Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10348/8305
Title: Cervídeos: símbolos e sociedade nos primórdios da agricultura no Vale do Tejo
Authors: Garcês, Sara Liliana Magalhães Barbosa
Advisor: Oosterbeek, Luiz Miguel
Collado Giraldo, Hipólito
Keywords: Arte rupestre
Tejo
Complexo
Tipologia
Cervídeos
Issue Date: 2017
Abstract: O trabalho que aqui se apresenta, revê de forma sistemática e atualizada o Complexo Rupestre do Vale do Tejo (CARVT), abarcando uma área de 120km de comprimento. Conta com 12 núcleos de arte rupestre que se estendem sensivelmente, desde a foz do rio Ocreza a jusante até ao vale do rio Erges, a montante. Estes núcleos comportam um conjunto de 1636 rochas com 6988 figuras de variadas tipologias, cuja cronologia se estende desde o Paleolítico Superior até ao final da Idade do Bronze grosso modo. O trabalho inclui a abordagem da história da investigação do CARVT, a contextualização das problemáticas e da região, a descrição analítica dos núcleos de gravuras e a sistematização dos temas com uma particular análise da figura do cervídeo como tema estruturante do CARVT. O estudo é norteado por duas interrogações, uma de caráter fundamental: o que se pode inferir em termos de ocupação territorial e sequenciação temporal sobre o complexo rupestre do vale do Tejo, a partir da revisão exaustiva de toda a documentação disponível? Outra de caráter metodológico: em que pode diferir, em termos qualitativos, um estudo com tal preocupação de exaustividade, face a estudos centrados em sítios ou rochas de maior complexidade aparente e em argumentações de cariz essencialmente antropológico ou com recurso a contextualizações essencialmente suprarregionais? As conclusões comportam a resposta às duas interrogações formuladas, sendo complementadas pela bibliografia e por um volume de catálogo dos sítios estudados.
The present thesis aims to point out the Tagus Valley Rock Art Complex (CARVT) in a systematic and updated way. It has 12 Rock Art nucleuses along 120 km length between the Ocreza River mouth (downstream) and the Erges River valley (upstream). These nucleuses hold a set of 1636 engraved rocks with 6988 figures of several typologies that cover a timeline roughly from the Upper Palaeolithic to the Final Bronze Age. The work includes an approach of the story of the investigation of the CARVT, the context of the problematic and of the region, the analytical description of the rock engravings and the systematization of the subjects, with a specially analyze of the deer as the central figure of the CARVT. The study is guided by two main questions; a primary one: what can one understand about the occupation of the territory and the timeline of the Tagus Valley Rock Art Complex, and a methodological one: from a qualitative point of view, how different can a more exhausting study be towards other studies focused on places or rocks apparently more complex and on mainly anthropological arguments or with resort to essentially supra regional context? The conclusions answer the two questions and are complemented by the bibliography and a catalogue of the studied places.
Description: Tese de Doutoramento em Quaternário, Materiais e Culturas
URI: http://hdl.handle.net/10348/8305
Document Type: Doctoral Thesis
Appears in Collections:TD - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
phd_slmbgarcês.pdf
  Restricted Access
122,62 MBAdobe PDFView/Open Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.