Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/4641
Title: The asinina de Miranda donkey breed (Equus asinus): demographic analysis and characterization of the reproductive cycles
Authors: Quaresma, Miguel Nuno Pinheiro
Advisor: Carreira, Rita Maria Payan
Keywords: Raça (Asinina de Miranda)
Registo
Miranda do Douro (Distrito de Bragança, Portugal)
População animal
Estudo de viabilidade
Burro
Reprodução
Issue Date: 20-May-2015
Abstract: Os asininos desempenham um papel fundamental no equilíbrio ecológico das zonas rurais. O interesse na sua conservação e caracterização aumentou nos últimos anos. O principal objetivo deste trabalho foi o de aumentar o nível de conhecimento da demografia e reprodução da população da raça Asinina de Miranda, fornecendo suporte científico à implementação de estratégias de conservação e maneio. Estes objetivos foram alcançados através de uma aproximação multidisciplinar. Para a análise e caracterização demográficas, analisaram-se os Livros Genealógico e de Nascimentos, complementando-se a informação obtida com um inquérito aos proprietários dos animais. No sentido de prever a progressão da raça sob as atuais condições de maneio e de identificar as variáveis vitais à sua sobrevivência, utilizou-se um programa informático de análise de viabilidade de população, que mostrou que a raça está atualmente em risco de extinção. Os registos genealógicos e dos criadores foram igualmente analisados para identificar fatores humanos e genealógicos que possam vir a afetar a diversidade genética da raça. O principal fator limitante para a sobrevivência da raça foi a percentagem anual de fêmeas em reprodução, estando esta percentagem dependente da população existente. Outros fatores importantes para a recuperação e manutenção da raça foram a redução da mortalidade das fêmeas, idade ao primeiro parto, registo no Livro Genealógico e rastreabilidade dos animais. A taxa de mortalidade dos burrancos no primeiro mês de vida foi de 8,92%, mais baixa nas fêmeas (6,51%) que nos machos (12%). A mortalidade neonatal esteve distribuída de forma não uniforme ao longo do ano, sendo igualmente menor em fêmeas com idades ao parto compreendidas entre os 5 e 15 anos (8,06%), em comparação com as fêmeas de idade inferior a 4 anos ou superior a 16 anos (10,3% e 14,1%, respetivamente). Os principais fatores de risco para o aumento da consanguinidade foram as baixas taxas de reprodução, o reduzido número de machos e a sua desigual contribuição para a genética populacional, a contribuição desigual dos diferentes criadores para a genética da população e a idade avançada dos proprietários. No que concerne à atividade reprodutiva das fêmeas, um grupo foi seguido durante as estações reprodutiva e não-reprodutiva, por ecografia e medições da progesterona sérica durante dois anos. Foram regularmente monitorizadas as variações na condição corporal para estimar os seus eventuais efeitos na atividade ovárica, com um estudo comparativo de diferentes métodos de avaliação da condição corporal. Esta foi avaliada por métodos de observação visual com palpação e por mensuração da espessura da gordura subcutânea e da profundidade dos tecidos subcutâneos da parede torácica, com recurso à ecografia. Encontrou-se uma correlação significativa entre a condição corporal e todas as medições ecográficas. As medições ecográficas de profundidade dos tecidos subcutâneos têm uma relação logarítmica com a avaliação da condição corporal tradicional. A ecografia combinada com a análise de imagem permite uma medição fidedigna da profundidade dos tecidos e gordura subcutâneos para a monitorização das reservas de gordura nas burras. Na estação reprodutiva, o intervalo inter-ovulatório foi de 23,8 ± 0,551 dias; o diestro e o estro apresentaram uma duração de 17,9 ± 0,462 e 6,65 ± 0,298 dias, respetivamente. Durante este período a duração dos intervalos inter-ovulatórios foi influenciada pela idade e condição corporal; esta última influenciou ainda a duração do diestro e o tempo em cio após ovulação. A incidência de ovulações simples, duplas ou triplas foi de 57,58%, 36,36% e 6,06%, respetivamente. As ovulações múltiplas aumentaram a duração do intervalo entre o início do estro e a última ovulação do ciclo, mas não interferiram com a duração das outras fases do ciclo. Quando combinada com a idade, uma condição corporal mais elevada afetou igualmente a taxa de ovulação. A divergência do folículo dominante ocorreu cerca 8,7 antes da ovulação, independentemente da taxa de ovulação. O folículo dominante era maior à divergência em ovulações simples do que em ovulações múltiplas (19,18 ± 0,968 mm vs. 18,05 ± 1,16 mm). De igual modo, o tamanho folicular máximo antes da ovulação era maior nas ovulações múltiplas que nas simples (40,2 ± 1,41 mm vs. 37,2 ± 0,825 mm). A taxa de crescimento dos folículos dominantes foi independente da taxa de ovulação, tanto no período antes do cio como após o seu início. Para o estudo dos padrões reprodutivos na estação não-reprodutiva, as fêmeas foram seguidas de setembro a maio. Verificou-se que 75% (9/12) destas fêmeas apresentaram alterações do padrão normal de atividade ovárica durante este período. A perda da ciclicidade normal apresentou-se como anestro (41,7%), estro silencioso com ovulação (25%) ou persistência do corpo lúteo (8,3%). Somente 25% (3/12) das fêmeas mantiveram ciclicidade regular. Este estudo revelou ainda que a interrupção dos ciclos ováricos pode ser desencadeada se a condição corporal descer abaixo de um determinado limiar entre o equinócio do outono e o solstício de inverno, sugerindo que a condição corporal modula as influências sazonais da ciclicidade ovárica em burras.
