Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10348/8712
Título: Biomecânica do apoio plantar: gravidez e pós-parto
Autor: Oliveira, Iraci Soares de
Orientador: Gabriel, Ronaldo Eugénio Calçada Dias
Palavras-chave: Biomecânica
Pressão plantar
Gravidez e pós- parto
Estabilidade postural
Alteração musculoesquelética
Data: 6-Jul-2018
Resumo: O objetivo desta pesquisa foi analisar a distribuição da pressão plantar durante a gravidez e pós-parto. O presente estudo, de caráter longitudinal, caracteriza-se como uma pesquisa quase experimental e correlacional. Para responder a este objetivo, foram construídos três estudos sobre pressão plantar durante a gravidez e o comportamento pós-parto, tendo-se investigado: (1) a correlação entre alterações na distribuição da pressão plantar e a estabilidade postural entre mulheres grávidas e não grávidas; (2) a correlação entre alterações na distribuição da pressão plantar e as alterações musculoesqueléticas entre mulheres grávidas e não grávidas; e (3) se as alterações hormonais e físicas, decorrentes da gravidez que comprometem a postura, o equilíbrio e a locomoção estão presentes no pós-parto. A amostra foi constituída por cem voluntárias divididas em três grupos estabelecidos de acordo com as características de cada estudo e constituídos por mulheres grávidas e não grávidas. Elas foram distribuídas da seguinte forma: no estudo um, vinte grávidas (23,65±5.14 anos) e vinte não grávidas (24,20±4.76 anos); no estudo dois, vinte grávidas (25,05±4.88 anos) e vinte não grávidas (23,45±6.33 anos); no estudo três, vinte grávidas que se tornaram puérperas (24,40±5.43 anos). As mulheres grávidas e puérperas constituíram o grupo experimental (GE) e foram recrutadas durante o pré-natal nas Unidades Básicas de Saúde estadual e municipal da cidade de Belém/PA, e da região metropolitana. As mulheres não grávidas constituíram o grupo de controle (GC) e foram recrutadas aleatoriamente através de convite nas dependências da Universidade do Estado do Pará e adjacências. Todas as mulheres grávidas e não grávidas foram avaliadas com uso de uma plataforma de pressão Footwork Pró em posição bípede, estática e dinâmica, olhos abertos, durante vinte segundos e uma ficha de avaliação interrogativa contendo dados de identificação, antropometria, sinais vitais, aspectos gerais sobre gravidez, parto e puerpério. O software SPSS 18.0 foi utilizado na análise estatística de caráter descritivo para a identificação da amostra, índice absoluto e percentual para as variáveis qualitativas; a média e o desvio padrão para as quantitativas. Para a Análise de Variância de um critério (ANOVA) para a comparação entre os grupos amostrais adotou-se um nível de significância de p≤0.05, seguido do post hoc através do teste de Tukey e o teste do qui-quadrado para comparação dos dados não paramétricos com nível de significância de p≤0.05. Nos resultados, pôde-se observar no estudo uma diferença significativa do ponto de vista estatístico do centro de gravidade corporal ao centro de gravidade do pé esquerdo entre o grupo controle e o primeiro trimestre da gestação (p=0.04) e entre o primeiro e o terceiro (p=0.05), pressão plantar no pé direito entre o grupo controle e o terceiro trimestre e entre o primeiro e o terceiro (p=0.03) igualmente no pé esquerdo (p≤0.01), enquanto, a distribuição de carga, superfície e tempo de contato nos planos frontal e sagital não apresentaram diferença significativa entre os grupos e os diferentes momentos da gestação. O estudo dois mostrou diferença significativa no terceiro trimestre na massa corporal, índice da massa corporal (IMC), ganho de massa e pressão média no pé direito e esquerdo, a distribuição de carga foi maior no antepé direito no primeiro trimestre e no retropé esquerdo no grupo controle, a divisão de massa incidiu mais no antepé direito no terceiro trimestre e no retropé esquerdo no grupo controle, maior incidência de edema nos membros inferiores. quiquadrado apontou aumento significativo (p=0.02) na incidência de varizes, câimbras nas pernas e pés (p=0.05), câimbras nos pés (p=0.02), dores nas pernas (p=0.02), dores nos pés (p≤0.01) e diástase abdominal (p≤0.01). A análise dinâmica da superfície de contato e da duração do passo direito e esquerdo não apontou diferença significativa durante gravidez e pós-parto. O estudo três apontou diferença significativa no terceiro trimestre e redução pouco significativa no pós-parto da massa corporal, índice de massa corporal, variação significativa do centro de gravidade do pé direito e pouco significativo no pé esquerdo, pressão média e média máxima significativa em ambos os pés na gravidez e redução no pós-parto mais evidente no pé esquerdo, distribuição de carga na gravidez pouco significativa nos pés direito e esquerdo, e no pós-parto redução no retropé esquerdo, superfície de contato pouco significativa em ambos os pés na gravidez e no pós-parto, divisão de massa pouco significativa nos retropés e igual redução no pós-parto nos antepés, pico de pressão com prevalência significante nos retro e antepés na gravidez e no pós-parto, mais evidente no retropé direito, posição do centro de gravidade corporal no primeiro trimestre centralizado na base de apoio, enquanto, no segundo e no terceiro trimestre e no pós-parto localiza-se posteriormente na base de apoio. Variáveis musculoesqueléticas pouco significativas no primeiro trimestre, maior prevalência no terceiro e no pós-parto diminuição ou desaparecimento. Oscilações do centro de gravidade pouco significativas nos planos frontal e sagital durante gravidez e pós-parto. Pressão plantar dinâmica apresentou alteração não significativa na superfície de contato e duração do passo em ambos os pés durante gravidez e pós-parto.
