Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10348/6047
Título: Rastreio de agentes infeciosos em linfadenite granulomatosa de animais selvagens
Autor: Dias, Ana Patrícia Araújo
Orientador: Coelho, Ana Cláudia
Matos, Maria Manuela
Palavras-chave: Linfadenite granulomatosa
Nocardia
Rhodococcus
Mycobacterium
Data: 3-Jun-2016
Resumo: Há vários agentes infeciosos considerados, responsáveis por linfadenite granulomatosa. Deste modo, detetar a linfadenite granulomatosa é difícil uma vez que identificação clínica precoce dos animais infetados é um grande obstáculo. O diagnóstico baseia-se essencialmente em testes post mortem, como o exame macroscópico e histopatológico das lesões, técnicas microbiológicas e moleculares. Este trabalho teve como principal objetivo a identificação de agentes etiológicos infeciosos implicados em linfadenite granulomatosa de animais selvagens (veados e javalis) em Portugal, como Corynebacterium pseudotuberculosis, e dos géneros Nocardia, Rhodococcus e Mycobacterium. Assim como a identificação de Emmonsia crescens em saca-rabos pela técnica de reação em cadeia da polimerase (PCR). Realizaram-se ensaios moleculares através da técnica de PCR, com amostras de tecidos de gânglios linfáticos oriundos de animais selvagens, em Portugal. Foram estudados 46 gânglios linfáticos provenientes de 25 veados e 21 javalis que apresentavam lesões do tipo linfadenite granulomatose e 14 saca-rabos com suspeitas de linfadenite granulomatosa compatível com adiaspiromicose. Dos 46 gânglios linfáticos analisados, obtiveram-se resultados positivos para o género Mycobacterium em 60,9% dos gânglios. Para os géneros Nocardia e Corynebacterium obtiveram-se 15,2% positivos e para Rhodococcus nenhum gânglio foi positivo. A deteção de Mycobacterium foi superior em veados do que em javalis. Quatro (8,7%) gânglios linfáticos foram simultaneamente positivos ao género Mycobacterium e ao género Nocardia e outros quatro (8,7%) foram simultaneamente positivos ao género Mycobacterium e ao género Corynebacterium. Três (6,5%) amostras foram simultaneamente positivas a Nocardia e a Corynebacterium. Três amostras foram simultaneamente positivas aos três géneros. Dos catorze saca-rabos analisados, apenas três apresentaram linfadenite granulomatosa compatível com adiaspiromicose. Emmonsia crescens foi detetada por biologia molecular num macho de 3 anos, com boa condição corporal. Com os resultados obtidos neste estudo, foi possível verificar a presença de diferentes agentes infeciosos implicados em linfadenite granulomatosa em animais selvagens em Portugal.
There are several infectious agents identified as responsible for granulomatous lymphadenitis. Detection of granulomatous lymphadenitis it is difficult since early clinical identification of infected animals is a big obstacle. The diagnosis is mainly based on post mortem tests, such as macroscopic and histopathological lesions, microbiological and molecular techniques. This study aimed to identify the etiologic agents involved in infectious granulomatous lymphadenitis in wildlife (deer and wild boar) in Portugal, as Corynebacterium pseudotuberculosis and genus Nocardia, Rhodococcus and Mycobacterium. As well as identification of Emmonsia crescens in mongooses by polymerase chain reaction (PCR). Molecular assays were weld by PCR in tissue samples derived from lymph nodes of wild animals of Portugal. 46 lymph nodes from 25 deer and 21 wild boars that had lesions of granulomatous lymphadenitis type were studied, as well as 14 mongooses with suspected granulomatous lymphadenitis compatible with adiaspiromycosis. Of the 46 lymph nodes analyzed 60,9%, had positive results for the genus Mycobacterium.15,2% had positive results for Corynebacterium genus and Nocardia and for the Rhodococcus none of the tissues was positive. Four (8.7%) lymph nodes were positive for Mycobacterium and Nocardia genus and another four (8.7%) were positive for Mycobacterium and the Corynebacterium genus. Three (6,5%) samples were simultaneously positive to Nocardia and Corynebacterium. Three samples were positive for the three genus simultaneously. Of the fourteen mongooses, only three showed granulomatous lymphadenitis compatible with adiaspiromycosis. Emmonsia crescens was detected by molecular biology in male with three years old, in good body condition. The results of this study, confirm the presence of several infectious agents implicated in granulomatous lymphadenitis in wildlife in Portugal.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Biologia Clínica Laboratorial
URI: http://hdl.handle.net/10348/6047
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:TD - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
msc_apadias.pdf902,46 kBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.