Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/7904
Title: Efeito da prática regular monitorada de atividade física no processo de desenvolvimento da fibrodisplasia ossificante progressiva (FOP): um estudo de caso único
Authors: Aguiar, Rômulo Carlos de
Advisor: Mota, Maria Paula Gonçalves da
Pereira, Antonino Manuel Almeida
Keywords: Hidroginástica
Sistema cardiovascular
Sistema respiratório
Fibrodisplasia ossificante progressiva
Issue Date: 2017
Abstract: Fibrodisplasia Ossificante Progressiva (FOP), com 700 casos no mundo, é uma desordem genética cromossômica (2q23-24), ocasionada por mutação espontânea no gene ACVR1, transformando células endoteliais em osso, restringindo os movimentos e a vascularização dos músculos afetados pela neoformação óssea. Como não existem terapias específicas, objetivouse identificar os efeitos de um programa de exercícios de hidroginástica em alguns indicadores de funcionalidade e estruturação corpórea, visando-se proporcionar melhor qualidade de vida aos portadores. A pesquisa foi um estudo de caso intrínseco, descritivo, quantitativo, do tipo investigação-ação, com uma voluntária portadora de FOP. Organizou-se um grupo multiprofissional para caracterização das condições fisiológicas e antropométricas e elaboração de um programa de exercícios de hidroginástica. Foram realizadas, de janeiro a julho de 2014, durante 3 dias por semana, um total de 50 sessões de hidroginástica de 50 minutos cada, para verificação de efeitos sobre variáveis cardiovasculares e níveis séricos de glicemia, triglicerídeos e proteína C-reativa, variáveis respiratórias, variáveis antropométricas e flexibilidade articular. Relativamente às variáveis cardiovasculares e taxas de glicemia, triglicerídeos e proteína C-reativa, os resultados evidenciaram invariabilidades no diâmetro da raiz na artéria aorta, diâmetro do átrio esquerdo, diâmetro do ventrículo direito, espessura diastólica do septo, espessura diastólica da parede posterior do ventrículo esquerdo (PPVE), relação átrio esquerdo/artéria aorta, relação septo/PPVE; decréscimos na fração de ejeção do ventrículo esquerdo, percentual de encurtamento da cavidade do ventrículo esquerdo e glicemia; incrementos no diâmetro diastólico final do ventrículo esquerdo, diâmetro sistólico final do ventrículo esquerdo, massa do ventrículo esquerdo, relação massa do ventrículo esquerdo/superfície corporal, volume diastólico final do ventrículo esquerdo, volume sistólico do ventrículo esquerdo, relação volume/massa do ventrículo esquerdo, volume sistólico final do ventrículo esquerdo, triglicerídeos e proteína C-reativa. Relativo aos efeitos do programa de hidroginásticas nas variáveis pulmonares, não se alterou o percentual do volume de expiração forçada no primeiro segundo; evidenciaram-se diminuição na capacidade vital forçada, volume de expiração forçada no primeiro segundo, FEF2575 após broncodilatação, tempo de expiração forçada e pressão expiratória máxima; houve incrementos no pico de fluxo expiratório, FEF2575 pré-broncodilatação e pressão inspiratória máxima. Considerando a avaliação dos efeitos do programa de exercícios de hidroginástica na flexibilidade, os resultados revelaram que a estatura e as amplitudes das articulações do ombro direito, do ombro esquerdo, do punho esquerdo, do joelho esquerdo, do tornozelo direito e do tornozelo esquerdo não se alteraram; as articulações cotovelo direito, cotovelo esquerdo, punho direito e joelho direito aumentaram o ângulo de flexão. Quanto às variáveis antropométricas, verificouse que o índice relativo de massa muscular diminuiu, enquanto que a massa corporal, o índice de massa corporal, a circunferência abdominal, o percentual de massa de gordura, a massa muscular, o conteúdo mineral ósseo, a massa livre de gordura, a relação andóide ginóide, o índice de obesidade e o índice de conicidade aumentaram. Os resultados obtidos sugerem que, a nível cardiovascular, o programa de exercícios de hidroginástica utilizado teve um efeito negativo, já que a fração de injeção do ventrículo esquerdo diminuiu, o que associado ao aumento da massa do ventrículo esquerdo e da relação massa do ventrículo esquerdo/superfície corporal revela perda de função cardíaca. O aumento das taxas de proteína C-reativa também sugere a ocorrência de picos inflamatórios que poderão ter sido agravados pela realização do exercício físico. Relativamente às variáveis pulmonares, os resultados obtidos também sugerem que o programa de exercícios de hidroginástica aplicado induziu alterações negativas que comprometeram a função respiratória da voluntária. Quanto à amplitude das articulações, foi possível constatar ganhos na amplitude das articulações não totalmente calcificadas pela doença, o que sugere que alguns exercícios de mobilidade articular podem ser benéficos em portadores de FOP. Finalmente, as variáveis antropométricas evidenciaram uma diminuição do índice relativo de massa muscular o que, com o aumento do conteúdo mineral ósseo e considerando as especificidades da FOP, sugerem alterações negativas durante o período de aplicação do programa de hidroginástica, que poderão ter sido causadas pelo exercício realizado. O estudo realizado é único, sem grupo controlo e, sendo um estudo de caso de uma voluntária com uma doença de progressão mais rápida na idade em que a mesma se encontra, dificulta a interpretação dos resultados obtidos. Os resultados obtidos são inesperados e opostos aos frequentemente obtidos com indivíduos saudáveis ou com outras patologias. Assim, este estudo sugere que este programa de exercícios físicos de hidroginástica em portadores de FOP poderá ser contraindicado, sendo necessários mais estudos para confirmação destes resultados ou para identificar o tipo de exercício mais recomendado para estes portadores.
