Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/6428
Title: Controlo da intensidade de esforço em Indoor Cycling: frequência cardíaca ou percepção subjetiva de esforço?
Authors: Lemos, Rui Jorge Canário Álvares de
Advisor: Alves, José Vilaça
Keywords: Bicicleta (estática)
Frequência cardíaca
Treino
Consumo de oxigénio
Perceção subjetiva do esforço
Issue Date: 20-Sep-2016
Abstract: Introdução: o Indoor Cycling é uma modalidade realizada em grupo, numa bicicleta estática, ritmada por música e coordenada por um professor. Sendo esta um alvo de muita procura em ginásios e health-clubs, é também alvo de muita preocupação, pois é uma atividade que pode atingir níveis de intensidades de esforço elevadas. Objetivo: o objetivo do presente estudo foi identificar qual o método de controlo de intensidade de esforço de uma aula de Indoor Cycling (IC), Perceção Subjetiva de Esforço (PSE) ou Frequência Cardíaca (FC), melhor se correlaciona com o Consumo de Oxigénio. Metodologia: Para o efeito, doze indivíduos do sexo masculino, experientes na prática de IC, com idades compreendidas entre os 22 e os 35 anos de idade (média±desvio padrão: 26,83±5,10) efetuaram 3 sessões de estudo, onde realizaram 3 aulas de 45 minutos de IC de forma randomizada. As aulas diferiram entre elas na forma de controlo da intensidade de esforço: i) controlo através do consumo de oxigénio (VO2) (SO); ii) controlo através da FC (SFC); controlo através da PSE (SPSE). Em todas as sessões foi medido o VO2 30 minutos antes, durante e 30 minutos após a realização do IC. Resultados: os valores de VO2 absoluto foi, significativamente (P=0,007; μp2 = 0,254); superior na SO em relação à SFC (2,33±0,27 L/Kg/min versus 2,10±0,29 L/Kg/min, respetivamente). Quanto ao VO2 relativo à massa corporal, os valores da SO foram significativamente superiores às duas outras sessões de estudo (30,09±3,18 ml/Kg/min, 25,49±1,84 ml/Kg/min e 27,12±3,14 ml/Kg/min, SO, SFC e SPSE, respectivamente). Em relação ao VO2 na recuperação foi observado, em todas as sessões, que este se mantinha superior aos valores de repouso, sem diferença significativa entre sessões. Foi observado um a correlação de 0,986 do VO2 na SPSE com a SO e de 0,977 entre a SFC e a SO, com significado estatístico (p<0,0001). Conclusão: Tendo como base os resultados do presente estudo, parece que ambas as formas indiretas de controlo da intensidade de esforço de uma aula de IC subavaliam o VO2. Contudo, são idênticas em relação ao VO2 medido durante o repouso. Em relação ao controlo da intensidade de esforço das aulas de IC sugerimos, em indivíduos com a experiência dos da amostra do presente estudo, o uso da PSE por ser de mais fácil controle e acessibilidade.
Introduction: Indoor Cycling is a gym activity performed in a group, in a static bike, rhythmic by music and coordinated by a teacher. This being a target of a lot of demand in gyms and health clubs, it is also the subject of much concern as it is an activity that can achieve high levels of effort intensities. Objective: the objective of this study was to identify the intensity control method effort of a class of Indoor Cycling (IC), Subjective Perception of Effort (SPE) or Heart Rate (HR), better correlates with oxygen consumption. Methodology: To this end, twelve individuals were male, experienced sex in the practice of IC, aged between 22 and 35 years of age (mean ± SD: 26.83 ± 5.10) effected three study sessions where held 3 lessons of 45 minutes IC randomly. The classes differ between them as exercise intensity control of: i) control by oxygen consumption (VO2) (SO); ii) control by HR (SHR); control by SPE (SSPE). In all sessions VO2 was measured 30 minutes before, during and 30 minutes after completion of the IC. Results: the absolute values of VO2 was significantly (P = 0.007; μp2 = 0.254); SO higher in relative to the SFC (2.33 ± 0.27 L / kg / min versus 2.10 ± 0.29 L / kg / min, respectively). As the VO2 on body mass, SO values were significantly superior to the other two study sessions (30.09 ± 3.18 ml / kg / min 25.49 ± 1.84 ml / kg / min and 27 12 ± 3.14 ml / kg / min, SO, SHR and SSPE, respectively). Regarding the VO2 recovery was observed in all sessions, this remained above the resting values, with no significant difference between sessions. It was observed a significant correlation, (p<0,0001), of 0,99 in the VO2 between SSPE and SO and of 0,97 between SHR and SO. Conclusion: Based on the results of this study, it appears that both indirect forms of exercise intensity control of an IC class underestimate the VO2. However, they are identical in relation to VO2 measured during rest. Regarding the control of the effort intensity of CI classes suggest, in individuals with the experience of the present study sample, the use of PSE to be easier to control and accessibility.
Description: Dissertação de Mestrado em Ciências do Desporto, Especialização em Atividades de Academia
URI: http://hdl.handle.net/10348/6428
Document Type: Master Thesis
Appears in Collections:TD - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
msc_rjcalemos.pdf1,21 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.