Donkeys play a very important role in the ecological maintenance of rural areas. The interest in their conservation and characterization has increased over the last years. The main purpose of this work was to augment the knowledge on the demographic and reproductive characteristics of the Asinina de Miranda breed, giving scientific support to implement more effective conservation and breeding strategies. These objectives were accomplished through different approaches. For the purpose of demographic analysis, the Foal and Studbooks were analysed, along with a survey to donkey owners. To predict the progression of the breed under the current management system and to identify variables vital for the breed survival, a population viability analysis (PVA) program was applied, showing that the breed is currently at risk of extinction. The pedigree and herd records of this donkey breed were also analysed to identify genealogical and human factors that may affect the breed genetic diversity in the future. The most critical factor for breed survival was the percentage of females breeding per year but the actual percentage needed was dependent of the carrying capacity of the breed. Reducing female mortality, age at first offspring production, assuring the register on the Studbook and tracking of the foals will also significantly foster the breed recovery and maintenance. The overall neonatal mortality for the first month of life was 8.92%, being lower in females (6.51%) than in males (12.0%). The foal neonatal mortality was unevenly distributed throughout the year and lowers when females were 5 to 15 years old (8.06%), compared to younger than 4 years or older than 16 years at foaling (respectively 10.3% and 14.1%). The main identified factors for inbreeding risk were the low breeding rates, the low number of males and their unequal contribution to the genetic pool, the unequal contribution of the herds to genetic pool and the advanced age of herd owners. For the purpose of the reproductive cycle characterization of the jennies a group was followed, both during the breeding and non-breeding seasons, by ultrasonography and serum progesterone determinations for two years. The changes of body condition score (BCS) were regularly checked to test its putative effect on the ovarian activity. To access BCS, different methods were compared to find the one more sensitive to the changes in body adiposity. BCS was evaluated both by visual and palpation appraisal and by real time ultrasonography (RTU) of subcutaneous fat and thoracic wall tissue depths. A significant correlation was established between BCS and all RTU measurements. The study also showed that RTU measurements have a logarithmic relationship with BCS and that RTU, combined with image analysis, permits accurate fat and tissue depths measurements to monitor fat reserves in jennies. During the breeding season, the interovulatory interval was 23.8 ± 0.551 days, with diestrus and estrus lasting 17.9 ± 0.462 and 6.65 ± 0.298 days, respectively. Age and BCS affected the length of the interovulatory intervals in the breeding season; BCS also influenced the diestrus length and the time in heat after ovulation. The incidence of single, double and triple ovulations was 57.58%, 36.36% and 6.06%, respectively. Multiple ovulations extended the interval from beginning of estrus to ovulation, but had no effects on the other periods. When combined with age, higher BCS also affected the ovulation rate. Divergence of the dominant follicle occurred around day -8.7 (day 0 = ovulation), independently of the ovulation rate. The dominant follicle was larger at divergence in single ovulators than in multiple ovulators (19.18 ± 0.968 mm vs. 18.05 ± 1.16 mm). Similarly, the maximum follicular diameter before ovulation was larger in single ovulatory cycles than in multple ovulatory cycles (40.2 ± 1.41 mm vs. 37.2 ± 0.825 mm, respectively). The daily growth rate of dominant follicles was independent of the ovulation rate for the period preceding heat or during heat. The study of the reproductive patterns in the non-breeding season relied on the surveillance of the jennies reproductive cycles from September to May. It was found that 75% (9:12) of the females presented disruption of the normal pattern of ovarian activity during this period. Loss of the normal cyclicity included anestrus (41.7%), silent ovulatory estrus (25%), or persistency of corpus luteum (8.3%). Only 25% (3:12) of the females retained regular cyclicity during this season. The study also showed that disrupted ovarian cycles might be triggered in jennies if BCS decreases below a given threshold between autumn equinox and winter solstice, suggesting that BCS modulates the seasonal influences on ovarian cyclicity in jennies.
Description: Tese de Doutoramento em Ciências Veterinárias, Área Clínica
URI: http://hdl.handle.net/10348/4641
Document Type: Doctoral Thesis
Appears in Collections:TD - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
phd_mnpquaresma.pdf2,64 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.