Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/10240
Title: Consumos de substâncias em estudantes do ensino superior: relação com a perceção de resiliência familiar e perceção de saúde
Authors: Ferreira, Joana Oliveira
Advisor: Antunes, Maria Cristina Quintas
Keywords: Consumo de substâncias
Perceção de resiliência familiar
Issue Date: 25-Jan-2020
Abstract: O presente estudo teve como principal objetivo avaliar o consumo de substâncias, lícitas e ilícitas em estudantes do ensino superior, relacionando-o com a perceção de resiliência familiar. Pretende-se averiguar se existem diferenças de género e entre consumidores e não consumidores de substâncias face à perceção que têm relativamente à resiliência da sua família. E por fim, testar o efeito preditor da perceção de resiliência familiar no consumo de substâncias lícitas e ilícitas. Participaram neste estudo 472 estudantes provenientes de uma universidade pública do Norte de Portugal, sendo que 63.3% (n = 299) são do sexo feminino e 36.7% (n = 173) são do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 18 e os 32 anos (M = 20.02, DP = 2.18). Para a avaliação das variáveis em estudo, foi utilizado um questionário sociodemográfico construído para o estudo, a Fantastic Lifestyle Assessment (FANTASTICO), validada para a população portuguesa por Silva, Brito e Amado (2014) e a Escala de Perfil de Resiliência Familiar, adaptada por Peixoto e Martins (2012). Os resultados deste estudo apontam para aexistência de diferenças de género estatisticamente significativas relativamente ao estilo de vida praticado pelos estudantes do ensino superior, sendo o género feminino quem apresenta melhor estilo de vida relativamente ao consumo de tabaco, álcool e outras drogas, e à perceção de resiliência que têm da sua família, sendo o género feminino quem perceciona a sua família como mais resiliente. Foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre consumidores e não consumidores de tabaco, relativamente à perceção de resiliência familiar, sendo os não consumidores de tabaco aqueles que percecionam a sua família como mais resiliente. Foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre consumidores e não consumidores de álcool e outras drogas face à perceção de coerência que têm da sua família, sendo os não consumidores de álcool e outras drogas aqueles que percecionam a sua família como mais perceção de saúde 18 coesa. Existe um efeito preditor do envolvimento familiar sobre o consumo de tabaco, álcool e outras drogas.
This study has as its main objective evaluate the licit and illicit substance consumption, relating in students currently in the university, relating it to the perception of family resilience. It is intended to determine if there are gender differences and between consumers and non-consumers of substances facing their perception relatively to their family resilience. And finally, test the perception of family resilience with the use of licit and illicit substances. 472 university students from a public university of the North of Portugal participated in this study, being that 63.3% (n = 299) are female and 36.7% (n = 173) are male, with ages comprehended between 18 and 32 years old (M = 20.02, DP = 2.18). To evaluate the variables under study, a sociodemographic questionnaire was made for this study, the Fantastic Lifestyle Assessment (FANTASTICO), validated for the Portuguese population by Silva, Brito e Amado (2014) and the Family Resilience Profile Scale (PRF), adapted for the Portuguese population by Peixoto and Martins (2012). The results of this study point for the existence of significative statistic gender differences relative to the current students’ lifestyle, female gender presents better lifestyle in smoking, alcohol and other drugs, and their family resilience, being the female who perceives her family as more resilient. Statistically significant differences were found between tobacco consumers and non-consumers regarding the perception of family resilience. Non-tobacco users are those who perceive their family as more resilient. Statistically significant differences were found users and non-users of alcohol and other drugs regarding their perceived coherence of their family, non-users of alcohol and other drugs are those who perceive their family as more cohesive. There is a predictive effect of family involvement on the tobacco, alcohol and other drugs consumption.
Description: Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica
URI: http://hdl.handle.net/10348/10240
Document Type: Master Thesis
Appears in Collections:DEP - Dissertações de Mestrado
TD - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Joana Oliveira Ferreira.pdf540,9 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.