Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10348/8409
Título: Comparação de indicadores de performance no campeonato do mundo de Rugby de 2003 a 2005
Autor: Teixeira, Bruno Emanuel Morais
Orientador: Vaz, Luís Miguel Teixeira
Palavras-chave: indicadores de performance
Campeonato do Mundo de Rugby
comparação
evolução
tiers
dinâmica de jogo
Data: 7-Mar-2018
Resumo: O Campeonato do Mundo de Rugby (competição da World Rugby) é considerado um dos principais eventos desportivos do planeta. As nações que o disputam são dividas, desde 2004, pela World Rugby, em diferentes grupos de performance (Tiers), segundo o seu ranking de jogo e o seu potencial de desenvolvimento, grupos que clarificam o nível de investimento a ser realizado em cada país. Desde o primeiro Campeonato do Mundo que treinadores e dirigentes procuram aumentar o conhecimento sobre o jogo e aumentar a performance das suas equipas, realizando uma análise de jogo detalhada utilizando como uma das ferramentas, instrumentos de medição de desempenho – indicadores de performance. O objetivo deste trabalho é comparar indicadores de performance das nações que disputaram o Campeonato do Mundo de Rugby nas últimas quatro edições (2003, 2007, 2011 e 2015), comparando as nações dos dois grupos de Alta Performance (Tier 1 e Tier 2) quer entre si próprios (Tier 1 vs Tier 1 e Tier 2 vs Tier 2), quer entre os dois grupos (Tier 1 vs Tier 2), podendo tais dados levar ao entendimento de como o Campeonato do Mundo de Rugby tem evoluído, mas também caraterizar e observar como tem sido a evolução da dinâmica de jogo dos vários países que o disputam. Foi utilizado um desenho metodológico que consiste numa análise de jogo empírica e descritiva, sendo realizada uma análise comparativa de resultados de jogo e níveis de rendimento competitivo, utilizando uma amostra de 192 jogos no total das últimas quatro edições do Campeonato do Mundo de Rugby, dos quais fizeram parte um conjunto de 22 países diferentes. As variáveis foram divididas em: 1) Variáveis de resultados; 2) Variáveis de ações do jogo. Foram analisados vários indicadores de performance de cada uma das variáveis, os quais foram retirados dos relatórios de jogo oficiais da World Rugby e analisados através de contraste com informações presentes na literatura. Após a discussão dos resultados as conclusões dividiram-se em quatro parâmetros: a) Escolha e fiabilidade dos indicadores de performance – devem ser escolhidos de forma a que respondam a questões e hipóteses previamente formuladas; permitem uma maior fiabilidade quando são interrelacionados entre si e inseridos num contexto; são uma ferramenta eficaz para traduzir os resultados e a dinâmica de jogo; b) Evolução do Campeonato do Mundo de Rugby – os jogos são cada vez mais equilibrados; atualmente predomina o jogo à mão e o ataque aberto; c) evolução dos dois Tiers de Alta Performance – apesar do aumento de equilíbrio, 46% dos jogos entre nações de Tier 1 e Tier 2 ainda são muito desequilibrados; entre nações do mesmo Tier os jogos são cada vez mais equilibrados; e d) Modificação/evolução da dinâmica de jogo das nações – os indicadores de performance são capazes de caraterizar a dinâmica de jogo das nações e a sua evolução; o “estilo” de jogo está ligado à localização geográfica e herança cultural; algumas nações preferem apostar na sua forte defesa para vencer jogos; a dinâmica de jogo difere consoante o hemisfério e os diferentes grupos de performance.
Rugby World Cup is considered one of the main sport events on the planet. Since 2004, the nations that dispute it, are divided by World Rugby, into different performance groups (Tiers), according to their game ranking and development potential, groups that clarify the level of investment to be made in each country. Since the first World Cup, coaches and managers seek to increase their knowledge of the game and increase the performance of their teams by performing a detailed game analysis using as one of the tools, instruments of performance measurement – performance indicators. The aim of this study is to compare the performance indicators of the nations that played the last four editions (2003, 2007, 2011 and 2015) of the Rugby World Cup , comparing the nations of the two High Performance groups (Tier 1 and Tier 2), between themselves (Tier 1 vs Tier 1 and Tier 2 vs Tier 2 ), and between the two groups (Tier 1 vs Tier 2), such data may lead to an understanding of how the Rugby World Cup has evolved, but also to characterize and observe how has been the evolution of the game dynamics of the various countries that dispute it. Was used a methodologic design consisting in an empirical and descriptive game analysis, being performed a comparative analysis of game results and competitive performance levels, by using a sample of 192 games disputed by 22 different nations, in the total of the last four editions of the Rugby World Cup. The variables were divided into: 1) Results variables; 2) Game action variables. Several performance indicators were analyzed for each of the variables. The performance indicators were taken from the official World Rugby game reports and analyzed by contrast with information in the literature. After results discussion, the conclusions were divided in 4 parameters: a) Choice and reliability of performance indicators – should be chosen in way that can answer questions and hypotheses previously formulated; allow greater reliability when they are interrelated and inserted in a context; are an effective tool to translate results and game dynamics; b) Evolution of the Rugby World Cup – the matches are becoming more balanced; actually hand-based play and open attack are predominant; c) Evolution of the two High Performance Tiers – despite the increased balance in the games, 46% of the matches between nations of Tier 1 and 2 are still very unbalanced; between nations of the same Tier, the matches are increasingly balanced; and d) Modification/evolution of nations game dynamics – the performance indicators are capable to characterize the nations game dynamics and its evolution; the “style” of the play is connected to geographic location and cultural heritage; some nations prefer to bet in a strong defense to win games; the dynamics of the game differ according to the hemisphere and the different performance groups.
URI: http://hdl.handle.net/10348/8409
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Livro
Aparece nas colecções:DCDES - Dissertações de Mestrado
TD - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DissertaçãoVersãoFinal_BrunoTeixeira.pdf2,43 MBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.