Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/7350
Title: Espiritualidade e engajamento no trabalho: análise em stakeholders internos de organizações não governamentais da região amazônica
Authors: Lopes, Marizete Xavier
Advisor: Pinto, Ricardo Figueredo
Santos, Carlos Machado dos
Keywords: Psicologia organizacional
Região Amazónica (Brasil)
Comprometimento organizacional
Ambiente de trabalho
Espiritualidade
Gestão de recursos humanos
Aliciamento no trabalho
Issue Date: 2016
Abstract: O presente estudo investiga as relações empíricas entre espiritualidade, comprometimento e engajamento no trabalho em stakeholders internos de ONGs da região amazônica. O estudo foi caracterizadocomo descritivo e explicativo, com técnicas inferenciais de análise estatística. A metodologia da investigação consistiu na aplicação de questionários em uma amostra de 475 stakeholders, envolvendo as capitais Belém, Manaus, Macapá e São Luís. A Análise deste estudo utilizou Questionário de Espiritualidade no Trabalho (QET), elaborado originariamente na língua inglesa, especificamente no contexto estadunidense, por Ashmos e Duchon (2000), com 19 itens. Nesta investigação, adota-se a versão brasileira reduzida e validada por Paulino (2010), com 17 itens, distribuídos em três componentes: vida interior, significado de trabalho e sentido de comunidade e valores organizacionais. Foram utilizados a Escala de Comprometimento Organizacional (ECO), elaborada por Rego, Cunha e Souto (2007), e o modelo dos três componentes de Meyer e Allen (1997), além do Questionário sobre Engajamento no Trabalho (Q12), desenhado e convalidado no Brasil pela organização Gallup (Buckingham e Coffman, 1999; Coffman & Gonzalez-Molina, 2002). O instrumento possui 12 perguntas-chaves sobre engajamento no trabalho, relacionados ao local de trabalho e com ligações comprovadas para resultados de desempenho e satisfação. Foram confirmadas evidências suficientes sobre esses instrumentos utilizados, com validade fatorial e consistência interna com Alfa de Cronbach superior a 0,8, boa confiabilidade, justificando assim o seu uso em estudos e contextos similares. Esta pesquisa mostrou também que o comprometimento e o engajamento no trabalho são influenciados positivamente pela Espiritualidade no trabalho. O estudo também revelou por meio de uma análise de regressão logística binária que nas organizações pesquisadas o gênero, idade, tempo de serviço e vínculo, influenciou o grau de comprometimento e engajamento dos colaboradores, porém não a espiritualidade no trabalho. Revelando que os stakeholders com idade maior que 40 anos, com vínculo diversos e tempo de serviço maior que 11 anos são mais engajados. As mulheres também aparecem como mais engajadas. Na regressão Múltipla, tendo como variável dependente o engajamento no trabalho, o resultado confirma o poder preditivo e apontam as variáveis independentes como preditoras do engajamento no trabalho, sendo o melhor preditor o comprometimento no trabalho, com β igual 0,428 e em seguida a espiritualidade no trabalho com β=0,349. O coeficiente de variância explicada mostra ainda que estas duas variáveis são capazes de explicar o engajamento no trabalho dos stakeholders. Os achados sugerem que os colaboradores que denotaram espiritualidade no trabalho valorizaram aspectos como o significado e o sentido de comunidade, os quais impõem sentir-se parte de uma família na organização e de estar conectado com os demais colegas em uma mesma causa e realizando um trabalho útil para a comunidade. Os stakeholders que relataram níveis mais elevados de comprometimentos afetivos também apresentaram maior engajamento no trabalho, o que sugere maior apego à organização, o desejo de permanecer, porque se identificam com seu trabalho. Esses resultados poderão contribuir com a gestão de pessoas dessas organizações promoção de práticas organizacionais que estimulem a espiritualidade, o comprometimento e o engajamento no trabalho para favorecer o conhecimento, a seleção, a permanência de seus colaboradores na organização, um melhor desempenho laboral e organizacional, sem perder de vista sua identidade e valores.
This study investigates the empirical relationship between spirituality, commitment and engagement at work on internal stakeholder ngos in the amazon region. The methodology of the research consisted of questionnaires in a sample of 475 employees, involving the Capital Belém, Manaus, Macapa and San Luis, the analysis of this study used Spirituality Questionnaire at Work (QET) originally prepared in English, specifically in American context, Ashmos and Duchon (2000) with 19 items. In this research we adopt the reduced Brazilian version and validated by Paulino (2010) with 17 items, divided into three components Interior life, work meaning and sense of community and organizational values. Organizational Commitment scale (ECO) developed by Rego, Cunha and Souto (2007), and model of the three components of Meyer and Allen (1997). Questionnaire on Engagement at Work (Q12) Designed and co-validated in Brazil by the Gallup organization (Buckingham and Coffman, 1999; Coffman & Gonzalez-Molina, 2002). The instrument has 12 key questions about engagement in work related to the workplace and established connections to performance results and satisfaction. The results revealed that the stakeholders are committed studied more affectively with your organization and less committed instrumentally and normatively committed averagely. Thus signaled a positive relationship between spirituality and the commitment to work in their affective and normative and negative components with the instrumental component. Also signaled a positive relationship between spirituality and engagement at work. The findings suggest that employees who denoted spirituality at work, valued aspects such as the meaning and the sense of community, which impose feel part of a family in the organization and to be connected with other colleagues in the same cause and conducting a useful work for the community. Stakeholders who reported higher levels of emotional impairment may also have greater engagement at work, as well as having greater attachment to the organization and do not want to get out, struggling more to work, because they identify with their work and do not see it only as a way to get a salary. These results may cotribuir with the people management of these organizations in promoting organizational practices that encourage spirituality, commitment and engagement in the work to promote knowledge, selection, retention of its employees in the organization, a better work performance and organizational without losing sight of its identity and values.
Description: Tese de Doutoramento em Gestão
URI: http://hdl.handle.net/10348/7350
Document Type: Doctoral Thesis
Appears in Collections:DESG - Teses de Doutoramento
TD - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
phd_mxlopes.pdf2,16 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.