Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/3291
Title: Impacto de diferentes programas de treinamento para resistência aeróbia aplicado a jovens atletas de futebol
Authors: Souza, Divaldo Martins de
Advisor: Mota, Maria Paula Gonçalves da
Keywords: Futebol
Antropometria
Resistência aeróbia
Bioimpedância
Cardiopulmonar
Psicomotor
Issue Date: 10-Sep-2014
Abstract: Esta pesquisa teve delineamento quase-experimental, do tipo comparativo causal. O objetivo geral foi analisar os efeitos de quatro diferentes métodos de treinamento da resistência aeróbia sobre diferentes níveis de variáveis corporais em jovens atletas de futebol de 16 a 20 anos de idade. A amostra foi constituída por 28 atletas masculinos de futebol das divisões de base de clubes de Belém e Ananindeua de 16 a 20 anos, distribuídos aleatória e equitativamente em quatro grupos experimentais, que treinaram por doze semanas em três sessões semanais. O G1 treinou exclusivamente tecnicamente, o G2 treinou técnico e físico com uma intensidade entre 70 e 78% do VO2máx., o G3 treinou técnico e físico com uma intensidade em torno de 85% do VO2máx. e G4 treinou técnico e físico com uma intensidade entre crecente entre 70 e 85% do VO2máx.. Foram avaliados parâmetros antropométricos, de composição corporal, cardiopulmonares em repouso em exercício e motores específicos. As avaliações ocorreram em dois dias, sendo no primeiro a antropometria, a bioimpedância e os testes psicomotores, e no segundo as variáveis cardiopulmonares em repouso e em esforço máximo em esteira através da ergoespirometria, sendo reavaliados após o treinamento. Os dados foram tratados no SPSS 18.0, através da estatística descritiva (média, desvio padrão e normalidade - Shapiro- Wilk) e inferencial: teste t de Student para avaliar as diferenças entre o pré e pós-teste em cada grupo; General Linear Model para analisar a variância intra e inter sujeitos; e a Correlação de Pearson para apreciar a associação entre as variáveis. Foi adotado um nível de significância de p≤0,05. Na antropometria e composição corporal ocorreram alterações significativas no G1 na estatura, no G2 no peso total, na estatura, no peso muscular e na massa magra, e no G4 no peso total, na estatura e no peso muscular. Não foram identificadas diferenças significativas na variação antropometrica e da composição corporal entre os grupos. Nas variáveis cardiopulmonares em repouso ocorreram alterações significativas no G1 na pressão sistólica, no G2 na capacidade vital e nas pressões sistólica e diastólica, no G3 na frequência cardíaca e na pressão sistólica. Não foram identificadas diferenças significativas na variação dos parâmetros cardiopulmonares em repouso entre os grupos. Nos três momentos do teste de esforço cardiopulmonar ocorreram alterações significativas: no G1, no limiar II (duração, velocidade, inclinação da esteira e nas potências absoluta e relativa), e no esforço máximo (duração, velocidade, inclinação da esteira, frequência cardíaca, percentual da frequência cardíaca máxima e nas potências); no G2 ocorreram alterações significativas no limiar I (frequência cardíaca e percentual da frequência cardíaca máxima), no limiar II (duração, velocidade, inclinação da esteira e potências), e no esforço máximo (duração, velocidade, inclinação da esteira e potências); no G3, no limiar II (duração, velocidade, inclinação da esteira e potências), e no esforço máximo (duração, velocidade, inclinação da esteira e potências); no G4, no esforço máximo (VO2 absoluto e relativo). Os diferentes treinamentos tiveram diferenças estatísticas na variação do VO2 absoluto e relativo entre os grupos. Nas variáveis motoras ocorreram alterações significativas no G1 na eficiência do passe e no tempo de realização dos testes de condução de bola entre obstáculos e de condução de bola em velocidade, no G2 na eficiência de passe, na condução de bola entre obstáculos e em velocidade, no G3 na condução de bola entre obstáculos, e no G4 na velocidade de condução de bola entre obstáculos e em velocidade, sem diferenças na variação entre os grupos. Se concluiu que os diferentes procedimentos de treinamento adotados junto aos grupos foram capazes de provocar adaptações nos diferentes parâmetros pesquisados porém, somente em algumas das variáveis relativas ao componente cardiopulmonar é que os efeitos dos treinamentos foram diferentes entre os grupos, sendo as metodologias de treinamento propostas aos G1 e G2 as que apresentaram melhores benefícios para os jovens jogadores de futebol, com particular ênfase para o G2.
