos, dinamizados pelos enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia, numa resposta integrada a nível nacional, e adequada às necessidades de cada grávida/casal, neste período particularmente importante do ciclo de vida que é o nascimento de um filho.
Introduction: The attendance of preparation for childbirth and parenting courses (PCPC) is critical to meet the needs of the pregnant women / couple in the transition to parenthood. The midwives have a major role in preparing future parents to deal with the childbirth experience and parenting in a more elucidated and confident way nurses who specialize in maternal and midwifery nursing have a preponderant role in enabling future parents to deal more fully and confidently with childbirth and parenting experiences. Objectives: The objective of this study was to analyze the contributions of PCPC attendance in the experience of anticipating the delivery in first pregnant women with care during pregnancy in a hospital from the northern region of the country. Methodology: A descritive and cross-sectional study was conducted in a non-probabilistic sample of 88 first pregnant women. Sample was composed by 44 pregnant women attending the PSPC and 40 did not attending. Data were collected using a self-report questionnaire on sociodemographic characteristics, obstetric history, care during pregnancy and information on birth anticipation expectations. Results: Pregnant women have an average age of 30 years, most of them are married and employed. The pregnancies were desired and planned and are assisted in public services with a sustained and diversified support network. Pregnant women attending the PSPC have a more positive appreciation and greater satisfaction with the role of midwifery in the PCPC , compared to those who did not attend PCPC, namely in learning to deal with the pain and fears of childbirth and in minimizing doubts and fears. Of all the dimensions evaluated in the expectation of childbirth anticipation only in the dimension "planning and preparation of childbirth" significant differences were observed, and the expectancy means of the first pregnant women who participated in the PCCP were higher than those who did not participate. Conclusions: Taking into account the added value brought by the frequency of the PCPC, with the possibility of empowering the woman/couple to experience parenthood uncertainties and fears, making it a positive and rewarding experience. It is important to maintain PSPC in the public health services, dynamited by the midwifery, in an integrated response at national level, appropriate to the needs of each pregnant/couple, during this particularly important period of the life cycle which is the birth of a child.
Descrição
Dissertação de Mestrado em Enfermagem de Saúde Materna e Obstetrícia
Palavras-chave
Enfermagem obstétrica , Parentalidade , Antecipação do parto , Preparação para o parto
Citação