Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/3286
Title: Avaliação da performance no treino em jogos desportivos coletivos
Authors: Abade, Eduardo André de Azevedo
Advisor: Sampaio, António Jaime da Eira
Keywords: Andebol
Futebol
Treino de força
Planeamento a curto prazo
Carga interna
Carga externa
Jogos reduzidos
Perfis de performance
Issue Date: 10-Sep-2014
Abstract: O planeamento a curto prazo em jogos desportivos coletivos representa um desafio para os treinadores, uma vez que o microciclo semanal inclui sessões de treino com objetivos múltiplos. A necessidade de manter ou melhorar a capacidade física, o desenvolvimento das habilidades técnicas e o treino tático, convergem numa complexidade de conteúdos que requer conhecimentos profundos acerca das suas interações, no sentido de otimizar a periodização e o planeamento do treino. Neste sentido, conhecer os perfis de carga externa e interna dos jogadores torna-se imprescindível para um planeamento dirigido à melhoria da performance desportiva. Uma vez que o treino técnico-tático é incapaz de induzir adaptações neuromusculares significativas, a primeira parte deste estudo procurou descrever os efeitos agudos que a adição de sessões específicas de treino de força teve na resposta física, fisiológica e performance técnico-tática em sessões de treino de Andebol. O treino de força mostrou-se influenciador da intensidade do esforço durante a prática dos jogos reduzidos. Os jogadores passaram mais tempo em zonas elevadas de frequência cardíaca quando existiu treino de força antecedente. Em sessões de treino com jogos reduzidos 6x6, o treino de força mostrou-se útil no aumento da intensidade do esforço, não deteriorando a capacidade de salto. Mesmo antecedendo jogos reduzidos 3x3, o treino de força promoveu aumentos do tempo passado em zonas elevadas de frequência cardíaca, assumindo-se como uma ferramenta apropriada para o desenvolvimento da performance aeróbia em contexto de jogo. No entanto, os treinadores deverão considerar a possibilidade da ocorrência de mais falhas técnicas e diminuição da eficácia no remate quando o treino de força antecede sessões de jogos reduzidos com um menor número de participantes. A segunda parte desta tese focou-se na avaliação da carga externa durante unidades de treino de futebol, através da descrição de perfis de performance e métodos de classificação dos jogadores. Aparentemente, a elevada variabilidade de estímulos é uma característica transversal às sessões de treino de equipas jovens de elite (sub-15/17/19). O foco no desenvolvimento de princípios táticos básicos e habilidades técnicas em idades mais jovens (sub-15) parece diminuir o estímulo fisiológico. Por outro lado, à medida que a idade biológica avança, os treinadores parecem privilegiar mais situações de jogo, o que resulta num aumento significativo da intensidade do treino. Esta tendência foi mais evidente nas unidades de treino de escalões sub-17, constituídas por jogos reduzidos com poucos constrangimentos que induziram valores mais elevados de distâncias totais e distâncias percorridas em sprint. Em idades mais avançadas (sub-19), as interrupções e feedbacks recorrentes da crescente preocupação com os modelos táticos das equipas parece comprometer o padrão fisiológico competitivo. Esta descrição dos perfis físicos e fisiológicos foi ainda utilizada para classificar os jogadores em grupos distintos de performance, em detrimento de critérios comuns como a idade e posto específico. O estabelecimento de grupos homogéneos reduziu a variabilidade na resposta ao estímulo, o que permite aos treinadores um controlo mais eficiente das respostas às cargas de treino.
Short-term planning in team sports is challenging for coaches, since the weekly training cycles include sessions with multiple goals. The need to maintain or improve the physical capacity, the development of technical skills and tactical training, represent a complexity of contents that require a significant knowledge of its interactions in order to optimize the training processes. In this sense, studying the players’ internal and external loads profiles is a key issue to establish training programs aimed for the improvement of sports performance. Technical and tactical training do not induce significant neuromuscular adaptations. For that reason, the first part of this study described the acute effects of specific strength training sessions in the physical, physiological, technical and tactical response during handball small sided games. It was showed that strength training influenced the intensity of the effort during small sided games. The players spent more time in higher heart rate zones when there was precedent strength training. In training sessions that included 6x6 small sided games, strength training was able to increase training intensity without impairing the vertical jump capacity. Even when strength training preceded 3x3 small sided games, players experienced more time in higher heart rate zones. Thus, strength training may be used as an appropriate tool to develop the aerobic performance in game context. However, coaches should consider the occurrence of a higher number of technical errors and the deterioration of the shots efficiency when strength training precedes small sided games with a lower number of players. The second part of this thesis focused on the evaluation of the external load during football training units, using the description of performance profiles and methods of classifying the players. Apparently, the high variability of stimuli is a key characteristic of elite young football training sessions (sub-15/17/19). The focus on the development of basic tactical principles and technical skills in younger ages (sub-15) seems to decrease the physiological stimulus. On the other hand, as the biological age increases coaches seem to privilege more game situations, which results in higher training intensities. This trend was clearer in sub-17 training units that included small sided games with fewer constraints, inducing higher values of total distances and distances covered in sprint. In older ages (sub-19), the focus on team tactical principles appears to require additional coaching intervention, promoting more interruptions and compromising the replication of the competitive physiological pattern. This description of the physical and physiological profiles was also used to classify the players in different groups of performance, contrasting the traditional criteria of classification based on age and specific playing position. The establishment of homogenous groups reduced the variability of the response to stimuli, allowing coaches to have a more accurate and efficient control on the players’ responses to training loads.
Description: Tese de Doutoramento em Ciências do Desporto
URI: http://hdl.handle.net/10348/3286
Document Type: Doctoral Thesis
Appears in Collections:OLD - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
phd_eaaabade.pdf1,73 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.