Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/5532
Title: Ndalambiri e a arte rupestre do Ebo, Kwanza Sul, Angola: tempo, espaço e gentes numa paisagem cultural
Authors: Martins, Cristina Augusta Pombares da Silva
Advisor: Oosterbeek, Luiz
Collado, Hipólito
Gutierrez, Manuel
Keywords: Arte rupestre
Ebo (Angola)
Arqueologia
Paisagem cultural
Ndalambiri (Angola)
Issue Date: 3-Feb-2016
Abstract: Esta tese decorre de uma pesquisa centrada no estudo da arte rupestre do Ebo, uma região da Província Kwanza Sul, em Angola. A região do Ebo é, termos paisagísticos, dominada por inselbergs graníticos que rompem a peneplanície de savana, por sua vez flanqueada por cadeias montanhosas. As comunidades da região, apesar de uma acentuada e progressiva integração no sistema nacional, vivem ainda em larga medida segundo cânones tradicionais, personificados no soba de cada aldeia. Arqueologicamente, a região encerra inúmeros abrigos com pinturas rupestres, túmulos de pedra, líticos, cerâmicas, caminhos antigos, materiais que testemunham a presença humana remota na região. O cruzamento destas três dimensões traduz-se numa Paisagem Cultural única. O foco deste estudo recai sobre o abrigo Ndalambiri, com as suas pinturas rupestres, classificado como Monumento Nacional, nas suas relações com aquele território e, designadamente, os demais abrigos pintados. Este é o primeiro estudo sistemático sobre a região. Foram realizadas por nós duas campanhas de campo (2012 e 2013), a partir das quais foi possível recolher grande parte dos dados em que se baseia este trabalho, nomeadamente o registo dos abrigos com pinturas rupestres, o enquadramento histórico e antropológico da região, a sua caracterização geomorfológica e questões importantes sobre a conservação e caracterização dos pigmentos das pinturas. De acordo com as especificidades da investigação, desde logo pela localização distante do complexo rupestre em estudo, a metodologia foi adaptada e selecionada de modo a ajustarse aos objetivos pretendidos, mas sempre tendo em conta a máxima preservação das pinturas, recorrendo a métodos não invasivos. Foi organizado o corpus pictórico do sítio de Ndalambiri, traduzido no decalque de todas as suas pinturas rupestres (mais de 1000 figuras pintadas), um recurso capital para o país que vê, desta forma, um dos seus monumentos nacionais catalogados e em posição de ser divulgado nacional e internacionalmente (publicações, congressos, exposições). O estudo comporta diversas perspectivas para a investigação futura, nomeadamente no que respeita à relevância de rituais femininos na elaboração de determinados painéis, à funcionalidade específica dos diversos abrigos ou à natureza cultural da Fase I (eventualmente atribuível a comunidades de caçadores-recolectores). Foram identificadas quatro grandes fases na sequência das pinturas. O abrigo de Ndalambiri, que aparenta poder ser um lugar central na região, só possui pinturas das Fases II a IV, que correspondem inequivocamente a sociedades de agricultores e, pelo menos a partir da fase III, de metalurgistas. Este facto é coerente com a noção de que a lógica de definição de um lugar central é mais relevante em sociedades complexas. Estimamos que o trabalho desenvolvido permita, por um lado, prosseguir a investigação monográfica da região e, por outro, iniciar um processo de classificação como Paisagem Cultural Património Mundial da Humanidade, ao abrigo dos critérios I (génio criativo) e III (testemunho único de uma tradição cultural).
This thesis is the result of an archaeological research focused on the study of rock art from Ebo, in Kwanza Sul Province, Angola. The region of Ebo is, in landscape matters, dominated by granite inselbergs that disrupt from the peneplain, which is flanked by mountains. The communities from the region, despite a marked and progressive integration into the national system, still live largely according to traditional canons, personified in the chief (“Soba”) of each village. Archaeologically, the region comprises several shelters with rock paintings, tombs, lithic, ceramics and ancient paths, materials that testify the remote human presence in the region. The intersection of these three dimensions represents a unique Cultural Landscape. This study focuses on the Ndalambiri’s shelter, which presents rock paintings classified as a National Monument. This important shelter is related with the territory and, in particular, with the other painted shelters around. This is the first systematic study of the region. There were two fieldwork campaigns carried by us (2012 and 2013), from which it was possible to collect much of the data that based this work, including the recording of shelters with rock paintings, historical and anthropological framework of the region, its geomorphological characteristics and important issues about conservation and characterization of the paintings pigments. The methodology was adapted and selected in order to adjust to the intended objectives, but always taking into account the maximum preservation of the paintings, using non-invasive methods. It was organized the pictorial corpus of Ndalambiri’s site, which includes the tracing of all its rock paintings (more than 1000 painted figures), a capital resource for the country that has one of its national monuments cataloged and in position to be publicized, nationally and internationally (publications, conferences, exhibitions). The study contains a number of perspectives for future research, particularly regarding the relevance of female rituals in the processing of certain panels, the specific functionality of the various shelters or cultural nature of Phase I (eventually attributed to hunter-gatherer communities). Four main phases were identified as a result of the chronological study of the paintings. The shelter of Ndalambiri, which appears to be a central place in the region, has only paintings of the phase II to phase IV, which clearly represents farming communities and, at least some from the phase III, metallurgists. This is consistent with the notion that defines the logic of a central position, which is more relevant in complex societies. We estimate that the work will allow, on one hand, further monographic research in the region and, on the other, to start a classification process as World Heritage Cultural Landscape, under the criteria I (creative genius) and criteria III (unique testimony of a cultural tradition).
Description: Tese de Doutoramento em Quaternário, Materiais e Culturas
URI: http://hdl.handle.net/10348/5532
Document Type: Doctoral Thesis
Appears in Collections:TD - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
phd_capsmartins.pdf85,3 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.