This research had an almost experimental design, of comparative causative type. The overall purpose was to analyze the effects of four different training methods of aerobic endurance on different levels of body variables in young soccer players aged from 16 to 20 years old. The sample consisted of 28 male soccer players from the youth squads of Belém and Ananindeua aged from 16 to 20 years old, distributed randomly and equally in four experimental groups that trained for twelve weeks in three weekly sessions. Group G1 had trained exclusively technically; G2 trained technically and physically with an intensity ranging from 70 to 78% of VO2max.; G3 trained technically and physically with an intensity around 85% of VO2max. and G4 trained technically and physically with an increasing intensity from 70 to 78% of VO2max.. Anthropometric, body composition, rest and exercise cardiopulmonary and specific motor parameters were evaluated previously and after 12 weeks of training program. The evaluation happened in two days: in the first day anthropometry, body composition and psychomotor tests were performed, and in the second cardiopulmonary variables at rest and in maximum effort were measured through ergospirometry. The data was treated through the SPSS 18.0, through the descriptive statistic (average, standard deviation and normality - Shapiro-Wilk), and inferential statistic tests (student t-test to evaluate the differences between the pre and post-test in each group; General Linear Model to test the variance within and between groups; and the linear correlation of Pearson, to appreciated variables association. A level of p≤0,05 significance was adopted. In the anthropometry and body composition significant changes occurred in G1 in the height, in G2 in the total weight, in the height, in the muscle weight and in the lean body mass, and in G4 in the total weight, in the height and in the muscle weight. No differences between groups were found in anthropometry and body composition variables. In the cardiopulmonary variables at rest occurred significant changes in G1 in the systolic pressure, in G2 in the vital capacity and in the diastolic and systolic blood pressure, in G3 in the heart rate and in the systolic blood pressure, without differences in the variance between groups. In the three moments of the cardiopulmonary effort test occurred significant changes: in G1, in threshold II (in the length, speed, inclination and in the relative and absolute power), and in the maximum effort (in the length, speed, inclination, absolute and relative heart rate, an absolute and relative power); in G2, significant changes occurred at the threshold I (absolute and relative heart rate), threshold II (in the length, speed, inclination and in absolute and relative power), and at maximum effort (in the length, speed, inclination and absolute and relative power); in G3, at threshold II (in the length, speed, inclination and absolute and relative power) and at maximum effort (in the length, speed, inclination and absolute and relative power); in G4, at maximum effort, in absolute and relative VO2. The four trainings programs had different effects in the absolute and relative VO2 variance between groups. In the motor variables significant changes occurred in G1 in the pass efficiency and in the time of ball conduction between obstacles and in speed of ball conduction tests; in G2 in the pass efficiency, in the ball conduction between obstacles and in speed of ball conduction tests; in G3 in ball conduction between obstacles test, and in G4 in ball conduction between obstacles and in speed of ball conduction. No differences between groups were found in motor tests. It was concluded that the different training methods induced several changes in the studied parameters. However, only in some of the cardiopulmonary parameters the effect of training varied between groups. The overall results sugest that the training programs proposed to G1 and G2 are the ones that may induce more favoral changes to young football players, particularly the one performed by G2.
Description: Tese de Doutoramento em Ciências do Desporto
URI: http://hdl.handle.net/10348/3291
Document Type: Doctoral Thesis
Appears in Collections:OLD - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
phd_dmsouza.pdf7,17 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.