The objective of this research was to analyze the distribution of plantar pressure during pregnancy and postpartum. The present study has a longitudinal feature, and characterize as a quasi-experimental and correlational research. For this, we constructed three studies on plantar pressure during pregnancy and the postpartum behavior, having been investigated: (1) the correlation between changes in the distribution of plantar pressure and postural stability between pregnant and non-pregnant women; (2) the correlation between changes in the distribution of plantar pressure and musculoskeletal abnormalities among pregnant and non-pregnant women; and (3) whether the hormonal and physical changes, resulting from the pregnancy which compromises the posture, balance and movement, are present in the postpartum. The sample consisted of one hundred volunteers, which were divided into three groups established in accordance with the characteristics of each study and, additionally, consisted of pregnant and non-pregnant women. They were distributed as follows: in the first study, twenty pregnant women (23.65 ± 5.14 years) and twenty non-pregnant women (24.20 ± 4.76 years); in the second study, twenty pregnant women (25.05 ± 4.88 years) and twenty non-pregnant women (23.45 ± 6.33 years); and, finally, in the third study, twenty pregnant women who gave birth (24.40 ± 5.43 years). Pregnant women and mothers formed the experimental group (EG) and were recruited during prenatal care in the Basic Health Settings in Belém/PA, Brazil, and in the metropolitan area. The non-pregnant women constituted the control group (CG) and were randomly recruited under invitation in the University of State of Pará facilities. All pregnant and non - pregnant women were evaluated using Footwork Pro pressure platform in the standing, static and dynamic position, with open eyes by twenty seconds, and an evaluation form interrogatory containing identifying data, anthropometry, vital signs, general aspects on pregnancy, childbirth and postpartum. The SPSS 18.0 software was used for statistical analysis with descriptive character to identify the sample; the absolute rate and percentage for qualitative variables; the mean and standard deviation for quantitative variables. We used ANOVA test to compare the sample groups with a significance level of p ≤ 0.05, followed by Tukey’s test post hoc and chi-square test for comparison of not parametric data with a significance level of p ≤ 0.05. In the results, it was observed a significant difference, from the statistical point of view, of the body gravity center to the left foot gravity center between the control group and first trimester of pregnancy (p = 0.04) and between the first and third trimester (p = 0.05). Additionally, there was a significant difference on the right foot plantar pressure between the control group and the third trimester, and between the first and third ones (p = 0.03), the same occurred for the left foot (p ≤ 0.01). By contrast, the load distribution, surface area and contact time, in the frontal and sagittal plane, showed no significant difference between groups and different times of pregnancy. The second study showed a significant difference in the third trimester on body mass, body mass index (BMI), mass gain and mean pressure in right and left feet; the load distribution was greater in the right forefoot at first trimester and in the left hindfoot at control group; the mass division focused more in the right forefoot at third trimester and in the left hindfoot at control group. Furthermore, the highest incidence of edema occurred in the lower limbs. The chi-square test showed a significant increase in the incidence of varicose veins (p = 0.02), cramps in legs and feet (p = 0.05), cramps in the legs (p = 0.02), leg pain (p = 0.02), feet pain (p ≤ 0.01) and abdominal diastasis (p ≤ 0.01). The dynamic analysis of the contact surface and the length of right and left steps showed no significant difference during pregnancy and postpartum. The third study indicated a significant difference in the third trimester and little significant reduction of the body mass and body mass index in postpartum. It was also observed significant variation of the gravity center of the right foot, and little significant in the left foot; mean pressure and maximum value differed significantly on both feet in pregnancy, and most evident decrease in postpartum in the left foot. The load distribution in pregnancy was almost insignificant in right and left feet, and in the postpartum there was reduction in the left hindfoot; the contact surface was little different in both legs in pregnancy and postpartum. Mass distribution varied a little in hindfoot and reduced equally in forefeet in postpartum; pressure peak with significant prevalence in hind and forefeet in pregnancy and postpartum, most evident in the right hindfoot. The gravity center body position in the first trimester was centered on the support base; whiles in the second, and third trimester and postpartum located in the posterior portion of support base. Musculoskeletal variables differed a little in the first trimester, and the highest prevalence occurred in the third, and decreased or disappeared in postpartum. Oscillations in the center of gravity were low significant in frontal and sagittal planes, during pregnancy and postpartum. Dynamic plantar pressure showed no significant change in contact surface and in the step length of both feet during pregnancy and postpartum.
URI: http://hdl.handle.net/10348/8712
Tipo de Documento: Tese de Doutoramento
Aparece nas colecções:DCDES - Teses de Doutoramento
TD - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE VERSÃO FINAL.pdf4,06 MBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.