Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10348/7392
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorBarroso, Ricardo-
dc.contributor.authorRodrigues, Paula Alexandra Gonçalves-
dc.date.accessioned2017-03-06T10:02:01Z-
dc.date.available2017-03-06T10:02:01Z-
dc.date.issued2015-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10348/7392-
dc.descriptionDissertação de Mestrado em Psicologia Clínicapt
dc.description.abstractEnraizado na nossa cultura desde a antiguidade, a punição física perpetrada em crianças e jovens constitui um problema social grave. Em muitos casos estas práticas punitivas culminam em episódios de abuso físico. Do ponto de vista teórico, estas práticas poderão contribuir para o desenvolvimento de sintomas de externalização (e.g., comportamentos agressivos, irritabilidade) e sintomas de internalização (e.g., ansiedade, depressão, isolamento, stress pós-traumático, obsessões-compulsões). Deste modo, o presente artigo tem como objetivo rever a literatura sobre o eventual efeito moderador dos sintomas internalizadores na relação existente entre o abuso físico e a conduta agressiva. Para além desta análise e conceptualização do tema serão ainda identificados os fatores protetores. Os resultados indicam a existência de uma relação entre o abuso físico e o posterior desenvolvimento de sintomas de internalização ou a adoção de comportamentos agressivos. Contudo, foi possível verificar que as crianças/adolescentes fisicamente abusados que manifestam menos sintomas internalizadores têm uma maior probabilidade de desenvolver condutas agressivas (e.g., sintoma de externalização).pt
dc.description.abstractRooted in our culture since ancient times, the physical abuse perpetrated on children and young people is a serious social problem. In many cases these punitive practices culminated in episodes of physical abuse. From a theoretical point of view, these practices may contribute to the development of externalizing symptoms (e.g., aggressive behavior, irritability) and internalizing symptoms (e.g., anxiety, depression, isolation, post-traumatic stress, obsessions-compulsions). Thus, this article aims to review the literature on the possible moderating effect of the internalizing symptoms on the relationship between physical abuse and aggressive behavior. Apart from this analysis and theme conceptualization protective factors are also identified. The results indicate the existence of a relationship between physical abuse and the subsequent development of internalizing symptoms or aggressive behaviors. However, it found that children/adolescents who were physically abused manifest less internalizing symptoms are more likely to develop aggressive behavior (e.g., externalizing symptom).pt
dc.language.isoporpt
dc.rightsclosedAccesspt
dc.subjectViolênciapt
dc.subjectAgressividadept
dc.subjectAbuso físicopt
dc.subjectSintomas de internalizaçãopt
dc.titleAbuso físico, comportamento agressivo e sintomas de internalizaçãopt
dc.typemasterThesispt
dc.subject.udc159.97(043)pt
dc.subject.udc364.63(043)pt
dc.subject.udc316.62(043)pt
Aparece nas colecções:TD - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
msc_pagrodrigues.pdf
  Restricted Access
635,47 kBAdobe PDFVer/Abrir Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.