Fibrodysplasia Ossificans Progressiva (FOP), with 700 cases worldwide, is a chromosomal genetic disorder (2q23-24) caused by spontaneous mutation in the ACVR1 gene, transforming endothelial cells into bone, restricting movement and vascularization of muscles affected by bone neoformation. As there are no specific therapies, the aim was to identify the effects of a water-based exercise program on some indicators of body function and structure with the purpose of improving the quality of life of these patients. The research was an intrinsic, descriptive, quantitative, action-research type case study with one volunteer with FOP. A multiprofessional group was organized to characterize the physiological and anthropometric conditions and prepare the water-based exercise program. A total of fifty 50-minute waterbased aerobic sessions were performed from January to July 2014 to verify the effects on cardiovascular variables and serum levels of glycemia, triglycerides and C-reactive protein, respiratory variables, anthropometric variables and joint flexibility. Regarding the cardiovascular variables and levels of glycemia, triglycerides and C-reactive protein, the results showed non-variability of the aortic root diameter, left atrium diameter, right ventricular diameter, septum diastolic thickness, left posterior ventricular wall thickness in diastole (PVWT), left atrium/aortic valve ratio, septal/PVWT ratio; decreases in left ventricular ejection fraction, percentage left ventricular cavity shortening, and glycemia; left ventricular end-diastolic diameter, left ventricular end-systolic diameter, left ventricular mass, left ventricular mass/body surface area ratio, left ventricular end-diastolic volume, left ventricular systolic volume, left ventricular volume/mass ratio, left ventricular end-systolic volume, triglycerides, and C-reactive protein. As for the effects of the water-based exercise program on lung variables, the percentage of forced expiratory volume in one second did not change; decreased forced vital capacity, forced expiratory volume in one second, FEF25-75 after bronchodilation, forced expiratory time, and maximal expiratory pressure were observed; there were increases in peak expiratory flow, FEF25-75 pre-bronchodilation and maximal inspiratory pressure. Considering the assessment of the effects of the water-based exercise program on flexibility, the results revealed that the height and range of motion of the right shoulder, left shoulder, left wrist, left knee, right ankle and left ankle joints did not change; but flexion angle of the right elbow, left elbow, right wrist and right knee joints increased. Regarding the anthropometric variables, there was a reduction in the relative index of muscle mass, while there was an increase in body mass, body mass index, waist girth, percentage of fat mass, muscle mass, bone mineral content, free fat mass, gynoid/android ratio, obesity index, and conicity index. The results suggest that the water-based exercise program had a negative effect on the cardiovascular system since the left ventricle ejection fraction decreased, which was associated with an increase in left ventricular mass and left ventricular mass/body surface ratio revealed loss of cardiac function. The increased rates of C-reactive protein also suggest the occurrence of inflammatory peaks that may have been aggravated by physical exercise. Regarding pulmonary variables, the results also suggest that the water-based exercise program induced negative alterations that compromised the respiratory function of the volunteer. As for joint motion, the range of motion of non-calcified joints improved, which suggests that some exercises for joint mobility may be beneficial in patients with FOP. Finally, in view of the increase in bone mineral content and considering the specificities of FOP, the anthropometric variables showed a decrease in the relative index of muscle mass that suggest negative changes during the water-based excercise program, which could have been caused by the exercises. Considering that the study was as a single case study without a control group and that the progression of the disease is faster due to the age of the volunteer, it is difficult to interpret the results obtained. The results obtained were unexpected and contrary to those obtained with healthy individuals or those with other diseases. Thus, the study suggests that the water-based exercise program may be contraindicated for patients with FOP, but further studies are required to confirm these results or identify the best type of exercises for these patients.
Description: Tese de Doutoramento em Ciências do Desporto
URI: http://hdl.handle.net/10348/7904
Document Type: Doctoral Thesis
Appears in Collections:TD - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
phd_rcaguiar.pdf20,08 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.