Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10348/3392
Título: Gestão do conhecimento em instituições de saúde com diferentes modelos de gestão
Autor: Cruz, Sofia Gaspar
Orientador: Ferreira, Maria Manuela Frederico
Rodrigues, Vitor Manuel Costa Pereira
Palavras-chave: Gestão do conhecimento
Gestão da saúde
Serviços de saúde
Data: 20-Nov-2014
Resumo: A gestão do conhecimento tem, desde há duas décadas, suscitado acrescido interesse entre investigadores e gestores. O interesse manifestado por este constructo baseia-se no pressuposto da existência de relação entre a gestão do conhecimento e o desempenho organizacional, numa lógica de criação e manutenção de vantagens competitivas sustentáveis, aspetos cruciais no atual contexto de elevada incerteza e constante mudança. Muito embora a gestão do conhecimento tenha surgido associada a setores altamente competitivos, atualmente, apresenta-se como uma necessidade operacional transversal a qualquer organização. No caso concreto das organizações de saúde, o interesse por esta temática, advém, por um lado, da pressão para aumentar a produtividade e diminuir os custos e, por outro, da procura incessante de melhoria da qualidade dos cuidados e diminuição dos erros clínicos, num momento em que se generalizam medidas reformistas, em prol da eficiência e sustentabilidade do sistema de saúde. Mercê da importância do conhecimento, e em decorrência da sua gestão, assiste-se a uma profusão de literatura em torno destes constructos. Porém, a compreensão de alguns fatores críticos de sucesso da gestão do conhecimento ainda não encontrou uma clarificação e sistematização inequívocas. O trabalho empírico centra-se na temática da gestão do conhecimento em instituições de saúde com diferentes modelos de gestão, de um modo particular, na análise da relação entre caraterísticas individuais e organizacionais e a gestão do conhecimento, e em que medida essa relação é mediada pelo modelo de gestão da instituição de saúde. Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo-correlacional, que utilizou como instrumento de recolha de dados um questionário, que foi por nós objeto de construção, a partir de itens de instrumentos de medida disponíveis na literatura. A amostra é constituída por 671 colaboradores de dez instituições públicas de saúde (hospitais e centros de saúde) enquadradas em três modelos de gestão: modelo Setor Público Administrativo, modelo Entidade Pública Empresarial e modelo Unidade de Saúde Familiar. Os resultados indicam que a gestão do conhecimento ocorre nas instituições públicas de saúde portuguesas, ainda que sob a forma de iniciativas isoladas e não propriamente como um projeto estruturado. O modelo de gestão da instituição mostra ser determinante da ocorrência de gestão do conhecimento: além de diferentes graus de ocorrência de gestão do conhecimento, nos vários modelos de gestão, verificam-se diferentes variáveis explicativas da gestão do conhecimento, nos modelos Setor Público Administrativo e Entidade Pública Empresarial. A gestão do conhecimento ocorre em maior grau nas instituições de saúde pautadas pelos princípios da gestão empresarial, concretamente, e de um modo sucedâneo, nas Unidades de Saúde Familiar e hospitais Entidades Públicas Empresariais. Vários fatores, mormente, de caráter organizacional, mas também de índole individual, mostram influenciar a ocorrência de gestão do conhecimento nas instituições públicas de saúde. Apesar de, alguns desses fatores serem transversais aos vários modelos de gestão, os fatores que determinam a ocorrência de gestão do conhecimento, em cada modelo de gestão, são distintos, sendo essa distinção evidente, por exemplo, na sua relevância preditiva. De entre os vários fatores organizacionais sobressaem a cultura organizacional, que emerge como a variável com maior poder explanatório no modelo Entidade Pública Empresarial e no modelo Setor Público Administrativo, e a utilização das tecnologias de informação e comunicação, que integra os modelos explicativos da gestão do conhecimento, no modelo Entidade Pública Empresarial e no modelo Setor Público Administrativo e está estatisticamente correlacionada com a gestão do conhecimento nas Unidades de Saúde Familiar. De salientar o papel preditivo de algumas variáveis individuais na gestão do conhecimento, mormente no modelo Entidade Pública Empresarial. Este trabalho contribui para o enriquecimento de uma linha de investigação que se refere à relação entre variáveis organizacionais e, principalmente, individuais e a gestão do conhecimento, num setor onde os estudos no âmbito desta temática são ainda incipientes, sobretudo num quadro de diferentes modelos de gestão. Contribui também para a prática de gestão das unidades de saúde e para as políticas de saúde através de sugestões/orientações que poderão vir a suportar medidas no âmbito da gestão estratégica, num contexto de diferentes modelos de gestão.
