Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10348/4785
Título: Psicopatologia e violência entre irmãos numa amostra de adolescentes portugueses
Autor: Lopes, Patrícia Pereira
Orientador: Fernandes, Otília Monteiro
Relva, Inês Carvalho
Palavras-chave: Psicopatologia
Violência
Irmãos
Adolescência
Data: 2015
Resumo: A violência fraterna é uma realidade comum, sendo considerada a forma mais prevalente de violência familiar, contudo, tende a ser encarada como inofensiva. Utilizando uma amostra de 463 adolescentes com irmãos, e aplicando as Revised Conflict Tactics Scales – Sibling Version (CTS2-SP), este estudo objetivou estimar a frequência dos comportamentos violentos dos irmãos perpetradores, bem como a dos sofridos pelas vítimas; verificar em que medida se associam as diferentes táticas de resolução de conflito fraterno; e analisar em que medida essas táticas variam em função da idade dos irmãos, do género e do tipo de fratria. Efetuaram-se análises descritivas exploratórias, correlações de Pearson intraescalares, análises de variância multivariada (MANOVAS) e utilizou-se o teste t. Os resultados demonstraram que os irmãos tendem a utilizar mais a negociação para resolver conflitos, no entanto, a violência psicológica apresenta, também, percentagens elevadas (23% a 85%). Verificou-se que a violência psicológica está positivamente associada ao abuso físico sem sequelas, e este, por sua vez, está associado ao abuso físico com sequelas. Foi ainda constatado que são os adolescentes mais velhos (17-20 anos), o género feminino e as díades mistas (masculino/feminino), que tendem a usar, mas também a sofrer, mais violência. Concluiu-se que a violência entre irmãos é altamente prevalente, tornando-se importante sensibilizar pais e profissionais de saúde e de educação para esta realidade, por forma a evitar o uso da violência como uma tática para a resolução de conflitos fraternos.
Sibling violence is a common reality, being considered the most prevalent form of family violence, however, it tends to be regarded as harmless. Using a sample of 463 adolescents with siblings, and applying the Revised Conflict Tactics Scales – Sibling Version (CTS2-SP), this study aimed to estimate the frequency of violent behaviours of the perpetrators siblings, as well as the suffered by the victims; verify the extent to which the different tactics of sibling conflict resolution are associated; and to analyse in what extent these tactics vary depending on the siblings age, gender and type of phratry. We carried out exploratory descriptive analyses; intrascalar Pearson correlations, multivariate analyses of variance (MANOVA) and we used the t test. The results showed that siblings tend to use more the negotiation as a form of conflict resolution, however, the psychological aggression also exhibits high percentages (23% to 85%). We found that psychological aggression is positively associated with injury, and this, in turn, is associated with physical assault. We also found that older adolescents (17-20 years old), female and mixed gender dyads (male/female) tend to use, but also to suffer, more violence. We concluded that sibling violence is highly prevalent, making it important to raise awareness among parents and health and education professionals to this reality, in order to avoid the use of violence as a tactic for the resolution of sibling conflicts.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica
URI: http://hdl.handle.net/10348/4785
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:TD - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
msc_pplopes.pdf608,21 kBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.