For two decades, the management of knowledge has raised an increased interest among researchers and managers. The interest expressed by this issue is based on the assumption that there is a connexion between knowledge management and organizational performance, establishing an idea of creation and preservation of sustainable competitive advantages, which are crucial aspects in the current context of high uncertainty and constant change. Soever the knowledge management has emerged associated with highly competitive departments, nowadays, it introduces itself to any organization as a transversal operational requirement. In what concerns to health organizations, at a time reformist measures are generalized to produce an efficient and sustainable health system, the interest in this topic comes, on the one hand, from the pressure to increase productivity and to reduce costs, and on the other hand, from the unceasing demand for the improvement of care quality as well as to diminish clinical errors. Due to the significance of knowledge and as an outcome of its management, we are assisting a plenty of literature around these ideas. However, the comprehension of some critical success factors of the knowledge management has, yet, not found an unequivocally clarification and systematization. The empirical work focuses on the subject of knowledge management on health institutions with different management standards, particularly, in the analysis of the relation between individual and organizational features and the knowledge management, and to what extent that relation is mediated by the health's institution knowledge management. This is a quantitative, descriptive, correlative study, which used a survey as an instrument of data collection. This construction's object was built by us from items measuring instruments available in the literature. The sample consists of 671 employees of ten health public institutions (hospitals and health centers) classified in three management models: the Public Administrative Sector model, the Public Corporate Entity model and the Family Health Unit model. The results indicate that knowledge management occurs in the portuguese public health institutions, though in the form of isolated initiatives instead of a structured project. The institution's management model shows to be crucial on the occurrence of knowledge management: besides the occurrence of different degrees of knowledge management in various management models, there are different explanatory variables for knowledge management in both Public Administrative Sector and Public Corporate Entity models. The knowledge management happens in a higher degree in health institutions ruled by the principles of corporate management, particularly, Family Health Units followed by hospitals which are Public Corporate Entities. There are several factors, especially of organizational character, but also of individual character, which show influence on the occurrence of knowledge management at public health institutions. Although some of these factors are transversal to the several management models, there are distinct factors that determine the occurrence of knowledge management in each management model, for example, in its predictive relevance. Among several organizational factors stands out an organizational culture, which emerges as a variable with higher explanatory power on the Public Corporate Entity model as well as on the Public Administrative Sector model, and the use the technologies of information and communication, which incorporates the explanatory models of the knowledge management, in the Public Corporate Entity and in the Public Administrative Sector, and which is statistically correlated with knowledge management in the Family Health Units. The predictive role of some individual variables in knowledge management must be emphasized, especially in Public Corporate Entity model. This work contributes to the enrichment of a line on research, which refers, mainly, to the relation, between organizational and individual variables and the knowledge management, particularly in an area where the research is still incipient, especially, in a context of different management models. In this context, this work also contributes to the practice of management on Health Units and it contributes to the health policies through suggestions that may support measures in strategic management.
Descrição: Tese de Doutoramento em Gestão
URI: http://hdl.handle.net/10348/3392
Tipo de Documento: Tese de Doutoramento
Aparece nas colecções:OLD - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
phd_sgcruz.pdf4,58 MBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.